Aracaju, 21 de setembro de 2021

Volta às aulas presenciais é marcada pela transição do ensino remoto para o híbrido

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Informe publicitário

As escolas públicas estaduais localizadas no interior do estado também estão se empenhando durante o retorno das aulas presenciais para atender com segurança às crianças, jovens e adultos matriculados na Rede Pública Estadual de Ensino. Esse momento é marcado pela transição do ensino remoto para o ensino híbrido, cujo foco é o escalonamento de aulas presenciais e remotas de forma complementar.

Em Capela, território Leste Sergipano, as famílias mostram-se decididas ao enviar os filhos para a escola, ainda que permaneçam apreensivas com o cenário atual da pandemia. Na Escola Estadual Professora Maria Berenice Barreto Alves, dos 365 estudantes matriculados, apenas 13 permanecem no ensino remoto exclusivamente. Já no Colégio Estadual Coelho e Campos, no mesmo município, foi identificado que 80% dos 405 estudantes iniciaram a retomada de aulas presenciais. Assim como nas demais 322 unidades de ensino da Educação Estadual, o ensino híbrido é a tônica. As turmas comparecem às salas de aula de acordo com os grupos distribuídos em dias alternados.

A diretora da unidade Maria Berenice, Roseneide Souza de Santana, explica que o escalonamento funciona em dias alternados. “Nós temos aqui os grupos azul, amarelo e verde. Na segunda e quarta-feira, os alunos do 2° ao 5° vão até a escola assistir às aulas. E as turmas de 6° ao 9° ano fazem rodízio a cada semana no turno vespertino, sendo que na quarta semana eles ficam somente no ensino remoto”, disse, informando que cada grupo tem um cartão de identificação que deve estar junto ao material escolar.

O mesmo ocorre na unidade Coelho e Campos, na qual o escalonamento também é realizado em dias alternados. Em ambas as unidades, toda sexta-feira e sábado letivos estão reservados para aulas remotas, sem que haja o deslocamento para a escola nesses dois dias. Tanto Jicelia Freire S. Santos, gestora do Colégio Coelho e Campos, quanto Roseneide Souza de Santana agendaram as aulas remotas em todos os sábados até o encerramento do ano letivo. “Assim cumprimos 200 dias letivos, conforme as recomendações da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc)”, disse Roseneide, referindo-se ao Departamento de Inspeção Escolar, que promove a equalização do calendário escolar em toda a rede.

Melhorias na prática

Para realizar a adequação de todos os espaços escolares, o Governo de Sergipe viabilizou recursos oriundos do Programa de Transferência de Recursos Financeiros Diretamente às Escolas Públicas Estaduais (Profin). Na Escola Estadual Professora Maria Berenice Barreto Alves foram creditados R$ 32.280,00, e no Colégio Estadual Coelho e Campos o valor chegou a cerca de R$ 120.000,00 destinados somente para a aquisição de materiais e insumos de proteção individual e coletiva de estudantes e profissionais da educação no âmbito das escolas. Foram adquiridos tapetes sanitizantes, totens, equipamento de proteção individual, álcool em gel e líquido, luvas e diversos outros materiais fundamentais. Além disso, as duas unidades utilizam o transporte escolar para o deslocamento dos estudantes, de modo a assegurar a ida até a escola e, sobretudo, a segurança sanitária durante o translado.

Segundo Jicelia Freire S. Santos, gestora do Colégio Estadual Coelho e Campos, os recursos foram fundamentais para apresentar à comunidade escolar uma unidade de ensino preparada e atenta ao cenário atual de pandemia do novo coronavírus. Por isso, as mudanças estão por toda parte depois de realizadas as adaptações necessárias. “A Secretaria nos possibilitou organizar tudo, e as recomendações foram atendidas. Compramos o material, fizemos reuniões com professores, pais e responsáveis, e agora estamos aqui nesse momento que é de muita felicidade”, disse.

Luciana dos Santos Pires é professora recém-chegada à Escola Estadual Professora Maria Berenice Barreto Alves. Ela foi admitida por meio do Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto via edital referente à contratação de professor substituto para atuar na Rede Pública Estadual de Ensino, a fim de suprir a falta de profissional de carreira, em caráter temporário, ocasionada por afastamentos temporários legalmente previstos. Para ela, é um momento muito importante voltar para a sala de aula e poder olhar nos olhos de seus alunos. “Eu cheguei recentemente, pois sou professora substituta. Aqui na escola tudo está muito organizado, e consigo sentir segurança para estar em sala de aula junto aos meus alunos”, relatou.

Compromisso de todos

Sentada e organizando o material, a jovem estudante do 6º ano Vitória Gabriele Santos Melo não hesita ao contar sobre a imensa felicidade que é estar de volta à sala de aula. “Estou conhecendo minha professora pessoalmente agora, e isso é muito bom. Eu amo estudar e na escola consigo aprender muito mais”, disse.

Quando o assunto é a retomada de aulas presenciais, o professor José Oliveira Santana é um grande entusiasta. Professor do 5º ano do Colégio Estadual Coelho e Campos, estava paramentado com os equipamentos de proteção individual e brincou: “Estou me sentindo um médico com essa roupa toda, mas ao mesmo tempo muito feliz pela organização e preocupação do Governo de Sergipe com a nossa segurança, pois é nítido tudo o que foi realizado para esse momento. Aqui no colégio, tudo está sendo feito da melhor maneira possível para receber os alunos”, concluiu.

A alegria se estende para sua aluna Viviane Maria Moura dos Santos. Segundo ela, ao pisar na escola para participar das aulas presenciais na companhia dos colegas de classe, a sensação era de estar vivendo um dia que para sempre será inesquecível. “Para mim é o melhor dia da minha vida porque eu gosto tanto de estudar e na escola estou com meus colegas e professores. Vou continuar fazendo tudo o que tenho de fazer, como usar a máscara e álcool em gel, além de manter o distanciamento. Depois, quando puder, quero abraçar meus colegas”, contou feliz a estudante.

Josimary Moura de Santana anseia ver a filha com a mesma alegria das outras crianças que estão de volta à sala de aula. Por isso, ela compareceu à unidade Coelho e Campos para assinar o termo de compromisso que versa sobre o retorno presencial da filha Brenda Geovana Santana Santos. “A minha filha é muito dedicada aos estudos, e como a escola está bem organizada eu aceitei que ela voltasse porque já está na hora”, comentou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergipe: Sindicatos pedem que deputados digam não à reforma Administrativa
Sergipe recebeu 30.500 doses da AstraZeneca nesta terça-feira, 21
Simão Dias: Zezinho Sobral visita comunidades e recebe demandas dos povoados Caraíbas e Colônia
Beleza natural, gastronomia e passeios históricos chamam a atenção de turistas em Fernando de Noronha