Aracaju, 28 de setembro de 2021

Técnicos do Ministério da Saúde e Sírio Libanês estão no Huse para condução do Projeto Lean

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Dando continuidade ao Projeto Lean nas Emergências, que visa melhorar a gestão do setor de urgência no enfrentamento da superlotação, foi realizada nesta quarta-feira (18), a primeira das duas visitas que serão feitas pelos técnicos do Hospital Sírio Libanês e do Ministério da Saúde (MS), ao Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse). A iniciativa utiliza metodologias de gestão para otimizar indicadores de urgência e emergência em hospitais públicos.

“A partir desse momento a gente vai batalhar para tentar tirar o Huse desse processo de superlotação que acomete toda a emergência do hospital. Nós estamos na primeira visita para fazer um diagnóstico inicial e discutindo com todas as lideranças do hospital. A gente pretende ter um diagnóstico real, já e temos um diagnóstico preliminar, mas que vale é a qualificação e certificação desses dados junto com a equipe, creio que a partir de amanhã ou da segunda visita a gente tenha uma informação mais real”, explicou o médico consultor do Hospital Sírio Libanês atuando para o Proadi-SUS, Emerson Medeiros.

Dos 20 hospitais escolhidos para o primeiro ciclo, o Huse foi selecionado entre os mais de 611 hospitais que se candidataram. “Esse é um projeto via Proadi-SUS, que é o programa de apoio e desenvolvimento institucional do SUS, onde lá no Departamento de Atenção e Urgência Hospitalar (DAHU), tem esse projeto que é para reduzir a superlotação nas emergências dos hospitais públicos. A nossa expectativa é que vamos ter bons resultados aqui, nesse hospital que atende uma parcela gigantesca da população de Sergipe”, enfatizou o Assessor do gabinete da DAHU do Ministério da Saúde, Olavo Braga.

O superintendente do Huse, Walter Pinheiro, participou do evento e explicou como esse primeiro encontro vai funcionar. “Os técnicos vão replicar as informações, as ferramentas, além das estratégias e hoje provavelmente vamos ter trabalho de campo dentro do pronto socorro para ter diagnóstico que já está desenhado. A partir daí vamos começar a implementar algumas medidas que vão nos ajudar na questão da superlotação”, disse.

Para o engenheiro de produção especialista na metodologia Lean, Jean Kleber Chin, a equipe está motivada e tem tudo para dar certo. “As dores são parecidas por onde a gente passa, a equipe está motivada, a gente ainda não conseguiu visitar o pronto socorro para entender como é a realidade, mas o breve que foi passado, o panorama geral é favorável para o projeto e tem tudo para dar certo. O foco é no pronto socorro, mas acaba envolvendo outras áreas, vão ter ações na farmácia, enfermaria que vão ajudar também no pronto socorro”, pontuou.

A gerente da UTI Cirúrgica do Huse, Neila Fróes, participou do projeto e falou da expectativa na condução dos processos de trabalho. “Estou muito feliz e cheia de esperança, a metodologia do Lean será de suma importância para nos ajudar a conduzir ainda melhor os nossos processos de trabalho. As ferramentas vão nos auxiliar na redução da permanência, da superlotação e consequentemente melhor qualidade de assistência para a população”, finalizou.

Informações e foto SES

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Polícia já tem suspeito do roubo das joias de Ana Alves, que inclui anel do seu pai, e já vai ouví-lo
Seduc convoca 57 educadores profissionais aprovados em seleção para cursos técnicos
Sergipe recebe mais de 67 mil vacinas para aplicação em primeira e segunda doses
Luciano Bispo diz que PDES revela potencialidades para investimentos