Aracaju, 17 de setembro de 2021

Vereador critica Hospital Universitário da cidade de Lagarto

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Nas últimas duas sessões legislativas da Câmara Municipal de Lagarto, o vereador Gordinho de Jorge da Laranja (Solidariedade) tem usado o pequeno expediente para destacar a situação da saúde no município, principalmente em relação à falhas no atendimento do Hospital Universitário de Lagarto, administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Primeiro, o parlamentar exibiu vídeos do ex-vereador Clayton Moore denunciando a falta de médicos no Hospital Universitário de Lagarto. Na ocasião, Clayton acompanhava o pai, que diante das dificuldades de atendimento no município, teve de ser transferido para a capital diante de um quadro de infarto.

“Senhores, vejam o quanto o Hospital Regional recebe atualmente de contrato do convênio com o estado: 16 milhões e 200 mil. Isso com a Ebserh. Quando a administração do Hospital era sob comando da Fundação [Hospitalar de Saúde], o valor recebido era de 5 milhões! Nós somos representantes do povo de Lagarto, nós representamos mais de 100 mil habitantes. E os senhores não tem ideia do caos que está acontecendo”, comentou.

Em sua explanação, Gordinho destacou ainda que o Hospital Ebserh tem um convênio com o estado para o atendimento porta aberta.

“Tenham ideia da gravidade desse caso! Quantos e quantos lagartenses chegam na porta daquele hospital e estão sendo destratados, são desprezados? O hospital tem um recurso enorme, diz que é porta aberta e manda os pacientes para UBS, que não tem suporte. O hospital fica tratando o paciente como se ele não tivesse o direito de ser atendido”, disse.

E continuou “nós vamos debater esse assunto, eles têm que respeitar o dinheiro do povo, têm que respeitar a nossa cidade. As pessoas estão morrendo! É muito triste!”.

Durante aparte, o presidente da Casa Legislativa, Amilton Fontes (PSC), destacou a importância da Clínica de Saúde da Família José Maroto, que tem capacidade de atender casos de baixa complexidade, evitando que os pacientes cheguem ao hospital.

“Hoje a culpa não pode ser jogada para a atenção básica do município. A clínica está dando esse suporte, mas quando a gente chega no hospital, esperando atendimento de urgência e emergência, não estamos tendo. Isso está virando rotineiro”, criticou.

Em seu discurso seguinte, também no pequeno expediente, o vereador Gordinho de Jorge da Laranja ressaltou o descumprimento da classificação de tempo de espera de atendimento. Além disso, também exibiu vídeo de uma cidadã que foi ao Hospital Universitário de Lagarto com o pai acidentado, e o mesmo não recebeu atendimento ou, pelo menos, a classificação do quadro. O parlamentar mostrou, inclusive, a denúncia protocolada pela lagartense.

“Vamos solicitar audiências públicas, já que esses órgãos subestimam a nossa inteligência. Vamos sugerir que faça-se um conselho local, com poder deliberativo, com representantes da secretaria de saúde de Lagarto, de Riachão, de Simão Dias, de Poço Verde, com todos os representantes, da sociedade e dessa Casa”, afirmou.

De acordo com o presidente da Casa, Amilton Fontes, já foi solicitada à administração do hospital a escala médica mensal, as possíveis faltas desses profissionais e justificativas. Além disso, uma audiência pública também será convocada.

Fonte: Ascom CML.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergipe registra 1 morte nesta sexta, depois de 6 dias sem óbitos
Doações de órgão: chances dos sergipanos precisarem de transplante são bem maiores
Hospital Cirurgia realiza ação para comemorar Dia Mundial da Segurança do Paciente
Preço médio do óleo diesel segue em alta no início do mês de setembro e litro se aproxima de R$ 5,00, aponta Ticket Log