Aracaju, 17 de setembro de 2021

Aracaju compartilha experiência da PPP da Iluminação no PR

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Apresentar o projeto, explicar detalhes e falar da celeridade adotada na Parceria Público-Privada da Iluminação Pública que se tornou um case de sucesso no Brasil. Foi com estes objetivos que os secretários municipais da Infraestrutura, da Fazenda e do Planejamento, Orçamento e Gestão, Sérgio Ferrari, Jeferson Passos e Augusto Fábio, respectivamente, receberam em reunião a prefeita da cidade de Ponta Grossa (PR), Elizabeth Schmidt e integrantes de sua equipe.

No encontro, realizado nesta quarta-feira, 18, na sede da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), os gestores da capital sergipana detalharam como foi iniciada a modernização do parque de iluminação da cidade, desde as negociações com a Caixa Econômica Federal até o início da instalação das luminárias de LED no bairro Bugio.

A prefeita paranaense afirmou que a ideia é levar o caso de Aracaju como um grande exemplo para Ponta Grossa. “Temos grande interesse em fazer a PPP da iluminação, para transformar nossa cidade, para ter economia, valorizar os espaços e ter mais segurança. Estamos vendo qual o caminho percorrido por Aracaju, como o prefeito Edvaldo Nogueira e sua equipe fizeram este processo acontecer, quanto tempo levou e a segurança deste tipo de trabalho. Observar a celeridade e as audiências públicas que ocorreram aqui nos interessa muito, está sendo muito válido”, comentou Elizabeth.

O secretário municipal da Infraestrutura e presidente da Emurb, Sérgio Ferrari, destacou que o reconhecimento ao êxito desta PPP é fruto de um trabalho ágil e tecnicamente correto desenvolvido pela gestão municipal.

“O que nos dá satisfação é que quem está nos indicando para conversar com as prefeituras é a Caixa Econômica Federal. Estamos servindo de referência, fomos o município mais eficiente, entre a assinatura do contrato e início da operação. Isso em comparação com outras grandes cidades do Brasil, como Belém [PA], Feira de Santana [BA], cidades do estado de São Paulo e muito mais. Temos a segurança de que o trabalho foi bem feito, e é muito satisfatório saber que somos referência para orientar outros municípios a fazerem o mesmo”, afirmou Ferrari.

Tônia Mansani, presidente da Agência de Fomento de Ponta Grossa, elogiou o trabalho da Prefeitura de Aracaju na condução do processo de parceria com a iniciativa privada. “A modernização do nosso parque de iluminação é uma grande meta nossa, e Aracaju está dando segurança no modelo, a visita vem sendo de grande valia. Sem dúvida temos Aracaju como referência, por tratar esse tema de forma muito eficiente e rápida. Quando falamos em PPP ainda há muitas dúvidas, e estar aqui possibilitou ver de modo prático a forma de adotar este modelo”, disse.

“Entendemos que Aracaju executou um projeto de sucesso, e buscamos aqui uma segurança para optar mesmo pela parceria público-privada. Ponta Grossa não teria como fazer um investimento inicial para trocar todo o parque de iluminação por conta própria. A PPP vem para viabilizar isso. O consórcio que vencer terá um prazo de 18 meses para implantar todas as lâmpadas em 13 anos de pagamento. Há aí uma resposta muito rápida à sociedade”, enfatizou Cláudio Grokovski, secretário da Fazenda do município paranaense.

PPP da iluminação

A PPP fará de Aracaju a primeira capital do país a ter todo o seu parque de iluminação pública com a tecnologia de LED. O consórcio, firmado com a empresa Conecta Aracaju S/A, irá gerir o parque de iluminação pelos próximos 13 anos e tem o prazo de 18 meses para realizar a melhoria de quase 60 mil pontos luminosos e a ampliação da rede na cidade.

Foto: Marcelle Cristinne

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Hospital Cirurgia realiza ação para comemorar Dia Mundial da Segurança do Paciente
Preço médio do óleo diesel segue em alta no início do mês de setembro e litro se aproxima de R$ 5,00, aponta Ticket Log
Sergipe mantém vacinação dos adolescentes de 12 a 17 anos, priorizando portadores comorbidades
Município e Estado se reúnem para definir regras de retomada de público nos estádios