Aracaju, 22 de outubro de 2021

Audiência entre Edvaldo Nogueira e Paulo Márcio será realizada nesta quarta-feira

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O delegado Paulo Márcio, ex-candidato a prefeito de Aracaju na eleição de 2020, ganhou três das quatro ações ajuizadas pelo prefeito Edvaldo Nogueira, em decorrência das críticas feitas a sua administração durante a campanha do ano passado.

A quarta ação (processo 202045100732),  em trâmite no Juizado Especial Criminal da Comarca de Aracaju, terá prosseguimento na manhã desta quarta-feira (22), com a realização de audiência de instrução.

Edvaldo acusa Paulo Márcio da prática de crime de calúnia, pelo fato de o delegado ter tecido reiteradas críticas à forma como a PMA atuou no processo de licitação para a construção do hospital de campanha de Aracaju, que redundou na escolha da empresa Téo Santana Produção e Eventos, pertencente a José Teófilo Santana Neto, irmão do presidente da Emsurb.

Na semana passada, o Ministério Público Federal apresentou denúncia contra Téo Santana e mais seis agentes públicos e privados, dentre os quais KARLA FEITOSA ARAÚJO, Gerente de Projetos da SMS; CARLA CHRISTINE FERNANDES DE SOUZA SANTOS, Coordenadora da Infraestrutura da SMS; e ROSSINI ESPÍNOLA SANTOS, Coordenador do Centro de Compras e Licitações da SEPLOG.

Na peça acusatória, o Procurador da República afirma que os agentes criminosos, “de modo livre e consciente, agindo em conluio, deram causa a contratação direta fora das hipóteses e exigências previstas em lei, mediante a simulação do processo de escolha da empresa destinada à montagem do HCamp, levado a cabo na Dispensa nº 28/2020, de modo a possibilitar a pactuação com a Téo Santana Produções e Eventos, independentemente da existência de outras firmas mais aptas a prestar o serviço e da satisfação, pela pessoa jurídica beneficiada, das imposições legais.”

A defesa de Paulo Márcio diz não haver o menor indício de crime contra a honra do prefeito, uma vez que as críticas, embora contundentes, dirigiram-se aos atos de gestão.

Além de examinar cópias da Denúncia e da Representação junto ao Ministério Público Federal, protocolada em junho de 2020, o juiz ouvirá as testemunhas apresentadas pela defesa.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

SES capacita profissionais sobre notificação da violência
Caixa d’água descoberta Santa Luzia vira pousada para urubus
Câmara do Jovem Empresário apresenta plano de estímulo aos negócios em Sergipe
Polícia Civil frustra entrega de droga no município de Itabaiana