Aracaju, 20 de outubro de 2021

BNB prevê aplicação R$ 926 milhões em recursos do FNE em Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Para toda a área de atuação do BNB, estão previstos R$ 26,6 bilhões em investimentos

Aracaju (SE), 30 de setembro de 2021 – O Banco do Nordeste apresentou a proposta da Programação FNE 2022, documento que norteia a aplicação anual dos recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). A apresentação foi feita durante transmissão no canal do BNB no Youtube. A previsão orçamentária, sujeita a revisão até o final do exercício, indica a aplicação de R$ 26,6 bilhões em recursos do Fundo na Região Nordeste, Norte de Minas Gerais e Norte do Espírito Santo, beneficiando um total de 1.990 municípios.

O montante projetado para 2022 prevê investimentos da ordem de 5,97 bilhões para o setor de comércio e serviços (22,5%); 3,87 bilhões para pecuária (14,6%); R$ 3,84 bilhões para agricultura (14,4%); R$ 2,66 bilhões para indústria (10%); R$ 551,1 milhões para turismo (2,1%); R$ 349,2 milhões para agroindústria (1,3%); e R$ 165 milhões para negócios com pessoa física (0,6%). Os recursos previstos para investimentos em infraestrutura somam R$ 9,17 bilhões (34,5%).

Um dos destaques da programação projetada para o ano que vem é a reserva de R$ 7,43 bilhões para investimentos em projetos de energia sustentável, que favoreçam o enfrentamento da atual crise hídrica e energética a partir do desenvolvimento do potencial da região Nordeste para geração de energia eólica e solar.

O orçamento previsto para o próximo ano traz um aporte de recursos 10,37% maior que os estabelecidos na programação do presente exercício, que trabalha com o montante de R$ 24,1 bilhões. Os valores projetados são passíveis de ajustes, a partir da apreciação e aprovação pelo Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste, com o propósito de atender necessidades determinadas por contextos econômicos e demandas dos setores produtivos.

Em Sergipe, a Programação FNE 2022 prevê investimentos de R$ 926 milhões para o setor produtivo, incluindo empreendimentos dos setores agropecuário, industrial, agroindustrial, turismo, comércio, serviços e de infraestrutura.

Metodologia participativa

A construção da programação anual do FNE é orientada por metodologia participativa, elaborada sob a coordenação do Banco do Nordeste e em diálogo com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Sudene, representantes de governos estaduais e municipais e representantes do setor produtivo.

As reuniões para elaboração da Programação FNE 2022 foram iniciadas em junho, com encontros presenciais e on-line, para contemplar contribuições dos diversos atores de todos os estados que integram a área de atuação da Sudene. A distribuição dos valores projetados por estado, setores econômicos e portes de empreendimentos já foram apreciados pelos parceiros e o texto elaborado dará origem ao Plano de Aplicação Regional, a ser encaminhado ao MDR e à Sudene até 30 de outubro.

Na reunião, estiveram presentes o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, o superintendente de Supervisão da rede de agências do BNB, Luiz Abel, e o superintendente de Políticas de Desenvolvimento Sustentável do BNB, Henrique Tinoco. Pelo MDR, participaram o diretor do Departamento de Instrumentos Financeiros e Inovação, Diego Antonio Link, e a secretária de Fomento e Parceria com o Setor Privado, Veronica Sánchez. Representou a Sudene o diretor Raimundo Gomes de Matos. Como integrantes dos setores produtivo e de governo, foram ouvidos a presidente da Câmara Setorial de Turismo e Eventos do Ceará, Anya Ribeiro, e o coordenador executivo de projetos especiais da Secretaria de Planejamento do Estado da Bahia, Antônio Alberto Valença.

Os recursos do FNE constituem uma fonte de financiamento a atividades produtivas conduzidas na área de atuação da Sudene, por meio de investimentos de longo prazo, oferta de capital de giro e custeio. Também são beneficiados estudantes atendidos pelo Programa de Financiamento Estudantil (P-FIES) e pessoas físicas que investem em mini e microgeração de energia fotovoltaica. Por orientação legal, os recursos do Fundo beneficiam prioritariamente empreendimentos de pequeno porte localizados em espaços considerados prioritários à Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), a exemplo do Semiárido nordestino, além de seguir as diretrizes de aplicação constantes no Plano Regional e Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE).

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Rogério vota pela criação de auxílio para famílias de baixa renda comprarem gás
Aracaju: Secretaria Saúde confirma transmissão comunitária da variante Delta no município
Hospital Primavera celebra Dia do Médico de uma forma diferente
Governo de Sergipe paga o auxílio tecnológico a mais de 5.700 professores