Aracaju, 17 de setembro de 2021

Masculinidades e práticas sexuais é tema publicação da Edise

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O livro será lançado em um espaço muito simbólico para Cassiano, a escola pública onde estudou durante todo o Ensino Médio, o Centro de Excelência Milton Dortas, em Simão Dias (SE). O evento acontece no dia 10 de setembro, às 19h. Lembrando que devido a pandemia, todos os protocolos sanitários serão mantidos.

A obra permeia por várias nuances que se passaram em outra época, porém, abordando os assuntos que são debatidos na sociedade hoje em dia. A intenção do autor era trazer algo do passado, mas que faz total sentido nos tempos em que vivemos. O livro amplia os horizontes para uma discussão importante, além disso, diz muito sobre as pessoas que vivem fora da normativa esperada pela sociedade. Por isso, este livro é uma extensão das suas vivências.

“Acredito que publicar um livro é um sonho de qualquer pesquisador que compreenda a importância e significado que isto tem. Além disso, minha pesquisa teve um investimento de dinheiro público, fui bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e acho importante mostrar publicamente o resultado deste financiamento, principalmente nos dias atuais. É preciso ultrapassar os muros da universidade e estabelecer um diálogo constante com a comunidade, evidenciando o tipo de ‘balbúrdia’ que estamos produzindo e a importância que eles possuem”, reflete o pesquisador Cassiano Celestino.

Cassiano Celestino apresenta o resultado fruto de muitas pesquisas realizadas desde a sua graduação até a conclusão do mestrado. Atualmente, Cassiano faz doutorado na Universidade Federal da Bahia.

Segundo ele, não são somente os corpos que estão em chamas, mas também aqueles que repudiam a sexualidade como se tivesse surgido atualmente e, que é algo impuro, repugnante e ruim. Quem pensa dessa maneira só vai sobrar as cinzas, pois os corpos dos indivíduos continuarão pegando fogo e resistindo a sociedade preconceituosa. “A História sempre é feita a partir de um lugar e é fruto das inquietações da época em que é escrita. É dentro desta relação tempo/espaço que insiro a minha pesquisa. Ela fala a partir de um lugar específico, com o olhar voltado para o passado, mas preocupado com o tempo presente. Temos vivido em nosso país grandes tentativas de retrocesso no que diz respeito às temáticas de corpo, gênero e sexualidades. Corpos (e também pesquisas) que se desviam das normas-modelos-padrões estabelecidos, legitimados e constantemente reforçados como o “correto”, têm sido permanentemente alvo de perseguições”, analisa o historiador Cassiano Celestino.

Suas inquietações se tornaram uma bagagem de estudos, na qual resultou neste livro que aborda a sexualidade desde outros tempos. Será a primeira de muitas publicações desse simãodiense. “É uma felicidade que não cabe em mim. Tenho uma admiração enorme pela Edise que tem cumprido um papel fundamental no território sergipano, publicar um livro por esta Editora é verbalizar e publicizar para os sergipanos o que temos produzido dentro da Universidade Federal de Sergipe. Espero que assim como meu livro, a Edise tenha vida longa”, diz Cassiano Celestino.

Fonte e foto Edise

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Hospital Cirurgia realiza ação para comemorar Dia Mundial da Segurança do Paciente
Preço médio do óleo diesel segue em alta no início do mês de setembro e litro se aproxima de R$ 5,00, aponta Ticket Log
Sergipe mantém vacinação dos adolescentes de 12 a 17 anos, priorizando portadores comorbidades
Município e Estado se reúnem para definir regras de retomada de público nos estádios