Aracaju, 22 de setembro de 2021

Mercado cresce para o repolho em Lagarto e irrigação pública estadual auxilia produção

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Produtores rurais recebem irrigação e assistência técnica da Cohidro, com estação meteorológica que mede volume diário de chuvas

Produtores rurais que plantaram repolho no Perímetro Irrigado Piauí, no município de Lagarto, têm encontrado mais mercado para escoar o produto no próprio município, a cada nova safra. O vegetal é geralmente plantado no período do inverno, já que o calor do verão prejudica o desenvolvimento das folhosas. Neste ano, o cultivo do repolho ocupou cerca de dois hectares (ha) do perímetro, com plantio pouco menor que em 2020, pois muitos agricultores ficaram desestimulados com as chuvas abaixo da média. Para garantir a água necessária para os cultivos, os 421 lotes do perímetro Piauí recebem irrigação pública do Governo do Estado, através da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), durante todo ano.

Gerente do Perímetro Irrigado Piauí, Gildo Lima conta que, mesmo com as incertezas do clima, o que tem incentivado o produtor a plantar repolho é o mercado local, com demanda crescente pela oferta do produto por mais tempo durante o ano. “Em outras épocas, vinha um pessoal de Itabaiana com caminhão e tirava todo repolho, colhia tudo num dia só e levava. Mas agora, o mercado aqui em Lagarto está escoando toda a produção de repolho do perímetro”, destacou o gerente.

Os donos dos lotes sempre optam por plantar o repolho no clima frio, pois com o calor aparecem as pragas, como a broca e a mosca branca, inviabilizando a produção. O produtor rural Gilvan Silva destinou duas áreas de seu lote no perímetro Piauí para a produção de repolho, que somam 0,5 ha. A produção foi boa, porque ele aproveitou as primeiras chuvas para o plantio. “Por aqui, o inverno não traz muita praga, porque ela não gosta do frio da chuva; aí a gente quase não usa defensivos. No verão precisa mais, porque tem muita praga. O repolho gosta muito de frieza”, afirma o agricultor irrigante, que vende toda a sua produção para o comércio local de Lagarto.

Em roças com mais de 65 dias de plantio, a colheita do repolho já está chegando ao fim, não restando mais do que 0,5 ha já em época de colher. Além de fornecer a irrigação, a Cohidro também presta assistência técnica para os produtores sobre o momento ideal para início do plantio, a partir de dados coletados diariamente na Estação Meteorológica instalada junto ao escritório do perímetro, como conta o gerente do Piauí. “A época mais propícia para o plantio do repolho é o inverno e não requer muito agrotóxico. O cultivo se habitua muito à frieza, ao solo frio, muita chuva e não precisa usar muitos defensivos para combater as pragas”, disse Gildo Lima.

Em dias de chuva, as bombas do perímetro irrigado ficam paradas, mas voltam à ativa em casos especiais, como o do repolho e de outras culturas. “A gente fica atento, para oferecer a irrigação através da Cohidro e dar o suporte que eles precisam, como parte de acompanhamento técnico. Pela Estação Meteorológica lá na Cohidro sabemos, todos os dias, quantos milímetros choveu. Se for pouco, como o repolho requer mais água, a gente sempre fica em comunicação com o produtor e faz, da melhor forma, um abastecimento de água extra”, conclui Gildo, gerente do perímetro Piauí.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Câmara Municipal de Aracaju aprova 17 proposituras nesta quarta-feira
Senar Sergipe abre inscrições para o curso de frangos e galinhas
Região Nordeste registra etanol mais caro do País nos primeiros dias do mês, aponta Ticket Log
Em nota, SSP diz que o delegado Marcelo Hercos permanece em estado grave, intubado e sedado