Aracaju, 21 de setembro de 2021

Belivaldo se irrita com boatos, diz que não governa sob pressão e não vai utilizar o “caça às bruxas”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Por Diógenes Brayner

– O governador Belivaldo Chagas (PSD) não vai por em prática ações políticas de promover demissões em seu Governo, de pessoas que estejam servindo ao Estado com competência, em razão de posições políticas, disse neste domingo (22), por telefone ao Faxaju Online, um dos seus mais próximos auxiliares.

Segundo ainda o mesmo auxiliar, falta muito tempo para decisões de candidaturas e o Governo não fará nenhum tipo de meio que caracterize perseguições, em razão de uma candidatura exclusiva do grupo que o apoia, mesmo que jamais deixe de fortalecer a sua base aliada e adotar posições favoráveis ao candidato do bloco, depois das conversas decisivas e da escolha.

Sobre exoneração – O auxiliar deu como exemplo o afastamento do secretário da Agricultura. André Bomfim, e a nomeação do ex-deputado Zeca da Silva para o seu lugar: havia necessidade de uma reforma na área, mas jamais um tipo de “caça às bruxas”, porque André fora indicado pelo deputado federal João Daniel, presidente do PT em Sergipe.

Antes da exoneração, o governador Belivaldo Chagas e o deputado João Daniel tiveram uma conversa de duas horas, onde foi tratado sobre o afastamento de André Bomfim, e não houve nenhum atrito ou desentendimento sobre isso. O próprio João Daniel declarou que mantém bom relacionamento com o governador Belivaldo Chagas, com quem sempre se deu politicamente.

O assessor do Governo disse que André Bomfim não deixará o Governo e vai assumir uma assessoria na Superintendência de Planejamento e Gestão, vinculada à Secretaria Geral de Governo, e que participará ativamente da administração, independentemente de posição político partidária.

Manter tranquilidade – O governador Belivaldo Chagas (PSD) quer manter tranquilidade na base aliada, para evitar desentendimentos futuros, já que o bom entrosamento entre os partidos que a compõem não pode ser alterado. O assessor lembrou que Belivaldo Chagas é governador de todos e não faz distinções para solucionar problemas do Estado.

A fonte lembrou que na quinta-feira (19), o governador recebeu em seu gabinete o deputado federal Laércio Oliveira (PP) – que se anuncia como candidato a governador – junto com três lideranças do interior, para tratar sobre o município e fazer reivindicações: “se a qualquer momento o senador Rogério Carvalho (PT) – também candidato a governador – solicitar audiência para tratar sobre reivindicações regionais, juntos com seus aliados, Belivaldo também o atenderá, com a mesma presteza e respeito, exatamente porque é o governador e não pode se negar a discutir coisas de Sergipe”.

Mentiras irritam – O assessor acrescentou que o governador Belivaldo Chagas tem se irritados com informações falsas de demissões que não estão programadas para acontecer. Acrescentou que dia desses, através dos grupos sociais, foi publicada matéria – que se alastrou por setores da imprensa – de que a secretária da Saúde, Mércia Feitosa, seria demitida do cargo.

– Isso irritou muito o governador Belivaldo Chagas, que desmentiu a informação por várias vezes, disse o assessor, acrescentando que Belivaldo deixou claro que “não passa por sua cabeça demissão de Mércia, por considerá-la competente e realizar um excelente trabalho à frente da Pasta, principalmente durante todo esse período de Pandemia. Mércia só sai se ela quiser”, teria dito o governador.

Belivaldo também estaria preocupado com uma certa pressão de líderes da base aliada, que trabalham para ocupar cargos ocupados por petistas e já disse que há necessidade de calma e que o governador não vai se curvar a pressões que produzam algum efeito negativo à sua administração.

Demissão de Christian – Ainda de forma interna, mas com uma certa consistência, tem liderança da base que quer a “cabeça do presidente do Ipes, o médico Christian Oliveira para indicação de um outro nome integrante de seu partido”. A mesma fonte deixou bem claro que ouviu de Belivaldo que não “demitirei Christian Oliveira do Ipes, porque ele vem realizado um trabalho estruturante no Instituto, nas áreas de atendimento hospitalar e médico”.

Belivaldo ainda teria dito que não fará a demissão de ninguém que esteja cumprindo o seu trabalho com absoluta competência no Estado – voltando a citar Christian – apenas para satisfazer interesse políticos: “tenho responsabilidade com o povo de Sergipe e não posso atuar com politicagem”, teria dito o governador.

Quanto às eleições estaduais, quando se dará a sua sucessão, ainda segundo o assessor, Belivaldo vai conversar com as bases aliadas entre a segunda quinzena de setembro e a primeira semana de outubro, para chegar a uma conclusão sobre candidatura, ouvindo as bases e avaliando a sugestão da maioria. Através dessa ação é que chegará aos melhores nomes para formação da chapa majoritária.

Para finalizar, o assessor disse que o governador não está preocupado e nem pode impedir que os nomes apresentados como prováveis candidatos se apresentem à sociedade, façam campanhas internas e consiga a indicação da maioria. Isso faz parte do jogo: “daí a ser o candidato do grupo, indicado por Belivaldo, vai depender das conversas, da indicação da maioria e da avaliação política feita pela liderança da base, que é o governador.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

HNSC promove palestra sobre Setembro Amarelo a servidores e pacientes
Servidores públicos reconhecem a atuação de Fábio Henrique contra a Reforma Administrativa
Sergipe: Sindicatos pedem que deputados digam não à reforma Administrativa
Sergipe recebeu 30.500 doses da AstraZeneca nesta terça-feira, 21