Aracaju, 2 de agosto de 2021

Teleconsulta: opção de atendimento cresce durante a pandemia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A pandemia do novo coronavírus trouxe diversos desafios. O acesso à saúde foi um deles. Com isso, a teleconsulta ganhou espaço. Além do conforto, o atendimento médico a distância proporciona maior rapidez e segurança ao paciente. Com o isolamento social, a modalidade ganhou mais adeptos em busca da promoção e melhoria da qualidade de vida.

Para o professor doutor Ronald Barreto, coordenador do internato do curso de Medicina da Universidade Tiradentes, a teleconsulta não é uma novidade, mas a pandemia acelerou o processo de regulamentação.

“Nós ganhamos segurança jurídica para atender os pacientes. Com isso, proporciona maior conforto e segurança realmente para esses atendimentos sem o risco de extravasamento, de informações sigilosas que o atendimento médico exige”, declara o professor.

“Isso é um ponto extremamente relevante para a sociedade como um todo porque as plataformas registram todo o atendimento mantendo uma linha ética de cuidado entre o médico e o paciente”, acrescenta. A Lei nº 13.989, de 15 de abril de 2020 autorizou o uso da telemedicina enquanto durar a crise ocasionada pelo coronavírus.

Para o médico, a teleconsulta modificou bastante a forma de pensar, acelerou a mudança na sociedade, além de aproximar as pessoas, mantendo a qualidade e segurança do atendimento.

“As pessoas tinham uma antiga crença que, para ter o atendimento médico, tinha que ter o contato presencial. Mas, com esta modalidade, é possível realizar uma consulta por videochamada, fazer uma boa avaliação e orientar os pacientes”, comenta.

Para o Dr. Ronald, entre os principais desafios da teleconsulta está o acesso à tecnologia. “O maior desafio é o acesso da população que tem sido mitigado à medida que as pessoas vão se familiarizando com as videochamadas e uso de smartphones”, destaca.

“Além disso, o teleatendimento é uma grande ferramenta e nosso desafio é treinar os médicos para essa nova realidade para que a gente consiga manter a qualidade de atendimento mesmo não sendo presencial”, complementa.

O especialista destaca que a teleconsulta encurta distâncias físicas e aumenta a acessibilidade à saúde.

“Com a teleconsulta, o profissional consegue fazer a triagem, acelera o atendimento e aumenta a possibilidade de atender mais pessoas, além de esvaziar as emergências. O médico faz uma avaliação prévia e na parte presencial o paciente utiliza para um exame complementar para chegar ao diagnóstico “, finaliza.

Assessoria de Imprensa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Batata-doce é cultivada no Alto Sertão com irrigação pública
Em Aracaju, 16,4 mil pessoas estão aptas a receber 2ª dose de AstraZenca e Pfizer
“Somos ricos em gás e minérios e referência para o país agora e nos próximos anos”, diz Belivaldo
No próximo sábado vai ter Fora Bolsonaro na Feira do município de Siriri