Aracaju, 24 de setembro de 2021

Prefeitura monitora áreas de risco no período chuvoso em Aracaju

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Todos os anos, no período de maior incidência chuvosa, a Prefeitura de Aracaju intensifica o monitoramento das áreas de risco, como encostas, morros e regiões suscetíveis a inundações. O trabalho, feito regularmente pela Defesa Civil do Município, foi reforçado nos últimos meses, quando os registros das precipitações estão acima da média histórica.

Segundo o engenheiro civil e coordenador técnico operacional da Defesa Civil de Aracaju, Robson Rabelo, na capital os dois principais riscos são de deslizamento de terra, com áreas vulneráveis no Japãozinho, Cidade Nova, Porto Dantas, Santa Maria e América; e de inundação, com principal foco no Jabotiana.

Antes de passar a ser monitorada, a Defesa Civil faz um mapeamento para identificar todas as regiões de risco. Nesse levantamento, é feita a análise geomorfológica, para avaliar as condições e características do terreno, e demográfica, para saber quantas pessoas residem, a quantidade de moradias e qual o local de assistência mais próximo. Depois desse mapeamento, se a área for considerada de risco, a Defesa Civil passa a monitorar a região, trabalho que é intensificado durante o período chuvoso.

“Durante as chuvas, as equipes visitam as áreas de risco para avaliar a possibilidade de deslizamento de terra, observando se há água saindo por alguma fissura na encosta, se há árvores inclinadas. Se verificado indícios de risco de deslizamento ou de inundação, a Defesa Civil atua para orientar e retirar os moradores, evitando acidentes e vítimas”, detalha Rabelo.

Tecnologia aplicada

Para ajudar no monitoramento das áreas de risco, a Prefeitura de Aracaju investiu em equipamentos que oferecem importantes dados para orientar o trabalho da Defesa Civil. Como os pluviômetros instalados em diversos pontos da cidade, que permitem verificar em qual local está chovendo mais. “Com isso, podemos intensificar o monitoramento e direcionar o trabalho para as regiões com maior intensidade de precipitações”, destaca Rabelo.

No bairro Japãozinho, está instalado um sensor de deslizamento de terra que, a qualquer mínima mudança, emite um alerta e a equipe se dirige ao local para fazer uma avaliação do risco de deslizamento. Há ainda sensores que ajudam a prever alagamentos, instalados no Rio Poxim e em alguns canais da capital, e sensores que medem a intensidade do vento em três pontos da capital.

Além desses equipamentos, a Prefeitura investiu também na central de monitoramento do ClimAju, que possui câmeras para acompanhar a movimentação das nuvens e os pontos onde ocorrem mais precipitações.

O coordenador destaca que esses recursos são importantes auxiliares para o monitoramento das áreas de risco. “Esses aparelhos oferecem informações detalhadas que nos ajudam na tomada de decisões, direcionando as ações para conseguir as melhores respostas”, avalia.

Trabalho articulado

Rabelo destaca que esse monitoramento é fundamental porque auxilia o poder público municipal na execução das ações e serviços, que é feito de forma articulada. “Se for identificado algum risco, como o aumento do nível do rio, entramos em contato com a Secretaria da Assistência Social para ir à localidade informar que haverá inundação. Se houver um alto índice de precipitação no Santa Maria, mandamos um alerta para as equipes das Empresas Municipais de Serviços Urbanos (Emsurb) e de Obras e Urbanização (Emurb), para faz a limpeza ou o reparo de canais da região,

O trabalho de monitoramento de áreas de risco faz parte do Plano de Contingência, gerenciado pelo Comitê de Gerenciamento de Crises, criado em 2017. Desde que foi implantado, as ações desenvolvidas têm apresentado resultados efetivos, oferecendo maior segurança para a população aracajuana.

“A partir desse monitoramento e da utilização de recursos que permitem uma tomada de decisão de forma mais lógica, houve uma diminuição dos pontos de inundação, conseguimos prever com maior antecedência os riscos de alagamento e de deslizamentos de terra. Com isso é possível prevenir e diminuir a intensidade de eventuais acidentes, evitando que famílias percam suas casas e seus bens”, comenta Rabelo.

População informada

Os resultados do monitoramento e das demais ações de prevenção desenvolvidas pela Defesa Civil de Aracaju são informados à população através do serviço de alerta SMS 40199, que envia informações sobre indicativo de chuva, maré alta, ventos fortes e outros fenômenos meteorológicos.

Atualmente, o SMS 40199 conta com mais de 51 mil números cadastrados. Para receber os alertas basta enviar uma mensagem via SMS para o número 40199 e colocar no campo da mensagem o CEP do local sobre o qual deseja receber informações. O serviço é gratuito e permite que uma mesma pessoa cadastre mais de um CEP.

Foto Sérgio Silva

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Hospital Cirurgia realiza ação de incentivo à doação de órgãos
Prefeitura de Aracaju pagará salários dos servidores nesta segunda-feira, 27
Oficiais e praças do CBMSE recebem medalhas do centenário da corporação
PL de Talysson institui obrigatoriedade de atendimento em pavimento térreo a idosos