Aracaju, 22 de setembro de 2021

Laudo do Instituto de Criminalística indica que incêndio no Nestor Piva  teve início na sala de Prescrição Médica

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Instituto de Criminalística (IC) concluiu o laudo pericial sobre o incêndio que ocorreu no Hospital Municipal Zona Norte Doutor Nestor Piva, no dia 28 de maio. A área onde teve início o incêndio foi a de prescrição médica e o fogo se propagou para a sala de medicamentos, e a partir daí houve a ampliação do incêndio. O IC concluiu que não houve um incêndio provocado por ação direta e proposital. Também foi descartada a possibilidade de o incêndio ter-se originado acidentalmente, resultado de imprudência ou negligência de alguma pessoa ao manipular material ou produto incandescente.

Além do perito signatário, José Fernando Dutra Fontes, a equipe do Instituto de Criminalística responsável pelo levantamento técnico-pericial no local de crime foi composta pelos peritos criminalísticos André Luiz Teles Feitosa, Daniel Ornelas Ribeiro e Lucas Lima Nascimento. Os exames periciais foram realizados em quatro áreas do local alvo: Área 01 (Sala de Estabilização); Área 02 (Sala de Medicamentos); Área 03 (Sala de Prescrição Médica) e Área 04 (Enfermaria).

O exame pericial teve por objetivo constatar os vestígios materiais produzidos pela destruição total ou parcial de objetos, edificações e estruturas do local, em virtude da ação direta ou indireta do agente físico fogo, e estabelecer a etiologia do incêndio, ou seja, determinar o ponto de origem – foco do fogo -, o agente ígneo – fonte de calor -, a causa e a classificação do incêndio. Além de verificar, se houve perigo à vida e as demais circunstâncias para a elucidação do fato.

O laudo concluiu que, em face dos exames realizados e considerando os resultados, a perícia apontou, como hipótese mais provável, a ocorrência do fenômeno termoelétrico de sobrecarga na Área 03 da UTI – Ala Covid do Hospital Municipal Zona Norte Doutor Nestor Piva (Sala de Prescrição Médica), em decorrência do aumento da potência do sistema elétrico, consequência da derivação realizada no circuito a partir de uma das tomadas da Área 04 (Sala de Enfermaria).

Elementos materiais

O traço de fusão coletado foi avaliado utilizando-se um Microscópio Digital com ampliação de até 500x. Durante a análise, verificou-se pouco grau de polidez, maior rugosidade em sua superfície, rigidez, e forma irregular. Posteriormente, o traço foi submetido à corte de seção transversal através da máquina de corte com faca rotativa IsoMet LS na Universidade Federal de Sergipe (Campus Itabaiana). A seção também foi avaliada microscópicamente, confirmando a análise anterior.

Os cabos elétricos coletados na sala de medicamentos e na sala de enfermaria foram mensurados com o auxílio de um paquímetro –  ferramenta de precisão que mede distâncias. Através da fórmula matemática.

Fonte e foto SSP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Cassação assusta o governo
Doação: Unit recebe 500 vade-mécuns entregues pelo senador Alessandro Vieira
Senadora vota a favor da PEC que isenta gestores por não cumprirem limite de gastos com educação
Serhma realiza instalação de equipamento para monitoramento do Jacarecica I