Aracaju, 3 de agosto de 2021

Banco do Nordeste aplica R$ 831,1 milhões em Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Banco do Nordeste registra mais de R$ 831,1 milhões em aplicações no primeiro semestre em Sergipe. O resultado ultrapassa em mais de 7,8% o obtido no primeiro semestre do ano anterior. Somente com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), o investimento é de R$ 544,4 milhões, em mais de 13 mil operações.

O custeio agrícola, com destaque para a produção de milho, representa pauta especial no período em Sergipe, tanto em volume quanto em crédito aplicado. Ao todo, foram destinados R$ 231,1 milhões para 2.016 operações de custeio de milho, com alcance de uma área aproximada de 77,1 mil hectares. Na comparação com o ano inteiro de 2020, o crescimento é de 59% no valor aplicado e de 32% no total de contratos.

O setor rural (71,5%) responde pela maior parte dos recursos aplicados com FNE, seguida dos setores de comércio e serviços (21%) e industrial (7,5%).

Portes

Com recursos do FNE, o destaque em Sergipe foi registrado no segmento Pequeno e Mini Produtor Rural (PMPR), que atingiu R$ 214,2 milhões aplicados. Em seguida, vem o crédito destinado a micro e pequenas empresas, que registrou R$ 90,5 milhões.

Também apresentaram excelentes resultados as aplicações de R$ 78,4 milhões para o segmento Pequeno-Médio, além de R$ 55,3 milhões para produtores rurais vinculados ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Outro destaque foi a aplicação de R$ 1,8 milhão para projetos de energia renovável, por meio da linha de crédito FNE Sol.

Microcrédito

Com os programas de microcrédito, o Banco do Nordeste aplicou R$ 307,8 milhões em Sergipe. O Agroamigo contratou R$ 61,1 milhões, em 58 mil operações distribuídas a mais de 43 mil clientes. Já o Crediamigo registrou R$ 246,7 milhões investidos e alcançou 58,7% de crescimento em relação ao primeiro semestre de 2020. Os mais de 105 mil clientes da carteira totalizaram 103 mil operações.

“Se considerarmos o cenário de desafios para o setor produtivo, principalmente para o pequeno empreendedor do campo e da cidade, temos bons motivos para avaliar o papel do BNB. Ajudamos na sobrevivência das empresas, e na manutenção de emprego e renda, e o resultado se converte nos números. A superação de resultados traduz o trabalho eficiente de todo o corpo funcional de Sergipe, que continua focado para cumprir o planejamento traçado para 2021”, avalia o superintendente estadual do BNB, César Santana.

Fonte BNB

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

UFS registra média anual de quase 19 pedidos de patentes desde 2011
PL inclui surdo unilateral nas cotas para deficientes em concursos públicos
Eduardo participa de solenidade para cidade mais sustentável
“O PSB se organiza para ser mais uma vez protagonista”, afirma Valadares Filho