Aracaju, 27 de setembro de 2021

CUT Sergipe entrega à UFS Moção de Apoio ao Professor Ilzver de Matos Oliveira

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Deputados em Diligência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal à UFS também receberam a moção manifestando apoio da luta sindical contra o racismo institucional

Por: Iracema Corso

A Moção de Apoio ao Professor Ilzver de Matos Oliveira, aprovada na 16ª Plenária Estatutária da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) foi entregue ao reitor da UFS Valter Joviniano durante a Diligência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, representada pelos deputados federais Carlos Veras (PT/PE) e João Daniel (PT/SE), na quinta-feira, 19 de agosto.

O professor Fernando Gramoza, representante da UNEGRO, acompanhou a diligência e fez a entrega da Moção de Apoio da CUT Sergipe. Segundo Gramoza, a diligência foi necessária para obter informações sobre o processo da nomeação e posse do doutor Ilzver, selecionado para a vaga de professor do Departamento de Direito da UFS. O professor Fernando explicou que o prazo do concurso da UFS já ia expirar, mas a universidade estendeu por mais um ano para que haja tempo de resolver a questão.

“Fomos informados de que tem um prazo de 15 dias para a nomeação do professor Ilzver, após o parecer do Conselho Universitário, emitido no dia 14 de agosto. Até o dia 29 de agosto, a Universidade terá que nomear o professor Ilzver. Mesmo que após a nomeação de Ilzver, apareçam outros trâmites judiciais, pois o professor Usiel, do Departamento de Ciências Contábeis de Itabaiana, entrou na Justiça requerendo a vaga”, explicou Gramoza.

Secretária de Combate ao Racismo da CUT/SE, Arlete Silva, não pôde acompanhar a Diligência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal porque aconteceu no mesmo horário da assembleia geral do SINTESE. Arlete Silva avaliou que a união do movimento sindical e do movimento social de Sergipe é muito importante para impedir que seja praticada hoje, amanhã e sempre a injustiça secular do racismo institucional.

Ainda na quinta-feira, outra diligência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal aconteceu no prédio da Defensoria Pública da União para tratar das ilegalidades cometidas durante a Reintegração de Posse da Ocupação João Mulungu, no dia 24 de maio, em Aracaju.

Foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Prazo para MEI regularizar débitos com a Receita termina dia 30
Plano de Desenvolvimento Econômico será apresentado no município de Estância
Gracinha Garcez é empossada como deputada estadual na Alese nesta segunda
Estado inicia pagamento dos servidores públicos nesta quarta-feira, dia 29