Aracaju, 28 de julho de 2021

Uma explosão “implosiva”?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

O recesso político em Sergipe teve momento de agitação, no início desta semana, com a filiação da delegada Danielle Garcia ao Podemos. A impressão é que o bloco que nutria o Cidadania e se colocava como possível terceira via para disputar o Governo, havia se dividido. Mas não ocorreu isso… Ainda. Muita gente do partido, presidido pelo senador Alessandro, vai migrar para a legenda que tem o comando da delegada, mas por enquanto esse “movimento está parado”. Entretanto, há sinais de que essa migração pode acontecer, porque aparenta que alguns insatisfeitos preferem o estilo Danielle de ser e aprova o seu jogo de cintura para transações políticas.

Quem tem mandato vai esperar a abertura de janelas que devem ocorrer em janeiro e não se vê qualquer ânimo para engordar o Cidadania, que ficará com poucas condições de fazer chapas para candidaturas de deputados estaduais e federais. Nos bastidores circula a informação sigilosas de que a tendência do senador Alessandro é pousar em uma nova legenda de médio porte, com o objetivo de levar adiante o seu projeto, ainda em análise, de disputar a Presidência da República, representando à terceira via. Mas há muito que o senador ceder e conquistar novos filiados para a possível sigla que ficará sob sua Presidência no Estado. Nada disso pode acontecer, mas seguramente é um projeto que se discute.

Enfim, o grupo que se forma em Sergipe, moldando uma nova política, está se movendo. Amplia o número de legendas, mas reduz a força de aglutinação, porque de alguma forma cria dificuldades para as tais chapas que disputam o parlamento. Embora a legislação ainda não esteja definida, certamente não vai retroagir ao processo da proporcionalidade. No mínimo ficará como está, com o fim das sobras, ou seguirá para o Distritão. A relatora do processo para a nova legislação eleitoral é a presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, que o apresentou mas não foi levado à votação por ato coletivo.

De qualquer forma, com a presença de uma nova sigla, uma possível chapa com Danielle Garcia e a vereadora Emília Correa, do Patriota, que a encabeçariam para a Câmara Federal, se torna praticamente impossível. Entretanto não há dificuldade de composição, para apoio a uma chapa majoritária, que começa a borbulhar nas cabeças avançadas dos que pensam que a mudanças será fácil. Claro que tem muita água a jorrar, mas não se vislumbra uma enchente de votos que altere o projeto político instalado desde 2010.

Um outro fato que chamou a atenção, foi à entrevista do ex-presidente Lula, cedida à Jovem Pan da Bahia e Sergipe. Lula foi extremamente cauteloso em suas posições para os dois Estados, porque sabe que tem votos de petistas e daqueles que se arrependeram de eleger Bolsonaro. Elogiou o pré-candidato do PT a governador de Sergipe, Rogério Carvalho, mas não com a mesma força que fez com Marcelo Déda em 2010 ou até mesmo com Haddad em 2018, apesar de estar fora da campanha.

Lula chegou a dizer que pode subir em dois palanques em Sergipe e que teria uma conversa com o governador Belivaldo Chagas. É esperar e conferir…

Não há Dia do Fico

Um aliado muito próximo ao governador Belivaldo Chagas (PSD) disse ontem que definição sobre candidatura ao Governo acontecerá sem problemas e dentro do período já definido.

*** O aliado deixou claro que para Belivaldo Chagas “não existe Dia do Fico ou Dia do Saio. Ele vai fazer as coisas começarem a acontecer dentro do que fora definido”.

*** Disse também que a “vinda de André Moura para integrar o bloco e ser candidato ao Senado é coisa pacificada”.

Edvaldo em silêncio

O prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) se mantém silencioso em relação à candidatura ao Governo e diz que o seu projeto é transformar Aracaju em cidade do futuro.

*** O seu nome está à disposição do governador Belivaldo Chagas (PSD) e do grupo em caso de indicação para ser o candidato ao Governo, mas não é uma sangria desatada.

Tem sido citado

O seu trabalho – segundo revelou um dos seus aliados – tem repercutido no interior e é bem avaliado por lideranças políticas e prefeitos de algumas cidades.

*** Tem quem admita que da forma que ele administra Aracaju o credencia para governar Sergipe.

*** A mesma fonte lembrou que os três últimos governadores que antecederam Belivaldo foram prefeitos: “João Alves Filho, Marcelo Déda e Jackson Barreto”.

Lula quer voto do bloco

Na entrevista concedida à Jovem Pan, terça-feira, o ex-presidente Lula (PT) deixou falou sobre o senador Rogério Carvalho (PT) e fortaleceu o pensamento de que ele é preparado para ser governador de Sergipe.

*** Mas deixou claro que pretende o apoio do bloco em Sergipe, na disputa pela Presidência, mesmo que Rogério não seja candidato da base aliado.

