Aracaju, 31 de julho de 2021

Conselhos Escolares auxiliam a gestão na retomada das aulas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

“Estamos objetivando a biosegurança da retomada das aulas presenciais, colocando em prática todo o protocolo de segurança que a Seduc nos orienta”, disse o vigilante Marisvaldo Barreto, representante dos servidores no Conselho Escolar do Colégio Estadual Barão de Mauá, ao se referir à participação coletiva na gestão e tomada de decisões sobre os investimentos do Programa de Transferência de Repasse de Recursos Financeiros Diretamente às Escolas Públicas Estaduais (Profin).

O Colégio Estadual Barão de Mauá, em Aracaju, é uma das 322 escolas que receberam o Profin Pandemia. Com um orçamento de R$ 37.740,00, o colégio adquiriu máscaras, álcool em gel, álcool líquido, tapetes sanitizantes, tótens, lavatórios, aventais, entre outros materiais. Com a expectativa de mais uma parcela, que está para ser depositada, a ideia é comprar mais itens necessários à preparação ao retorno das aulas. E junto com a vacinação dos profissionais da Educação, os protocolos, documentos e guias, as escolas estaduais são consideradas as mais seguras para o retorno das aulas presenciais do país.

A diretora Maria Gisleide Santos Aragão explica que em 2020, por causa da disseminação do novo coronavírus, as unidades de ensino receberam o Profin Pandemia, que foi uma parcela do programa para que as escolas pudessem adquirir materiais de higiene, limpeza e biosegurança sanitária, além de alguns serviços.

“Primeiramente a gente faz uma reunião com o Conselho Escolar, para analisar o que precisa ser comprado, planejar, ouvir toda a comunidade escolar, e com isso, preparar a escola. A participação do Conselho Escolar nesse processo é muito importante porque a escola não é conduzida apenas pela figura do gestor ou da gestora. Todos juntos, coletivamente, formamos a escola. A gente decide tudo com a participação do conselho, que é composto por pessoas dos diversos segmentos”, disse a diretora Gisleide.

O Barão de Mauá também recebeu em 2020 uma parcela do Profin no valor de R$ 88.640,00 para aquisição de kits escolares. Ela explica que está investindo a oitava parcela do Profin no valor de R$ 110.800,00, na aquisição de bens permanentes, como equipamentos, móveis, impressoras, computadores, entre outros materiais de maior durabilidade.

Participação coletiva

A gestão das escolas é auxiliada pelos conselhos escolares, importantes colegiados de acompanhamento das ações das escolas, compostos pelo diretor da escola, que é membro nato, e por representantes dos seguintes segmentos: alunos, pais de alunos, servidores, professores ou pedagogos e um membro da comunidade local. Os conselhos escolares têm fortalecido a atuação da gestão das unidades de ensino, principalmente neste período de preparação de retorno das aulas presenciais, programado para acontecer no dia 17 de agosto. Além de debater sobre todas as decisões administrativas e pedagógicas, o colegiado também acompanha os investimentos financeiros.

No Centro de Excelência Professora Maria das Graças Azevedo Melo, em Aracaju, o Conselho Escolar é atuante e já tem em vista a preparação para a retomada das aulas. O diretor Tarcísio da Silva Tavares enfatiza que com os recursos do Profin Pandemia de 2020, em torno de R$ 28.000,00, a escola preparou toda a sua estrutura. A expectativa agora é de receber a nova parcela a fim de adquirir mais insumos de higiene, limpeza e segurança.

Ele explica que a participação do conselho é essencial nesse processo. “A escola não existe sem o Conselho Escolar. Tudo o que a gente faz e pensa é realizado em conjunto para a melhoria da escola. De 2019 para cá, a procura por matrículas foi grande. Nós adequamos as salas de aula com móveis novos, suporte para álcool em gel, todas as cadeiras e quadros são novos. Adquirimos equipamentos para a cozinha, sala dos professores, laboratórios e auditório. Com a nova parcela do Profin, vamos reunir o Conselho Escolar e ver quais materiais precisamos comprar, pensando na questão da higiene, limpeza e segurança dos alunos”, declarou.

José Carlos dos Santos é o presidente do Conselho Escolar e representante do segmento dos pais de alunos. Para ele, “é importante quando a comunidade, por meio dos seus representantes, está atenta às decisões que são tomadas na comunidade escolar. Os membros do conselho sempre fazem reuniões, promovem debates e traçam os planos para a gestão escolar durante o ano. A pandemia do novo coronavírus não terminou, e é importante que as aulas presenciais retomem, mas com todas as medidas de segurança necessárias”.

O jovem Douglas da Silva Lisboa, do 3º ano do ensino médio, destaca que “o Conselho Escolar incentiva os alunos a estudarem cada vez mais, auxiliando a escola em tudo o que precisa ser comprado. Agora o Governo vai dar mais uma verba para que a escola possa voltar às aulas presenciais com mais conforto e segurança”.

Assessoria de Comunicação da SEDUC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Belivaldo assina Ordem de Serviço da  etapa 2ª do Canal Remanso
Quinto dia de greve conta com caminhada e apitaço em Maruim
Belivaldo elogia trabalho de André e diz que Edvaldo foi feliz na parceria 
Motoristas de carro fumacê são capacitados pela Funesa