Aracaju, 26 de setembro de 2021

Rogério ao DCM: Bolsonaro é um ‘maloqueiro do cabrunco’

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Em entrevista ao programa DCM, ao meio dia desta segunda-feira (23), o senador Rogério Carvalho (PT-SE) fez duras críticas ao governo Bolsonaro, a quem classificou como uma pessoa sem limites e como um pária internacional. O senador petista também avaliou que o Bolsonaro não tem força para dar um golpe de estado e analisou o andamento dos trabalhos da CPI da Pandemia.

“Ele é um maloqueiro do cabrunco. É o que lá em Sergipe, lá em Lagarto na minha cidade, a gente costuma falar: Bolsonaro é um maloqueiro do cabrunco, ou seja, ele não tem compromisso, não tem responsabilidade com nada”, disparou o senador Rogério ao ser questionado pelo jornalista Kiko Nogueira sobre os limites de Bolsonaro para testar a democracia brasileira.

Segundo o senador sergipano, Bolsonaro irá continuar tensionando as relações de forma desrespeitosa e irresponsável, sem entender que ele está promovendo a conflagração de algo que pode se tornar incontrolável.

“Ele está mexendo com algo muito perigoso. Então, não acredito que as Forças Armadas vão fugir da regra constitucional, vão se insubordinar a nossa Constituição, se insubordinar a este ou aquele poder, nem se subordinar a este ou aquele poder, fora da letra da nossa carta política, que é a Constituição Federal”, avaliou.

O parlamentar destacou que não há espaço no mundo para aventuras golpistas lideradas por párias universais, como é o caso de Bolsonaro.

“Ele é uma pessoa mal vista e proscrita, em medicina proscrito é aquilo que a gente não recomenda, é uma pessoa não recomendada, ele é um líder não recomendado, que reconhecidamente investe, que incentiva a destruição do meio ambiente, que é contra os direitos humanos, é racista, é fascista, tem posições nazifascista no que diz respeito à condução da vida e do respeito à vida. É uma pessoa que não tem no mundo nenhum tipo amparo”, argumentou.

O senador recordou que Bolsonaro apareceu publicamente com líderes do partido nazista alemão, o que o torna uma figura deplorável para os líderes mundiais e para a civilização mundial.

O Bolsonaro é uma ameaça ao processo civilizatório global, portanto, ele mão teria guarita para aqui no Brasil comandar com mão de ferro este país, não teria amparo, ainda que isso, pudesse interessar geopoliticamente aos Estados Unidos, por conta da subserviência que ele demonstra ter aquele país”, disse.

Ainda segundo o senador Rogério Carvalho, o Brasil está muito mal parado no governo Bolsonaro, ou seja, sem amparo, mal acompanhado por um governo que largou a população a própria sorte.

“Um governo que não tem caminho na economia, um governo que não tem caminho no combate a pandemia, o governo do desemprego, da fome, o governo do fechamento de milhares de empresas e de indústrias, ou seja, um governo autoritário, perseguidor, que agride o analista, que agride o estado democrático de direto, que agride as instituições”, explicou

Para o senador o país atravessa uma situação muito difícil e é preciso juntar forças para superar esse momento.

“Espero que a gente tenha maturidade para ter todas as forças que têm algum respeito pela democracia, pela vida, pelos direitos, que nós conquistamos ao longo de uma história de existência do nosso país”, disse.

O parlamentar destacou também que desde o governo Temer, com a PEC 95 que instituiu o teto de gastos, esses direitos vêm sendo destruídos.

“Nós estamos com R$1,6 trilhão na conta e não podemos gastar por causa dessa emenda constitucional, que não deixa fazer obra, que não libera dinheiro para a saúde, que não libera dinheiro pra nada, ou seja, nós estamos precisando na verdade de mudança rápidas no Brasil com o foco no desenvolvimento, na geração de riqueza, na geração de emprego, na geração de renda e na retomada do prestígio internacional que o Brasil perdeu”, defendeu.

Sobre a CPI – Ao tratar da CPI da Pandemia, o senador petista voltou a dizer que o crime de Bolsonaro contra a vida já está comprovado e que acredita que o relatório final deve ser apresentado no máximo até o início de outubro.  Ele destacou que o deputado federal Ricardo Barros está envolvido em todos os casos de compra de vacinas com intermediários pelo Ministério da Saúde em que há indícios de irregularidades, que também devem constar no relatório.

O camarada é muito bem relacionado. É, por isso, que ele é líder do governo, que diz que não tem corrupção no governo dele”, finalizou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergipe recebeu neste sábado 10.250 doses de vacina contra covid-19, da AstraZeneca
Polícia prende mulher que praticou roubo de motocicleta no Bugio
Enock Ribeiro, secretário Socorro, recebe Título de Cidadão Sergipano
Eliane participa reunião com articuladores do Selo UNICEF