Aracaju, 20 de outubro de 2021

Saúde elabora Plano de Enfrentamento da Mortalidade Materna Infantil de Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Na manhã desta terça-feira, 28, diretorias da Secretaria Estadual da Saúde (SES), reuniram-se para mais uma etapa na formulação do Plano de Enfrentamento da Mortalidade Materna Infantil de Sergipe.

O plano vem sendo construído de forma colaborativa desde junho deste ano numa cooperação entre o Comitê Estadual de Prevenção da Mortalidade Materna, Infantil e Fetal de Sergipe e representantes da diretoria de Vigilância em Saúde, diretoria de Atenção Primária à Saúde, Núcleo de Educação Permanente, Samu e Central de Regulação de Leitos, todos setores da SES. A construção começou em junho, através de encontros sistemáticos.

“É um plano preliminar, um esboço que precisa da aprovação. Está em consonância com os objetivos do desenvolvimento sustentável, que visa a redução dos índices de mortalidade materna infantil no Brasil e em Sergipe até 2030. E está em consonância ainda com a parceria que a SES tem com o Conselho de Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS), por meio do Planifica SUS, no qual a  SES vem investindo para potencializar as práticas e o cuidado em saúde em SE”, explica a médica do Comitê Estadual de Prevenção de Mortalidade Materna Infantil e Fetal, da Secretaria de Estado da Saúde, Priscilla Batista

A secretária de Estado da Saúde, Mércia Feitosa, reforçou que a estruturação desse plano está em consonância com as perspectivas do Governo do Estado para a melhoria do SUS Sergipe. “É mais um instrumento, um documento para a evolução do SUS em Sergipe. Há muito estamos no enfrentamento dessa realidade da mortalidade materno-infantil. Quando avaliamos as causas, percebemos que muitas são evitáveis, por isso, é fundamental fortalecer a estrutura que dispomos. A SES tem uma equipe coesa e com grandes propostas para evoluir, estamos construindo esse plano juntos. É um desejo e uma meta que com certeza vamos percorrer com grande determinação. Essa é uma construção a ser deixada para o SUS, independentemente de qualquer gestão. Quem assumir a pasta  terá um documento para dar continuidade, então, esse grande plano quando  pronto, deverá ter ampla visibilidade”, enfatiza a gestora da SES.

Priscila explica que, com o plano, Sergipe está na dianteira na construção de uma política voltada para a questão da mortalidade materna infantil.  Segundo analisa, o plano que está em desenvolvimento pretende, sobretudo, resolver problemas e atualizar as diretrizes da Rede Cegonha de 2010/2011.  “A proposta é fazer uma revisão da vinculação das gestantes às maternidades, a gente tem 7 regiões de saúde com pelo menos 8 maternidades de risco habitual e temos no estado uma maternidade de alto risco, então, queremos saber quais municípios estão vinculados a essas maternidades. Com isso, comparar a capacidade instalada, produção de cada maternidade. Um outro ponto é fazer uma revisão/atualização dos pontos sistêmicos. Temos ainda a percepção de 17 problemas críticos que impactam na baixa qualificação do cuidado materno-infantil, a partir deles criamos ações e operações com responsáveis sob a governabilidade da secretaria estadual de saúde”, destaca a coordenadora.

De acordo com Priscila, o plano servirá como norteador das para atuação dos  municípios sergipanos e passará por processos periódicos de avaliação. “O Brasil pactuou uma razão de mortalidade materna menor que 30 por 100 mil nascidos vivos e mortalidade infantil menor que 10 por 1000 nascidos vivos, até 2030.  Mas achamos 2030 muito tempo, então, a proposta é que o plano seja monitorado quadrimestralmente e avaliado semestralmente. Ele será monitorado pelas instâncias técnicas vinculadas ao comitê estadual, inclusive, uma portaria atualizada do comitê foi lançada na última sexta-feira, 24. A proposta é que os técnicos façam o monitoramento e, periodicamente, junto com gestores analisem o que entra e saia do plano, melhorando-o até 2030”, reitera a representante do comitê estadual.

Foto: Ewertton Nunes

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Simula Enem aplicado presencialmente em todos polos Preuni
Belivaldo mostra o “dever de casa” que fez nas contas do Estado para “Sergipe avançar”
18 anos do Bolsa Família são destacados pelo deputado João Daniel em sessão da Câmara
Com 6ª alta consecutiva, preço da gasolina já está 12% mais caro nas primeiras semanas de outubro