Aracaju, 19 de setembro de 2021

Vereadores são pessoas públicas e devem satisfação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Durante o discurso no Grande Expediente da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), desta quinta-feira (12), o vereador Ricardo Marques (Cidadania) comentou sobre uma polêmica gerada por conta da reprovação do Requerimento nº 208/2021, de sua autoria, que solicitava informações sobre os semáforos inteligentes.

O parlamentar lembrou que os vereadores são pessoas públicas e devem satisfação de como votam para a população. “Tudo que acontece aqui é público e de conhecimento de todos os aracajuanos. Se porventura algum colega não está satisfeito em ter seus votos e pensamentos publicitados, repense sobre a função que ocupa. Enquanto vereador for, podem publicar meus votos e discursos nas redes sociais e em qualquer lugar de Aracaju. Sou funcionário do povo e ao povo devo satisfações e explicações”, afirmou.

“Em 2018 o prefeito anunciou o início da implantação de uma grande novidade que iria revolucionar a fluidez do trânsito de Aracaju – os semáforos inteligentes. O investimento anunciado pela mídia na época foi de R$ 25 milhões. Os equipamentos são capazes de fazer a contagem em tempo real dos veículos e de identificar transportes de emergência para dar prioridade, realmente é um projeto que merece palmas, muito bem-vindo para nossa capital. Mas a verdade é que os equipamentos foram instalados há 3 anos, estão se deteriorando com o passar do tempo e isso vai custar mais dinheiro do povo”, lamentou Ricardo.

Ainda sobre o requerimento, Ricardo reforçou ser um pedido simples e não viu motivo para negação por parte da bancada do prefeito. “Não pedi nada demais, apenas levantei uma preocupação real por conta do alto investimento feito para implementar os semáforos inteligentes em Aracaju. Quero saber apenas, de forma oficial da prefeitura, se eles estão funcionando, só isso. Se um pedido simples está sendo rejeitado, tenho muito receio do que está por vir”, observou.

“A partir do momento que requerimentos simples, que solicitam apenas informações começam a ser rejeitados neste Poder, acende uma luz vermelha sobre o que pode acontecer no futuro. Nós somos um poder independente. Estamos aqui pela vontade do povo que nos escolheu para representá-los, fiscalizar o que está sendo feito com o dinheiro deles, com o nosso dinheiro. Este Poder Legislativo não pode ser usado como um escudo para blindar as ações da prefeitura de Aracaju. Devemos aprovar os bons projetos, mas devemos estar atentos aos que têm falhas, que trazem prejuízo”, completou.

Ricardo Marques concluiu seu discurso questionando: “A quem interessa essa proteção de informações? Por que a prefeitura não fala mais nesse assunto? Se não conseguimos informações sobre um contrato de R$ 25 milhões, imagine sobre um empréstimo de mais de R$ 500 milhões, enviado pelo prefeito a esta Casa”.

Por Wandycler Júnior

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Chega a Sergipe neste domingo mais de 106 mil doses de Pfizer
Capitania dos Portos de Sergipe abre processo seletivo
Mulher é presa em flagrante pelo Denarc com centenas de munições, fuzil e drogas
Prefeitura realiza quarta edição especial do Programa Praia Limpa