*** Lula foi taxativo em sua posição de que não deseja perder votos caso haja divisão do bloco. Disse que poderia subir até em dois palanques e anunciou que vai conversar com o governador Belivaldo Chagas (PSD).

Em Lula e Bolsonaro

O ex-presidente Lula terá voto na base aliada tendo ou não Rogério Carvalho como o candidato a governador, porque o bloco não fecha questão na disputa presidencial.

*** Assim como o presidente Bolsonaro também será votado no grupo, através de membros dos partidos que o apoiam.

Podemos convidou

A delegada Danielle Garcia (Podemos) diz – via twitter – que chegou ao partido através do convite da executiva nacional, por meio de uma decisão pessoal.

*** – Sinto-me muito feliz e determinada em fazer parte desse projeto, disse.

*** Danielle agradeceu a todos os amigos e apoiadores pelas mensagens de incentivo. E concluiu: “tenho certeza que, juntos, podemos”!

*** A informação é que todo o caminho para chegar ao Podemos foi feito por ela, “e o deputado Zezinho Sobral tinha conhecimento disso”.

Mérito da delegada

O senador Alessandro Vieira disse ontem que tem excelente relacionamento com o Podemos no Senado e com a Renata Abreu, presidente do partido. “Acompanhei a situação, mas o mérito é de Danielle”.

*** Considera natural que o Cidadania sinta a perda de um excelente quadro, “mas para a composição em Sergipe foi uma boa decisão”.

Tempo no almoço
Alessandro Vieira justifica  ter ficado por apenas duas horas no almoço de filiação de Danielle no Podemos: “Já tinha outra agenda e precisei sair”.

*** Acrescentou que “não existe nenhum problema entre os partidos ou entre mim e Danielle”.

*** – Entendo o desejo dos governistas de plantar intrigas, já é rotina em Sergipe. Não funciona com os bons jornalistas e com aqueles que acompanham o processo, disse.

Não entende parabéns

Também no Twitter, Robson Nascimento diz que não “entendi” o senador Alessandro Vieira (Cidadania) parabenizar a colega Danielle Garcia por ter saído do partido dele e ir pra outro.

*** – Se não for velha política não sei o que é então. Filiou-se antes do marginal (aquele que age à margem da lei) Sérgio Moro, disse.

Centrão de farda

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) diz que “sai o Centrão de farda e entra o Centrão de terno”.

*** E acrescenta: “Muda o figurino, mas a prática certamente será a mesma. Este Governo é um estelionato político continuado”.

Deixará o Cidadania?

Segundo um membro do Cidadania, o senador Alessandro Vieira ensaiou deixar a sigla, mas a CPI da Covid fez com que ele desistisse em razão de sua atuação como titular.

*** A fonte acredita que, com a conclusão da CPI, o senador não vai permanecer no partido. Ele tem convites de outras legendas.

Ivan Leite avalia

O ex-prefeito Ivan Leite se mantém no PSDB e analisa o cenário nacional para avaliar a legislação e as eleições presidenciais. No momento ele apoia Jair Bolsonaro.

*** Ivan tem convites do DEM e do Republicanos, mas não há definições.

*** Já a professora Adriana Leite, sua mulher, se mantém no Republicanos e será candidata a deputada estadual.

Um bom bate papo

Maria – Quase a totalidade das vítimas da Covid nos EUA é de gente sem vacina. E há milhões de vacina perto do vencimento lá. Aqui, é meu reino por uma vacina.

Roberto Requião – Requião anuncia candidatura ao governo do Paraná e tenta resgatar MDB do bolsonarismo.

Miranda Sá – Dalai Lama: “Por esperar demais, sonhar demais, criar expectativas demais, sempre acabamos nos decepcionando e nos machucando”.

Tesoueiros – JN mostrando equipe de picaretas que foi a Manaus empurrar Cloroquina no povo durante o colapso.

Érica Kokai – A recondução de Aras à PGR, ignorando novamente a lista tríplice, tem um único objetivo de continuar blindando Bolsonaro e a familícia.

Sensacionalista – Brasileiros fazem vaquinha para Bolsonaro ir ao espaço e ficar 11 minutos sem falar besteira.

Metrópole – Deputado estadual Átila Nunes (MDB) requisitou à Justiça o privilégio de terceira dose e ainda destacou que não queria Coronavac.

Izanildo Sabino – Derrota de Roberto Jefferson na justiça, foi condenado a indenizar Alexandre de Moraes, que gira em torno R$ 60 mil.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Juíza Maria Angélica França e Souza é nova Desembargadora do TJSE
SSP abre seleção para estagiários de Publicidade e Propaganda e Jornalismo
Seduc convoca professores substitutos para atuarem no retorno presencial
Policiais rodoviários federais apreendem 30 quilos de haxixe na BR-101, no município de Umbaúba