Aracaju, 22 de setembro de 2021

Na Feira de Siriri: Abaixo a Reforma Administrativa e Fora Bolsonaro

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

No município de Siriri, o protesto pelo Fora Bolsonaro e contra a Reforma Administrativa encheu o sábado de esperança. Na manhã do dia 7 de agosto, durante a feira, dirigentes sindicais e militantes dos movimentos sociais de Sergipe conversaram com a população de Siriri sobre todas as mazelas do governo Bolsonaro.

Moradora de Siriri, a professora aposentada Maria de Fátima Santos, Coordenadora dos Aposentados do SINTESE no Vale Cotinguiba, destacou o impacto negativo da Reforma da Previdência de Bolsonaro e da Reforma Estadual de Belivaldo que acabaram resultando num corte de 14% na remuneração de aposentados.

“O povo de Siriri e de Sergipe está sofrendo, tomando dinheiro emprestado no Banese todos os meses para comer e para pagar os remédios de pressão alta, de diabetes… Quando a gente trabalha a vida inteira, chega um momento da vida que a gente não consegue mais seguir sem remédio. Numa pandemia desta que está todo mundo desempregado, eu ajudo os meus filhos e os meus netos e não tenho nem condição de pagar meu imposto de renda porque com a Reforma da Previdência, Belivaldo tirou 14 % do meu dinheiro. E ainda tem o dinheiro da receita e como é que a gente fica? Sem poder comer?”, questionou a professora Fátima indignada.

No dia do protesto, com a presença do deputado estadual Zezinho Guimarães, a professora aposentada Fátima criticou o deputado por ter aprovado a Reforma da Previdência Estadual que todos os meses retira 14% da remuneração dos servidores públicos aposentados.

“Sou professora aposentada daqui de Siriri e vou mostrar a todos que você foi um dos deputados estaduais que votou pela reforma da previdência de Belivaldo tirando 14% do nosso dinheiro. Vocês são os responsáveis pelo que estamos passando. Vocês não conhecem quem precisa. Vocês ganham dinheiro, estão lá em cima, no poder, porque o povo colocou vocês. Peça a seu Belivaldo que revogue o corte de 14%. E queremos o reajuste viu? E já! Porque estamos precisando do nosso dinheiro. E sabemos que foi com o nosso dinheiro que Belivaldo pagou o 13º salário, foi com dinheiro dos aposentados. Quem mais sofre são os aposentados.”, criticou a professora.

A professora aposentada, que dedicou 35 anos de sua vida ao magistério no município de Siriri, dialogou com a população da feira.

“Quem tá falando sou eu mesmo, Fátima. Sempre fui uma professora preocupada com nossos alunos. Vim aqui para pedir a vocês que tenham consciência e façam valer o que estamos dizendo. Bolsonaro é um assassino, é um miliciano. Ele está matando o povo de fome, de Covid e de pistola. Vocês fiquem atentos. Siriri é pequeno. Todo mundo é adulto e sabe votar com consciência. Não venda seu voto e não tenha medo de exercer a democracia de verdade. Não tenham medo de votar”, frisou.

Presidente da Central Única dos Trabalhadores (CU/SE), Roberto Silva alertou sobre a importância desta luta. “A população entende o que está acontecendo no Brasil. Reforçamos a necessidade de fortalecer esta luta pelo Fora Bolsonaro e contra a Reforma Administrativa. São os deputados e senadores que vão votar para aprovar o desmonte do serviço público brasileiro, por isso precisamos pressionar os políticos que elegemos. Todos precisamos dos serviços públicos. Não vamos aceitar que deputados e senadores de Sergipe aprovem a reforma administrativa, mais uma reforma para massacrar a população, mais uma reforma do governo genocida e corrupto de Bolsonaro”, discursou o professor Roberto na feira de Siriri.

O protesto em Siriri foi organizado pela CUT, CSP, CTB, UGT, Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, USES e Fórum Negro Sergipe.

Foto assessoria

Por Iracema Corso

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Câmara Municipal de Aracaju aprova 17 proposituras nesta quarta-feira
Senar Sergipe abre inscrições para o curso de frangos e galinhas
Região Nordeste registra etanol mais caro do País nos primeiros dias do mês, aponta Ticket Log
Em nota, SSP diz que o delegado Marcelo Hercos permanece em estado grave, intubado e sedado