Aracaju, 18 de outubro de 2021

Semana Acessibilidade terá roda de conversa e entrega Troféu

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Em alusão ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPcD), em parceria com a Secretaria da Assistência Social de Aracaju, realizará, na próxima terça-feira, 21, a XIII Semana da Acessibilidade.

A programação contará com dois momentos: pela manhã, das 9h às 12h, na Casa dos Conselhos, na rua Pacatuba, 66, Centro, será realizada uma roda de conversa com tema “Acessibilidade, Urbanização e Inclusão Social”, com representantes do movimento e do Poder Municipal.

Já no turno da tarde, às 14h30, no Espaço CER IV – Centro Estadual de Reabilitação José Leonel Ferreira de Aquino, localizado no Centro Administrativo de Sergipe, bairro Capucho, acontecerá a 13ª edição do Troféu PIPIRI.

O objetivo da programação é alertar a população aracajuana sobre as garantias e direitos estabelecidos em lei para as pessoas com deficiência, destacando a autonomia e a inclusão social em Aracaju.

Dentre os nomes convidados para o evento, estão: o prefeito Edvaldo Nogueira; a vice-prefeita, Katarina Feitoza; a secretária municipal da Assistência Social, Simone Passos; o diretor presidente da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Antônio Sérgio Ferrari.

Também são convidados o presidente do CMDPcD/Aju, Roque Hudson; o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Antônio Luiz dos Santos; o presidente da Associação de Deficientes Motores de Sergipe , Antônio Fonseca; o presidente da Associação Sergipana de Deficiente Visuais (ADEVISE),Wellington Santos; a presidente do Centro de Integração Raio de Sol (Ciras), Caroline Stella Chais Freire; o presidente do Centro de Surdos de Aracaju, Pablo Ramon; dentre outros convidados e a sociedade civil.

Prêmio Pipiri

A premiação, que este ano chega à 13ª edição e tem como tema “Nada sobre nós, sem nós!”, leva o nome de Pipiri em homenagem a Humberto Santos, artista popular, nascido em Penedo (AL), na década de 1930. Com deficiência intelectual, Pipiri, como era conhecido, veio muito cedo para Sergipe e ainda jovem foi aposentado sob a justificativa ser “débil mental”.

O processo de discriminação e preconceito criado em torno de si acabou levando-o ao alcoolismo. Mesmo assim, Pipiri dedicou-se à poesia, sobretudo à sátira e, por sua irreverência, ficou conhecido como “Boca do Inferno Sergipano”, numa alusão ao também poeta Gregório de Matos, pois ambos usavam a sátira para criticar a sociedade e a política sergipana.

Pipiri dedicou-se também à realização de shows em praças, teatros e educandários, com apresentações de imitações e anedotas. Era considerado o “Maluco de Deus”, por crianças e adolescentes.

Assessoria de Comunicação da Assistência Social de Aracaju

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Mais de 10 milhões ainda não sacaram fundo do PIS-Pasep
Aracajuanos mergulham no universo percussivo cultural do sábado
Homem é preso suspeito de agredir a enteada com chutes em Socorro
Adepol/SE lamenta a morte do delegado de Polícia Marcelo Hercos