Aracaju, 21 de setembro de 2021

TestAju já realizou cerca de 17 mil exames para detecção da covid

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

“As pessoas ainda não estão com a real noção sobre a gravidade dessa doença. Só sabe a gravidade quem já passou pelo hospital, como a minha mãe que ficou intubada por 45 dias. Eu também já fui internada para tratar a doença e emagreci oito quilos. Se as pessoas tivessem ciência de como é importante fazer esse teste. Peço que façam o teste, pelo amor de Deus, porque essa doença não é brincadeira, a pandemia não passou. Temos que nos monitorar sempre”.

O depoimento transcrito acima é da dona de casa Rosilene Góis Passos Cavalcante, de 54 anos, moradora do bairro Coroa do Meio, na zona Sul de Aracaju, uma das localidades onde a Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), montou um ponto do TestAju esta semana, projeto itinerante iniciado em agosto do ano passado, como estratégia para mapear a proliferação do novo coronavírus na capital sergipana.

Nesse sentido, o TestAju amplia a testagem da população, sobretudo de pessoas assintomáticas, o que possibilita ter informações mais precisas acerca da transmissão do vírus. Somente este ano, já foram realizados cerca de 17 mil testes, entre exames RT-PCR e testes rápidos.

De acordo com a enfermeira do TestAju, Elaine Raquel Alves Maria de França, que coordenou a ação na Coroa do Meio, o projeto visita, três vezes por semana, sempre às segundas, quartas e sextas-feiras, os bairros selecionados de acordo com a análise epidemiológica feita no comparativo de uma semana para outra.

“A gente realiza a divulgação e, uma vez montada a estrutura no bairro selecionado, são disponibilizadas senhas, cerca de 150 por manhã, onde o interessado realiza dois tipos de exames, mediante apresentação de documentação como identidade e CPF, além de informar o CEP residencial”, esclareceu.

O primeiro teste, segundo Elaine, é o RT-PCR, de biologia molecular, cuja amostra é enviada para o Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen), onde é dada uma média de três a cinco dias para a liberação do resultado. Neste caso, o aracajuano pode acompanhar o resultado na plataforma digital AjuInteligente ou pela central telefônica da Saúde, no 0800 729 3534, opção 1. O segundo é o teste rápido, em que é feita uma pequena coleta de sangue, cujo resultado é revelado em 10 minutos.

Ferramenta de conscientização

Mas além de identificar uma pessoa positivada assintomática, afirma a enfermeira, o projeto consolida-se como uma ferramenta de conscientização, partindo do pressuposto de que o cidadão, mesmo sem apresentar sintomas, pode ser um instrumento de proliferação do vírus, até porque a pandemia, embora apresente, a cada dia, diminuição no número de contaminados e de óbitos, ainda não acabou.

“Há pessoas que são assintomáticas e não sabem que estão contaminadas. É preciso continuar com essa ação preventiva, até porque temos a questão das variantes novas. Este ano já estamos percorrendo os bairros pela segunda vez, sempre em pontos estratégicos. Como hoje temos uma demanda menor no número de infecções, é vital que as pessoas se conscientizem sobre a importância dos testes. A pandemia não acabou, por isso orientamos que a população faça o teste”, afirmou.

Demanda espontânea

O comerciante Silvio Batista Santos de Almeida, 43, não tem dúvidas sobre o valor que tem esse tipo de ação. “Trabalho aqui em frente. Logo cedo observei que montaram os toldos e fiquei curioso. Quando vi a equipe chegando, percebi que era algo relacionado à saúde, aí perguntei à enfermeira e resolvi fazer o teste. Há menos de dois meses contraí o vírus e ainda estou tossindo muito. Acredito que não estou totalmente curado. É bom esse tipo de teste para a gente ter certeza se está ou não com o vírus”, destacou.

O autônomo Edleno Santos, 24, disse que o TestAju é extremamente relevante. “Minha esposa soube que havia o teste rápido e nos deslocamos para cá. É importante a gente ficar precavido. Tenho uma filha pequena e é bom fazer esse tipo de monitoramento. É importante a Prefeitura estar realizando esse tipo de serviço no bairro. Quem quiser pode vir que é gratuito”, elogiou.

Opinião semelhante tem o empresário Mateus Porto, 30. “Acho muito importante as pessoas estarem se conscientizando cada vez mais, principalmente para quem trabalha com pessoas no dia a dia. Às vezes, as pessoas são assintomáticas e não sabem se estão contaminadas. É de grande importância esse tipo de serviço para a população”, frisou.

Foto: Marcelle Cristinne

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergipe sem óbito por Covid nesta segunda e 32 novos casos
Aumento expressivos de assaltos, uso e tráfico de drogas na praia da Cinelândia em Aracaju
Juma de ‘Pantanal’: Alanis Guillen revela reação à notícia, detalha preparação
Juliette revela temor no ‘BBB21’: ‘O impulso inicial é devorar, julgar, e isso me dava medo’