Aracaju, 17 de setembro de 2021

Justiça suspende visitas ao Vale dos Mestres em Canindé do São Francisco

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Após ação do Ministério Público Federal (MPF), a  Justiça condenou o estado de Sergipe, o município de Canindé, o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) a adotarem medidas para proteção do Vale dos Mestres, no município de Canindé do São Francisco. O MPF já havia conseguido uma liminar, em maio, para que os réus proibissem a visitação à área e aos sítios arqueológicos que lá se encontram até que sejam realizados estudos técnicos no local.

Segundo a decisão,  o estado de Sergipe, o município de Canindé, o ICMBio e o Iphan devem instalar barreiras aquáticas sinalizadas, conforme determinações da Marinha do Brasil e instalar um sistema de sinalização das trilhas e dos sítios arqueológicos, com placas informativas, com normas de conduta de visitação e as sanções para quem as desrespeitar. Os réus também estão obrigados a adotarem as medidas necessárias para a estruturação do Vale dos Mestres com área para estacionamento e controle de acesso, guarita e portão de entrada, além de estação com centro de visitantes e banheiros. A sentença também prevê que sejam realizadas fiscalizações mensais no local e que os relatórios devem ser entregues ao MPF.

Conservação e tombamento

A Justiça Federal decidiu, ainda, que o Iphan elabore um projeto de conservação preventiva dos sítios de arte rupestre do Vale dos Mestres. Os objetivos são minimizar e impedir o desbotamento das pinturas, a cristalização de sais solúveis, a degradação do suporte rochoso e infestação por insetos, líquens e fungos, além da depredação por ação humana. O Iphan também  pela adoção de medidas necessárias ao início e ao término do procedimento de tombamento dos Sítios Arqueológicos do Vale dos Mestres.

FPI/SE

Em novembro de 2019, a equipe de Espeleologia e Arqueologia da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI/SE) visitou o Vale dos Mestres. Na ocasião, os profissionais identificaram lixo, fogueira, pichações, alto volume de som, falta de controle do número de pessoas na trilha, o que ocasiona muitos impactos ambientais. O relatório da inspeção foi encaminhado ao MPF, que após diligências complementares ajuizou ação civil pública.

Vale dos Mestres

É um atrativo natural muito procurado por turistas e moradores da região e faz parte da Unidade de Conservação Monumento Natural do Rio São Francisco.

Na trilha, de pouco mais de um quilômetro que separa a entrada do Vale dos Mestres do lago formado pelas águas cristalinas do Rio São Francisco, podem ser encontrados diversos vestígios da passagem do homem pelo sertão nordestino há mais de 9 mil anos. São quatro sítios arqueológicos que registram o cotidiano desses grupos, objetos de pesquisa de arqueólogos da Universidade Federal de Sergipe. No local, há vários registros de gravuras em baixo relevo sobre as rochas.

Foto assessoria

Fonte: MPF

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

“Orientação e perfil são garantias de sucesso no mercado”, diz consultor
Socorro realizará drive-thru da Semana Nacional de Trânsito
Estado de Sergipe registra crescimento de 17,6% no setor de serviços
ABEMEC-SE promove curso de capacitação em vasos de pressão