Aracaju, 19 de setembro de 2021

Seduc lança ciclo de formação continuada para professores

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Com o tema “Educação Infantil em cenário de Pandemia: Desafios e Possibilidades”, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), por meio da Assessoria de Colaboração e Assistência aos Municípios (Ascam), lançou nessa terça-feira, 24, em transmissão no YouTube Educação Sergipe, o II Ciclo Formativo do Programa Alfabetizar pra Valer (PAPV), cujo material de estudo se alinha com as atuais proposições da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e ao Currículo de Sergipe.

Estruturado em encontros síncronos e assíncronos, que, ao todo, somam 60 horas de formação, o II Ciclo Formativo tem um caráter contínuo, ou seja, as temáticas estão divididas didaticamente, mas articuladas, tendo em vista a homologia do processo formativo. A ação visa a contribuir para a (re)signficação da prática, coerente com os princípios éticos, políticos e estéticos e com o compromisso com a formação integral das crianças, fundamentada nas relações socioemocionais, solidárias e éticas.

O secretário da Seduc, professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, salientou que o Programa Alfabetizar pra Valer é uma prioridade desta gestão. “Não alfabetizar as crianças na idade certa significa condená-las a uma trajetória escolar com muitos percalços. O nosso estado, não apenas na rede estadual, mas também das redes municipais, tem um histórico de imensa dificuldade, e foi a partir desses diagnósticos, da observação de experiências exitosas, que o programa foi inspirado”. Na ocasião, o gestor estadual também agradeceu aos 74 municípios que aderiram ao PAPV.

Para a presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, seccional Sergipe (Undime/SE), professora Quitéria Barros, é fundamental compreender o protagonismo dos professores em qualquer etapa da educação básica, especialmente os profissionais que atuam no processo de alfabetização das crianças. “Se havia alguma discussão, hoje temos uma constatação de que não há equipamento que substitui o professor em sua sala de aula, nas interações com seus alunos, na coordenação das interações dos alunos com seus pares, aprendendo a conviver, a partilhar e construir juntos”, disse ela, reforçando a importância do regime de colaboração dos municípios com o Estado.

A diretora da Ascam, professora Andrea Dantas, reforçou que o escopo do programa foi pensado para ser trabalhado de forma continuada, “ou seja, a gente não finda com as nossas formações. Essa é nossa perspectiva enquanto Programa Alfabetizar pra Valer. Nós temos como público não só as turmas de 1º e 2º anos do Ensino Fundamental, mas também as turmas de Educação Infantil, e agora, com exceção das turmas do 3º ano, a gente tem salientado em nossos encontros que o fato de termos incluído as turmas de terceiros anos não significa que o ciclo de alfabetização foi estendido. Muito pelo contrário, o ciclo acontece no primeiro e segundo anos, até os sete anos de idade, que é a idade certa. O fato de acrescentar os terceiros anos de forma extraordinária, que será este ano, ocorre por conta da pandemia e os danos que ela causou na educação das nossas crianças”.

O PAPV da Educação Sergipe ocorre em parceria com o Programa de Alfabetização em Regime de Colaboração (Parc), iniciativa da Associação Bem Comum, Instituto Natura e Fundação Lemann. A diretora da parceria da alfabetização em regime de colaboração, Conceição Ávila , destaca que essa aliança é um marco importante para garantir a efetiva alfabetização das crianças na idade certa. O Parc tem como objetivo possibilitar um salto no número de alunos alfabetizados na idade certa, por meio do apoio às Secretarias Estaduais de Educação, em uma iniciativa que abrange alunos do último ano da Educação Infantil e dos dois primeiros anos do Ensino Fundamental.

O lançamento da programação do ciclo formativo teve continuidade com a palestra “Diálogo sobre o uso de materiais diversificados na Educação Infantil”, da professora Ana Maura Tavares, consultora que apoiou a Seduc na construção do plano de formação continuada. Na oportunidade, ela apresentou a estrutura e as premissas da formação. “A educação infantil a partir de uma pedagogia da infância participativa mobiliza uma mudança paradigmática”, concluiu.

Assessoria de Comunicação da SEDUC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergipe receberá mais de 64 mil vacinas contra Covid-19
Prefeitura em Ação é realizado no Povoado Mata do Peru
Jovem é presa suspeita de tráfico de drogas no bairro Olaria
VacinAju: confira a programação da repescagem e dose de reforço do fim de semana