Aracaju, 17 de setembro de 2021

Encontro para População de Rua do Nordeste acontecerá em Sergipe entre os dias 06 e 08 de outubro, com o apoio da Seias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Organizado pelo Movimento Nacional da População de Rua, evento reunirá estados do Nordeste em torno de debates e atividades culturais

Entre os dias 06 e 08 de outubro, Aracaju sediará o II Encontro Maria Lúcia Santos – Região Nordeste, voltado para a População em Situação de Rua. O evento é realizado pelo Movimento Nacional da População de Rua (MNPR), juntamente com a coordenação local do MNPR em Sergipe. O encontro regional conta com o apoio da Secretaria de Estado da Inclusão Social (Seias), através da Diretoria de Direitos Humanos (DIDH), que recebeu os representantes do movimento na última quinta-feira, 02, para alinhar os detalhes da parceria para o evento.

O Encontro reunirá delegações dos nove estados da Região Nordeste e a população em situação de rua da capital sergipana. A programação contará com mesas de debate; Grupos de Trabalho (GTs) sobre os Centros POP (Centro Especializado para Pessoas em Situação de Rua) e políticas públicas de Assistência Social, Segurança Pública, Moradia, Saúde, Trabalho e Renda, Educação e Cultura; além de momentos culturais com apresentações artísticas.

É a primeira vez que Sergipe realizará um encontro voltado para a população em situação de rua, destaca o coordenador estadual do MNPR em Sergipe, Cleiton de Oliveira. “Hoje, a gente veio para alinhar esse Encontro de fortalecimento do Nordeste, que vai acontecer aqui entre os dias 06 e 08 de outubro, junto da Seias. Vamos discutir políticas públicas dentro do nosso estado e município. Em toda história do estado de Sergipe, é a primeira vez que vai acontecer este encontro de fortalecimento, trazendo a qualificação e a melhoria de vida para as pessoas em situação de rua”, destacou.

A Seias atuará como articuladora das atividades, ações e debates, conforme conta a referência técnica para Povos e Comunidades Tradicionais e População Negra da Seias, Iyá Sônia Oliveira. “Nós, através da DIDH, estamos acolhendo o Movimento, verificando as possibilidades de atender às demandas do evento, e fazendo um diálogo na perspectiva de Diretos Humanos com essas pessoas. Trabalhar com formação, com conhecimento. Fazer com que eles possam compreender como se faz o controle social dessa política pública e ampliar o diálogo com esse grupo, que existe há muito tempo”, afirmou.

Os objetivos do evento e os momentos culturais foram destacados pelo integrante do Movimento Nacional da População de Rua, o sociólogo Matheus Barros. “O Encontro terá basicamente duas direções: o fortalecimento interno do movimento; e uma pauta institucional em diálogo com o Governo do Estado e do município para melhoria dos equipamentos, serviços, e discussão de políticas públicas. Uma particularidade do movimento em Sergipe diz respeito à conexão com as culturas urbanas, com uma produção de arte bem simbólica em Aracaju. Isso não poderia ficar de fora do II Encontro, que terá momentos culturais para destacar essa característica, tão presente no movimento local”.

A diretora de Direitos Humanos da Seias, Lídia Anjos, reforça a parceria com os movimentos sociais. “Toda gestão pública deve estar sensível às vozes que vêm das ruas. A DIDH recepciona as demandas trazidas pelo Movimento da População em Situação de Rua e, em nosso papel articulador das políticas, a gente entende a importância dessa construção como algo essencial. O Encontro, que acontecerá em outubro, recepcionará lideranças dos nove estados do Nordeste. Fortalecer a articulação local, em Sergipe, deve ser o propósito de todos que estão envolvidos para fazermos a política pública”, concluiu.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

UGT-SE convoca parlamentares e população a se manifestarem contra PEC-32 em debate na Câmara
Sergipe registra 1 morte nesta sexta, depois de 6 dias sem óbitos
Doações de órgão: chances dos sergipanos precisarem de transplante são bem maiores
Hospital Cirurgia realiza ação para comemorar Dia Mundial da Segurança do Paciente