Aracaju, 22 de setembro de 2021

Prefeitura garante medidas de biossegurança para retorno das aulas presenciais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

As aulas presenciais da rede municipal de ensino de Aracaju retornaram nesta segunda-feira, 13. No entanto, para que essa volta às aulas pudesse ocorrer de forma segura, respeitando as medidas preventivas contra o coronavírus, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Educação (Semed), desenvolveu, desde julho deste ano, diversas reuniões, ações e formações para o planejamento da retomada com o ensino híbrido (presencial e online).

Hoje, quando os cerca de 32 mil começaram a retornar ao ambiente escolar, outros elementos passaram a fazer parte da rotina, como aferição da temperatura na entrada da escola, o uso obrigatório de máscara, higienização constante das mãos, além do distanciamento entre carteiras e algumas restrições nos intervalos e no recreio, bem como no horário das refeições, tudo isso para evitar a proliferação do vírus causador da covid-19.

Conforme ressaltou a secretária municipal da Educação, Cecília Leite, o retorno das aulas só foi possível graças à vacinação da população, sendo que Aracaju já possui 80,80% da população geral com, pelo menos, uma dose do imunizante contra covid-19, o que proporcionou, ainda, as constantes reduções de casos, internações e mortes pela doença.

“Vínhamos avaliando quando seria o melhor momento para esse retorno e nosso esforço foi para que ele se desse de maneira segura para toda a comunidade escolar. Com o ensino híbrido, vamos garantir que esse retorno seja escalonado e gradativo, ou seja, as aulas tiveram início, mas nem todos os alunos foram de uma vez às escolas. Cada unidade formou uma escala, de acordo com o número de alunos de cada sala. Assim, respeitando o distanciamento de 1,5m entre uma carteira e outra, os alunos de cada sala foram divididos em turmas que irão revezar os dias de aula presencial. Quando for o dia de uma turma, a outra terá aula remota e, no dia seguinte, troca”, explicou a secretária.

Da entrada da escola, já se percebe o rigor dos protocolos. Para manter a ordem, os alunos formam uma fila para aferir a temperatura, limpar os pés no tapete sanitizante, passar álcool 70% e, em seguida, se dirigir à sala de aula, sem aglomeração. Já em sala, há o distanciamento entre as carteiras e, por toda a escola, distribuição de álcool em gel, inclusive, com pias colocadas em pontos estratégicos para viabilizar a higienização das mãos.

“A Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal da Saúde [SMS] passou nas 74 unidades da rede municipal para verificar o que precisava ser adequado, o que precisava ser atendido para que esse retorno fosse seguro. Diante do parecer da Vigilância, a Semed viabilizou todas as reformas, todas as adequações. Isso quer dizer que Aracaju tem as suas escolas monitoradas e todas elas com parecer favorável ao retorno presencial. Assumimos esse compromisso e assim seguiremos vigilantes”, assegura a gestora.

A alimentação escolar também é uma preocupação e, de acordo com Cecília Leite, foi distribuído um documento de orientação pedagógica e de organização do espaço físico da escola.

“Cada turma terá uma hora definida para fazer o lanche e voltar para a sala. No caso das creches, essa alimentação acontecerá dentro de cada sala. O objetivo é fazer com que menos pessoas circulem no refeitório. Além disso, não haverá recreio coletivo e cada turma terá o seu intervalo definido e não poderá acontecer aglomeração”, salienta a secretária.

EPI’s

Através do Programa Saúde na Escola (PSE), a Prefeitura realizou a compra de diversos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para serem distribuídos entre os estudantes da rede.

No total, mais de 140.000 itens foram distribuídos, dentre os quais protetor facial infantil (face shield), que estão sendo entregues para os alunos do Infantil III, Infantil IV, Infantil V e alunos do 1° ano do Ensino Fundamental; máscaras tamanho P, distribuídos para crianças de 4 e 5 anos (Infantil IV e Infantil V); máscaras tamanho M, para alunos de 6 a 10 anos (1º ao 5º anos do Ensino Fundamental); máscaras modelo adulto, distribuídos para os alunos do 6º ao 9º ano e da Educação de Jovens e Adultos.

Além disso, também estão sendo distribuídas garrafas individuais do tipo squeeze para alunos do 1º ao 4º ano, porta-máscara para alunos do Infantil IV ao 6º do Ensino Fundamental, termômetro clínico infravermelho sem contato (dois por escola) e mini frascos de álcool em gel 70% (1º ao 4º ano do Ensino Fundamental).

Aprovação

Principais preocupados com o bem-estar dos alunos, os pais e responsáveis foram chamados para as reuniões junto às unidades escolares, no intuito de serem orientados a respeito dos cuidados que os estudantes devem ter dentro das escolas.

Mãe de uma aluna de 5 anos, que foi pela primeira vez à escola, Joseane Dias relatou que, durante o período pré-retorno das aulas cuidou ao máximo para orientar a filha a respeito dos cuidados.

“Como ela nunca tinha ido à escola, essa orientação teve que ser redobrada, mas, como já temos diversos cuidados em casa foi mais fácil dela compreender o que precisa ser feito. Antes das aulas começarem, vim a reuniões e reparei que todas medidas foram tomadas. Ao trazê-la para o primeiro dia de aula, confirmei que tudo está bem cuidado e ela está em boas mãos”, ressalta Joseane.

Na outra ponta, os professores também sabem a responsabilidade que têm ao lidar com os alunos e o cuidado que devem ter. Um exemplo é o professor Alex Santos que, assim como a filha de Joseane, teve, nesta segunda-feira, o seu primeiro dia de aula.

“Vinha dando aulas online e, hoje, é o meu primeiro dia em aula presencial, o que me enche de alegria e, também, cuidado. Enquanto professor, a primeira medida foi a de nos vacinar, quando nos foi dada a oportunidade e, agora, é manter os cuidados e seguir orientando os nossos alunos da melhor maneira possível. Acredito que temos tudo para fazer um bom período letivo, sem perder a atenção para o vírus”, afirma Alex.

A diretora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Dr. Carvalho Neto, Ivanilda Barreto, aponta que os critérios têm sido seguidos rigorosamente pelas unidades.

“Durante toda a preparação para esse retorno, fomos orientados e instruídos a respeito das medidas que devemos adotar diariamente. As escolas receberam kits e foram devidamente adequadas para fazer com que as aulas ocorram da maneira mais segura para todos. Hoje, marcamos um momento muito importante e, durante todo esse mês, vamos avaliar esses cuidados e manter contato com a Secretaria no intuito de manter a vigilância a cada detalhe”, frisa Ivanilda.

Foto: Marcelle Cristinne

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Câmara Municipal de Aracaju aprova 17 proposituras nesta quarta-feira
Senar Sergipe abre inscrições para o curso de frangos e galinhas
Região Nordeste registra etanol mais caro do País nos primeiros dias do mês, aponta Ticket Log
Em nota, SSP diz que o delegado Marcelo Hercos permanece em estado grave, intubado e sedado