Aracaju, 19 de setembro de 2021

PL de Luciano Pimentel declara Filarmônica Lira Sant’Ana de Simão Dias como Patrimônio de Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Com mais de 100 anos de história, a Associação Musical Filarmônica Lira Sant’Ana, do município de Simão Dias, deve ser reconhecida como Patrimônio Cultural e Imaterial de Sergipe. A propositura foi apresentada pelo deputado estadual Luciano Pimentel, por meio do Projeto de Lei nº 194/2021, e aprovada nesta quarta-feira, 25, no plenário da Assembleia Legislativa.

De acordo com o parlamentar, a Filarmônica Lira Sant’Ana é uma instituição que cumpre um importante papel social, promovendo a iniciação musical de crianças, adolescentes e jovens, além de atuar como agente de formação profissionalizante.

“Diversas são as histórias de resistência e superação dos integrantes, marcas que definem a longevidade expressiva da Filarmônica Lira Sant’Ana e sua contribuição na formação social de cidadãos conscientes dos seus direitos e deveres. Nesse contexto, torná-la um patrimônio sergipano é uma forma de enaltecer a trajetória desta entidade e a dedicação dos seus membros à preservação das manifestações culturais de Simão Dias”, ressalta Luciano Pimentel no PL.

História da Lira

Segundo o professor Davi Soares, diretor cultural da Associação de 2007-2020, o Livro de Atos da Intendência de Annápolis (antiga denominação de Simão Dias), de 1932 a 1939, comprova a existência da banda de música que deu origem a Filarmônica Lira Sant’Ana em 1892.

Fundada pelo comerciante José Pinto, a Banda de Música Lira Pinto foi posteriormente denominada de Lira Sant’Ana, por sugestão do pároco local, e regida pelo maestro Manoel Sinfrônio do Nascimento, o Manoel Saboeiro.

A nova fase da Lira Sant’Ana iniciou com os esforços do comerciante Domingos dos Santos, que fundou novamente e entregou a regência ao Maestro Raimundo Macedo Freitas. Com a morte de Domingos dos Santos, coube ao ilustre médico Manoel Salustino Neto a presidência da Filarmônica.

Na década de 90, a Banda Filarmônica “Lira Sant’Ana” passou a ser conduzida pelo maestro José Castro e Silva, exemplo de amor à Filarmônica e a Simão Dias.

Com o falecimento do Maestro José Castro e Silva, o musicista João de Souza Cruz (Biller), integrante da instituição desde 1982, assumiu a batuta em novembro de 2004 com um quadro de 45 músicos.

Assessoria Parlamentar

Foto: Jadilson Simões

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Chega a Sergipe neste domingo mais de 106 mil doses de Pfizer
Capitania dos Portos de Sergipe abre processo seletivo
Mulher é presa em flagrante pelo Denarc com centenas de munições, fuzil e drogas
Prefeitura realiza quarta edição especial do Programa Praia Limpa