Aracaju, 20 de outubro de 2021

Congresso em Pauta debate Proposta de Emenda à Constituição sobre servidores públicos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Proposta de Emenda à Constituição nº 32/2020 (do Poder Executivo). que altera disposições sobre servidores, empregados públicos e organização administrativa, foi debatida no programa Congresso em Pauta desta quinta-feira, 23, exibido pela TV Alese, canal 5.2. A PEC propõe a alteração de 27 textos da Constituição e introduz 87. As principais medidas tratam da contratação, remuneração e do desligamento de pessoal. Caso sejam aprovadas, as mudanças devem atingir servidores públicos da administração direta e indireta, da União, estados e municípios.

De acordo com a professora de Direito do Trabalho da Universidade Federal de Minas Gerais,  Maria Rosaria Barbato, trata-se de uma nefasta Reforma Administrativa que propõe uma metamorfose.

“Uma mutação genética do estado brasileiro para aproximá-lo ao mercado através da diminuição da regulação. Isso se insere ao esquema das privatizações, que visa sucatear o setor público e precarizar a estrutura e vínculos dos servidores, desgastando a imagem aos olhos da população, com narrativas falaciosas e sedutores, privilegiando os bolsos das elites impactando o aumento das desigualdades. A Reforma tem muitas artimanhas, pois retira direitos e acaba com a estabilidade, acabando com o regime próprio de Previdência, afetando servidores ativos e os aposentados”, lamenta acrescentando que no caso específico dos professores de nível superior, pode atrapalhar as pesquisas, caso  os trabalhadores venham a ser desligados.

Para o deputado federal João Daniel (PT-SE), que é membro da Comissão Especial que trata da PEC 22, analisou desde o início das discussões.

“É preciso compreender que essa PEC está dentro de um contexto. Não está separada de todo um programa e um projeto. Não devemos nos perder em debater quais são os pontos importantes. Essa PEC está dentro de um grande conjunto de medidas desde o impeachment da presidenta Dilma. Nós não temos dúvidas que por trás, o Governo quer garantir os cargos em comissão e lutaremos para essa PEC não ser aprovada, pois nem os trabalhadores e nem os sindicatos foram ouvidos, mas sim os bancos e a iniciativa privada”, observa.

Foto: Divulgação Arquivo Câmara Federal

Por Aldaci de Souza

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Simula Enem aplicado presencialmente em todos polos Preuni
Belivaldo mostra o “dever de casa” que fez nas contas do Estado para “Sergipe avançar”
18 anos do Bolsa Família são destacados pelo deputado João Daniel em sessão da Câmara
Com 6ª alta consecutiva, preço da gasolina já está 12% mais caro nas primeiras semanas de outubro