Aracaju, 28 de setembro de 2021

Governo do Estado investiu mais de R$ 20 milhões na expansão da economia rural

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Informe publicitário

Mesmo com a pandemia da Covid-19, o Governo do Estado continuou investindo em projetos para incentivar a expansão da economia rural. Nestes últimos meses, foram cerca de R$ 20,5 milhões investidos para fortalecimento de diversas cadeias produtivas, como a milho, além de investimentos na plantação da palma forrageira, citricultura e no melhoramento genético do gado, por exemplo, dentre diversas outras ações.

 

Diversos programas também foram implantados e reformulados. Em 2020, o Governo do Estado investiu cerca de R$ 600 mil no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e mais R$ 500 mil em 2021. Além disso, foram injetados investimentos também no PAA Leite, que recebeu R$ 700 mil.

 

O PAA é uma das principais políticas de apoio e incentivo à agricultura familiar. O programa tem como objetivo atender famílias em situação de vulnerabilidade social e em estado de insegurança alimentar e nutricional, por meio da distribuição de alimentos adquiridos de agricultores familiares. O programa também fortalece o setor produtivo local, garantindo o escoamento da produção através da compra a preço justo de fornecedores prioritariamente agrupados em organizações fornecedoras ou inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais – CadÚnico.

 

Entre 2020 e 2021, houve também investimentos de R$ 430 mil em IATF; R$ 723 mil em distribuição de raquetes de Palma Forrageira, R$ 1,8 milhão nos programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e Leite (PAA-Leite), além de R$ 9 milhões em aquisição de equipamentos, bem como investimentos na ordem de R$ 7,8 milhões para acesso à água, através de projetos como Dom Távora, Água Para Todos, Água Doce, bem como convênios com o Incra, MDR, Seias, Seagri e Cohidro. Os investimentos totalizam cerca de R$ 20,5 milhões.

 

Outros investimentos

 

Além destes R$ 20,5 milhões, o Governo do Estado continuou investimento no setor, nos últimos meses do ano, quando prorrogou o benefício que reduz a alíquota do ICMS do milho em grão de 18% para 2%. O incentivo está em vigor desde outubro de 2019, possibilitando que grandes e médios produtores tenham maior competitividade na comercialização do milho em grão. De acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE, a safra de milho 2020 foi de 847.797 toneladas no estado. Segundo o mesmo levantamento, a estimativa para 2021 é de 908.600 toneladas de milho em Sergipe. Se a previsão se confirmar, será a maior safra da história do cultivo no estado, representando um aumento de 7.2% da

produção em relação ao ano de 2020. O recorde também será contabilizado no rendimento médio de 5.900 kg/ha, que significa maior produtividade. Esse resultado mantém Sergipe como 4º maior produtor do Nordeste e o 1º da região em produtividade.

 

A bacia leiteira do estado de Sergipe, que é a sexta maior em produtividade de leite no país, de acordo com dados divulgados em julho deste ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), também recebeu outros investimentos importantes. Neste mês de agosto, foi criado o programa Pró-Sertão Bacia Leiteira, que beneficia 3,7 mil famílias sergipanas, com investimentos que chegam a cerca de R$ 4,6 milhões.

 

O governo entende que investir no fortalecimento da agropecuária sergipana beneficia os homens e mulheres do campo, assim como o agronegócio e toda a economia sergipana. O Estado continua atuando nos mais diversos setores para que Sergipe continue trilhando o caminho do desenvolvimento.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Polícia já tem suspeito do roubo das joias de Ana Alves, que inclui anel do seu pai, e já vai ouví-lo
Seduc convoca 57 educadores profissionais aprovados em seleção para cursos técnicos
Sergipe recebe mais de 67 mil vacinas para aplicação em primeira e segunda doses
Luciano Bispo diz que PDES revela potencialidades para investimentos