Aracaju, 21 de setembro de 2021

[ITP] Representantes da Hebron vêm a Sergipe para conhecer processo de pesquisa do Ziclague(R)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Representantes comerciais da Hebron, indústria farmacêutica responsável pela confecção e venda do Ziclague, primeiro medicamento fitoterápico genuinamente nordestino, estiveram em Aracaju com o objetivo de conhecer o Instituto de Tecnologia e Pesquisa-ITP e o estudo desenvolvido pela pesquisadora Dra. Edna Aragão.

“A intenção é conhecer o processo de pesquisa para compreender a dimensão do medicamento que estamos vendendo. Particularmente escolhi trabalhar com o Ziclague porque é um produto que traz qualidade de vida, não só para o paciente, mas também para a família desse paciente. Isso traz um propósito de trabalho”, revela Marcelo Litrico, gerente de vendas nacional da Hebron.

Para o gerente distrital de vendas do laboratório, Jader Danilo Costa Silveira, experienciar a história do Ziclague e perceber os valores do produto sendo defendidos pela inventora, trouxe um outro olhar e novas perspectivas de negócios para a equipe.

“A nossa expectativa por conhecer a Dra. Edna, a mãe desse produto, já era alta. Depois de conhecer toda estrutura do local onde o Ziclague foi criado saímos com um ar de satisfação ainda maior. Esse produto é mais do que um medicamento. É a oferta de mudança do prognóstico de vida para o paciente e para a família. Saímos daqui realmente renovados”.

De acordo com o consultor João Davi de Moraes Cardoso, o compartilhamento de informações possibilitará traçar novas estratégias de venda do produto. “Acreditamos que quando não conhecemos a nossa história tendemos a andar em espiral. Conhecer a origem, verificar a dedicação, a estrutura do Instituto para o desenvolvimento deste trabalho, ouvir da própria pesquisadora sobre as suas expectativas quanto a aplicação, só aumenta a nossa motivação e nos oferta novas perspectivas de comercialização”.

O Ziclague, fitomedicamento patenteado no Brasil e no exterior, que está no mercado desde 2017, inaugurou um novo capítulo no tratamento de comprometimentos decorrentes de lesões do Sistema Nervoso Central.

“O reconhecimento do produto mostra o quanto a equipe de representantes está empenhada. Essa reunião trará bons frutos para além das questões comerciais. Vai possibilitar que mais pacientes e profissionais de saúde conheçam a proposta do Ziclague e tenham mais acesso ao medicamento”, expressou a Dra. Edna Aragão.

O encontro reuniu, além dos representantes comerciais da farmacêutica e a pesquisadora Profa.Dra. Edna Aragão, a analista de Inovação da Agência de Gestão da Inovação e Transferência do ITP, Ila Natielle Neres e o presidente do Instituto de Tecnologia de Pesquisa, Dr. Diego Menezes.

“O Ziclague que é empregado no tratamento da espasticidade, doença que compromete o sistema neuromotor, é uma tecnologia que surgiu na academia, com grande potencial para o mercado nacional e internacional. Nessa busca por novas tecnologias e aperfeiçoamento de processos, estamos trabalhando no reposicionamento desse medicamento”, conclui Dr. Diego Menezes.

Assessoria de Imprensa | ITP

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Manuel Marcos destaca importância do Plano Diretor de Aracaju
HNSC promove palestra sobre Setembro Amarelo a servidores e pacientes
Servidores públicos reconhecem a atuação de Fábio Henrique contra a Reforma Administrativa
Sergipe: Sindicatos pedem que deputados digam não à reforma Administrativa