Aracaju, 27 de setembro de 2021

Benefício emergencial do Cartão Mais Inclusão continua até outubro

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Assembleia Legislativa aprovou Projeto de Lei enviado pelo Governo de Sergipe

O Projeto de Lei enviado pelo Governo de Sergipe para prorrogação do benefício do Cartão Mais Inclusão foi aprovado na Assembleia Legislativa de Sergipe nesta quarta-feira (11), após apreciação dos deputados estaduais e votação nas Comissões Temáticas e em plenário. O PL beneficia aproximadamente 14 mil famílias com a concessão de mais três parcelas do benefício emergencial, que agora será pago até outubro. Somados aos beneficiários permanentes do Programa, cerca de 20 mil famílias da extrema pobreza são alcançadas pelo CMais.

Custeado com recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep), o CMais tem uma previsão de investimentos de aproximadamente R$ 8,7 milhões, de agosto até o final do atual exercício – recursos que, de acordo com o governador Belivaldo Chagas, já estão garantidos pelo Estado. “O investimento total no programa, neste ano, é de mais de R$ 21 milhões, para auxiliar milhares de mães e pais de família a superarem os efeitos econômicos da pandemia e garantir o pão de cada dia neste momento ainda tão difícil”, explicou o governador.

De acordo com a secretária de Estado da Inclusão e Assistência Social (SEAIS), Lucivanda Nunes, a perspectiva é que o pagamento das 14 mil famílias alcançadas pela prorrogação aconteça ainda neste mês. “Ficamos gratificados em ver que a Casa Legislativa sergipana compreende a importância do CMais para essas famílias e, sobretudo, em poder dar essa notícia. Muitos beneficiários, que receberam o pagamento emergencial até o mês de julho, estão aguardando informação sobre a continuidade, e ficamos felizes em dizer que o benefício segue sendo pago e que será creditado assim que o Projeto voltar da Alese para sanção e publicação”, disse a secretária.

O CMais foi criado pelo Governo de Sergipe para combater a insegurança alimentar junto à população que se encontra na extrema pobreza, e consiste no pagamento de parcelas entre R$ 100 e R$ 200 a beneficiários inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), que não recebem nenhum outro auxílio estadual ou federal. Pago mensalmente, o benefício pode ser usado exclusivamente na compra de alimentos, em qualquer estabelecimento da rede credenciada Banese. Em vigor desde abril de 2020, o Cartão Mais Inclusão – CMais já investiu cerca de R$ 35 milhões no pagamento de 343.413 mil benefícios.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Secretaria de Educação e Fundação Telefônica abre inscrições para formação do Programa Aula Digital
MPF/SE defende a condenação de ex-deputado sergipano por formação de quadrilha e peculato
Prazo para MEI regularizar débitos com a Receita termina dia 30
Plano de Desenvolvimento Econômico será apresentado no município de Estância