Aracaju, 21 de setembro de 2021

Crea-SE e Abemec-SE promovem debate sobre aplicação das Normas que garantem qualidade do ar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A ausência de renovação do ar em ambientes fechados acende um sinal de alerta, principalmente no momento atual da pandemia do Covid-19 e traz para discussão a importância da aplicação do Plano de Operação e Controle (PMOC) que prevê a manutenção dos aparelhos Condicionadores de Ar. O assunto foi tema de um amplo debate realizado nesta quarta-feira (18) na sede do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (Crea-SE).

“Cada estabelecimento comercial ou público que tiver instalado aparelhos CA’s com capacidade de refrigeração acima de 60.000 BTU/h deverá ter o PMOC, que requer um responsável técnico -um engenheiro mecânico- para elaborar o plano e realizar as manutenções preventivas e corretivas dos aparelhos e dutos de distribuição do ar”. É o que explica o Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Mecânica e Metalúrgica do Crea-SC, o Mestre em Design em Qualidade do Ar Interior, engenheiro mecânico, Osny do Amaral Filho que veio a Aracaju ministrar palestra sobre “Qualidade do ar em ambientes climatizados e Biossegurança”.

O evento realizado de forma híbrida foi promovido pela Associação de Engenharia Mecânica e Industrial de Sergipe (ABEMEC-SE) com o apoio do Crea-SE. Em sua apresentação, Osny Amaral foi enfático ao afirmar que a falta de informação no que se refere à manutenção, cumprimento das leis e normas existentes, impactam diretamente na qualidade de vida e saúde da população.

“A qualidade do ar interior é regulamentada pela Lei Federal 13.589/18 que estabeleceu a aplicação do PMOC. Além disso, há Normas e Resoluções que tratam do tema, ou seja, não faltam regulamentações para o correto funcionamento, garantia do bem-estar e biossegurança dos ambientes climatizados”. É que o avalia Osny Amaral que encerrou a palestra reforçando a responsabilidade dos profissionais de engenharia no bem-estar e saúde da população. “Como engenheiros conhecemos as técnicas e as normas e, por isso, cabe a nós aplicarmos para garantir ambientes adequados e saudáveis para todos”, disse.

Para o presidente do Crea-SE, engenheiro civil Jorge Roberto Silveira o debate sobre a qualidade do ar é de grande relevância, principalmente no atual contexto de crise sanitária causada pela pandemia do Covid-19. “É uma questão de saúde pública, sendo fundamental que Normas e Regulamentações sejam aplicadas, entre elas a contratação de profissionais qualificados para instalação e manutenção de equipamentos de ar”, disse o presidente.

“Trazer para a discussão a valorização da qualidade do ar foi uma necessidade. É preciso informar e orientar sobre a questão”, ressalta o presidente da Associação de Engenharia Mecânica e Industrial de Sergipe (ABEMEC-SE), engenheiro mecânico, Enéas Francelino Santos de Vasconcellos.

O evento contou com representantes da Adema; Vigilância Sanitária Estadual; Mútua (Caixa de Assistência dos Profissionais dos Creas); Associação Sergipana dos Engenheiros de Segurança do Trabalho (ASEEST); Colégio de Entidades do Crea-SE; conselheiros, profissionais do Sistema e servidores.

Foto assessoria

Por Íris Valéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergipe sem óbito por Covid nesta segunda e 32 novos casos
Aumento expressivos de assaltos, uso e tráfico de drogas na praia da Cinelândia em Aracaju
Juma de ‘Pantanal’: Alanis Guillen revela reação à notícia, detalha preparação
Juliette revela temor no ‘BBB21’: ‘O impulso inicial é devorar, julgar, e isso me dava medo’