Aracaju, 17 de setembro de 2021

Secretaria de Saúde apresenta panorama da pandemia no I Seminário Estadual de Enfrentamento à Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

I Seminário Estadual de Enfrentamento a Covid-19: perspectivas e desafios, promovido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), teve a abertura oficial na noite da última quinta-feira, 19, e continua com programação na tarde desta sexta, 20. O evento foi transmitido on-line, mas contou com a presença de profissionais e representantes de órgão ligados à Saúde.

A Secretária da SES, Mércia Feitosa, compôs a mesa ao lado de Enock Ribeiro, presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Sergipe (Cosems) e da diretora geral da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), Lavínia Aragão. “A gente fica muito feliz enquanto escola de saúde pública em contribuir com essa importante e necessária reflexão nesse momento de enfrentamento à Covid, a partir dessas mesas, desses momentos de discussão, a gente poder estar paralelamente, qualificando todos os profissionais que atuam na rede SUS de Sergipe e, consequentemente, de fortalecimento da política estadual de educação permanente em Saúde”, compartilha a diretora da Funesa, a fundação foi responsável pela organização do seminário.

Para o representante dos Secretários Municipais de Saúde de Sergipe, Enock Ribeiro, “É importante esse seminário porque teremos um panorama estadual e nacional, sobretudo, num momento positivo para o nosso estado com os resultados da campanhas de imunização e os municípios sergipanos avançando para vacinar a faixa-etária dos 18 anos”, ressalta Enock.

A secretária estadual de saúde, registrou a relevância do seminário. “É muito importante o que apresentaremos na noite de hoje, estamos falando do enfrentamento da Covid num momento em que o estado está num cenário significativamente satisfatório. Passamos por uma segunda onda com grande magnitude, que teve um impacto na rede, nos municípios e nós, há dez semanas, estamos apresentando declínio nos casos, internações e óbitos. É um cenário que almejamos chegar. A gente caminhou todo esse tempo para alcançar esse objetivo hoje”, disse a secretária nos momentos iniciais.

O diretor de Vigilância em Saúde da SES, Marco Aurélio Góes, esteve presente na condição de ouvinte e explicou o que deve ser observado no panorama atual. “O nosso panorama, de modo geral, inclui uma melhoria da situação, temos avançado na vacinação, contudo, temos a ameaça de novas variantes. Então, a partir do passado, precisamos pensar o contexto atual e quais perspectivas devemos tomar para enfrentar possíveis novos cenários que possam surgir. Toda pandemia é um grande aprendizado e também uma oportunidade de colocar em prática as técnicas e conhecimentos que se tem sobre esse tema. Tudo o que trilhamos até aqui, cientificamente falando, nos traz fortaleza maior para que nossos passos se baseiam em evidências”, salientou o diretor.

João Paulo Brito, diretor de Atenção Primária à saúde da SES, que também estava na plateia, sente que momentos como o seminário são fundamentais como medidas de prevenção. “A pandemia nos coloca diante de novos paradigmas o tempo todo, sejam eles assistenciais ou de vigilância. É necessário mantermos a todo momento um conjunto de discussões, reflexões e articulações com o maior número de atores possíveis para que a gente possa enfrentar a pandemia e conter as suas consequências. Sair desse processo, que já vem desgastando a nossa população há mais de um ano, com uma nova perspectiva que inclui aprendizados com novas tecnologias nos nossos serviços”, enfatiza.

O evento contou ainda com a participação remota de Cláudio Maierovitch Henriques, representante da Fiocruz, que fez uma análise da situação política da pandemia e os aspectos polarizantes que podem ter contribuído para o quadro atual do país. E do Superintendente estadual do Ministério da Saúde (MS), Tiago Rangel, que parabenizou o trabalho realizado pela Secretaria de Estado da Saúde no enfrentamento à Covid. Ele pontuou que o seminário é essencial ainda para que a população tenha ainda mais consciência sobre a importância da vacinação.

Mesmo diante do otimismo frente ao panorama da pandemia em Sergipe, a Secretária Mércia Feitosa, ressaltou que a população não deve relaxar as medidas sanitárias. “A pandemia não acabou, está num cenário epidemiológico com uma condição favorável no momento, por isso, viemos aqui discutir o seu enfrentamento a partir de agora e pensar o pós-covid também”, ratificou para deixar a população consciente de que, mudar a situação depende da coparticipação de todos e todas.

Fotos: Flávia Pacheco

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Hospital Cirurgia realiza ação para comemorar Dia Mundial da Segurança do Paciente
Preço médio do óleo diesel segue em alta no início do mês de setembro e litro se aproxima de R$ 5,00, aponta Ticket Log
Sergipe mantém vacinação dos adolescentes de 12 a 17 anos, priorizando portadores comorbidades
Município e Estado se reúnem para definir regras de retomada de público nos estádios