Aracaju, 7 de dezembro de 2021

Programação cultural de 18 horas humaniza e festeja vacinação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Imunização, sorrisos, clima de festa. Foi assim que os jovens de 19 e 18 anos atenderam ao chamado da Prefeitura de Aracaju para se vacinarem contra a covid-19 neste domingo, 22, concluindo a aplicação da primeira dose na população adulta da capital sergipana. Além da imunização, a Prefeitura garantiu ritmo de celebração, com apresentações musicais, teatral e uma série de atividades voltadas para as áreas do esporte e de orientação para o mercado de trabalho.

Assim como no último sábado, 21, a programação especial se repetiu neste domingo, 22, no drive-thru do Parque da Sementeira, no bairro Jardins, e no Estação Cidadania, no bairro Bugio. Nos dois dias, a Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju) preparou uma programação cultural de aproximadamente 18 horas, com 12 DJs e um coletivo teatral.

Neste domingo, a música foi comandada pelos DJs Haroldo, Lure, Kaska Global Beats, Raul Meneleu, Kay e JJ, nos dois locais de vacinação. O Coletivo Aldeia Circo, com o espetáculo Filhas Peixe, também garantiu o entretenimento do público. As atrações são oriundas de projetos executados pela Funcaju, com recursos da Lei Aldir Blanc.

Para o DJ JJ, voltar a se apresentar para o público, coroando esse momento importante da imunização da população, tem um sabor especial. “Esses últimos dois anos foram muito complicados, mas foi também um momento importante para a nossa parte artística, porque como a gente não se apresentou, conseguimos desenvolver nossa personalidade criativa. Agora, estamos num momento em que as coisas estão dando sinal de luz. Retornar vacinando as pessoas, transformando o que nutrimos dentro da pandemia nessa apresentação, é importante. Estou feliz por participar disso e espero em breve voltar a tocar para multidões, com todo mundo junto e apertado”, pontuou o músico.

Feliz com o resultado das ações promovidas ao longo dos últimos dois dias, o presidente da Funcaju, Luciano Correia, acredita em novas uniões entre cultura e imunização. “A vacinação virou um movimento cívico nacional que, por ser a principal medida de enfrentamento à pandemia, é comemorada por todos os que são imunizados. Assim, levar uma atividade lúdica para essas ações fortalece a importância da campanha e faz da vacinação uma verdadeira festa”, registrou.

Quem também comandou uma parte do som neste domingo foi o DJ Haroldo, que esteve no Estação Cidadania. “Estarmos voltando às atividades, é muito bom. São quase dois anos parados, sem atividade, sem renda, e para quem sobrevive de eventos, sofremos muito. Estar voltando ao trabalho e participando desse evento, interagindo com o pessoal que está se vacinando, é legal, importante e uma oportunidade para a gente, já que podemos mostrar nosso trabalho, criando contatos e abrindo novos mercados”, enalteceu.

Quem também comemorou a oportunidade foi o DJ Kay. “Fico muito feliz de ter recebido o convite desse projeto. Fomos os primeiros a parar e estamos sendo os últimos a voltar, mas está sendo uma volta extraordinária. Para que isso continue assim, é preciso continuar vacinando a população. Então, vacina sim!”, finaliza o artista.

Ações

A programação do sábado e do domingo reuniu ações esportivas, musicais e de orientação para o mercado de trabalho, numa parceria entre as Secretarias Municipais da Saúde (SMS), da Juventude e do Esporte (Sejesp), da Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat) e da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), e contam com apoio logístico da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e Guarda Municipal (GMA).

Foto: Ascom Funcaju

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Deputados aprovam na Alese a continuidade do Programa Educação Mais Conectada, da Seduc
Janier Mota, em carta aberta, anuncia que não disputará reeleição em 2022 e relata os motivos
Deputados se reúnem com os representantes das empresas Sunoak e Elektsolar
Zezinho Sobral defende criação do “CNH Social” para  sergipanos de baixa renda