Aracaju, 23 de outubro de 2021

ABRAz/SE realiza ações para conscientização e prevenção do Alzheimer

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Nos dias 20 e 21 de setembro, Associação realiza atividades educativas nos shoppings RioMar e Jardins, em Aracaju (SE)

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Doença de Alzheimer (DA) atinge mais de 35 milhões de pessoas no mundo. Ainda de acordo com a OMS, este número tende a aumentar até o ano de 2030 e triplicar até 2050. No Brasil, acredita-se que existam mais de 1 milhão de pessoas acometidas pela doença e que muitas dessas pessoas ainda não receberam o diagnóstico e o tratamento adequado.

Setembro Lilás

Para chamar a atenção da sociedade sobre  esta que é considerada a causa mais comum de demência no mundo, a Associação Brasileira de Alzheimer Regional Sergipe (ABRAz/Se) está promovendo uma série de atividades que marcam o Setembro Lilás, ação dedicada à conscientização e prevenção da doença.

Na segunda-feira (20), das 12h às 20h, os voluntários da ABRAz e estudantes do curso de Medicina da Universidade Federal de Sergipe estarão no RioMar Aracaju, com um stand de informações para orientar a população. A ação busca incentivar todos a conhecerem a demência, identificando os sinais do Alzheimer e buscando informações e apoio que possam levar a um diagnóstico oportuno.

No dia 21, das 12h às 20h, data que marca o Dia Mundial da Doença de Alzheimer, o Shopping Jardins recebe os voluntários para dar continuidade às atividades de divulgação.

Mais informações podem ser obtidas através das redes sociais da ABRAz Sergipe ou dos telefones (79) 3042-2056/ 99975-8256. A Associação fica localizada no Centro Médico Odontológico, 510, Sala 403, bairro São José, Aracaju.

Alzheimer na pandemia

Estudos mostram que o impacto neurológico do COVID-19 no cérebro pode aumentar a probabilidade de uma pessoa desenvolver demência, assim como desenvolver alterações cerebrais relacionadas à demência.

A curto prazo, as taxas de demência podem diminuir como resultado do alto número de mortes de pessoas com demência devido ao COVID-19, estima-se que 25 a 45% de todas as mortes pelo novo coronavírus foram de pessoas com demência. No entanto, a longo prazo, o número de pessoas com demência pode aumentar de modo significativo devido ao impacto neurológico do COVID-19.

No entendimento da ABRAz, é importante que as pessoas estejam cientes da possível relação entre a síndrome pós-COVID e a demência, para que saibam se auto monitorar em busca de sintomas e detectá-los de imediato.

Foto: Divulgação

Da assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Polícia Civil de Estância realiza quatro prisões por tráfico de drogas no município
Aracaju suspende vacinação contra Covid durante o fim de semana 
Empresa ceramista sergipana inicia vendas e retoma fábrica
Terceiro sorteio da mega-semana da sorte pode pagar R$ 26,5 milhões neste sábado (23/10)