Aracaju, 21 de outubro de 2021

A quem interessa desgastar os líderes do Movimento Polícia Unida?, questiona coronel Rocha

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Por coronel Rocha

Embora eu não seja líder de nenhuma associação ou sindicato de PMs, PCs ou BMs, participo ativamente com muito denodo e orgulho do nosso movimento.

Como coronel da PM, mesmo estando na reserva remunerada, tenho exata noção da importância dos policiais e bombeiros da reserva, aposentados e pensionistas na luta pela implantação da periculosidade dos servidores da segurança.

Agregado ao apoio a este movimento é publico e notório meu ativismo político no estado desde o ano de 2018, quando pela primeira vez me lancei candidato a um cargo político.

No dia 19 de agosto questionei através de minhas mídias sociais o aumento salarial que a Assembleia Legislativa aprovou para o Governador Belivaldo Chagas, uma vez que o STF havia declarado inconstitucional a lei que vinculava o salário de governador ao de desembargador.

Devo ter desagradado alguns assessores do governador, inclusive o próprio, pois alguns assessores me ligaram dizendo que eu estava propagando fake News. O que, a meu ver, não era. O salário do governador fora fixado com valor de 35.462,22 reais. Como disse publicar esse valor, embora seja público, fez com que o próprio governador enviasse uma mensagem  para mim explicitando sua insatisfação com meu comentário, e claro imputando-me diversos adjetivos que ficarão guardados em minha memória.

Tudo bem sou um democrata, aceito opinião diversa da minha.

Mas ocorreu algo no dia seguinte bastante estranho, diversos grupos de ZAP amanheceram com um banner com minha foto, contendo meu salário, com cópia do meu contracheque, tecendo comentários e insinuando que eu havia me aposentado cedo etc etc etc.

Por óbvio creio ter sido apenas uma infeliz coincidência.

Os líderes do Movimento Polícia Unida tem feito manifestações pacíficas e ordeiras em eventos que o governador está presente, como forma de mostrar a Belivaldo a importância, a necessidade e a justiça em se pagar aos policiais e bombeiros sergipanos o constitucional direito ao adicional de periculosidade.

Todavia, a resposta do governador aos policiais e bombeiros tem sido pouco republicanas, não bastasse à forma vergonhosa como se retirou do Hospital da Criança, pelos fundos, deixou de comparecer a cerimonia de inauguração do Hospital Materno Infantil do Hospital Universitário, da UFS, apenas por que o Ministro da Educação ousou convidar os policiais e bombeiros para o evento. Numa crise autoritária tentou fazer com que os policiais e bombeiros presentes ao evento fossem retirados do auditório, o que foi peremptoriamente recusado pela assessoria do ministro. Isso foi o suficiente para fazer com que Belivaldo não comparecesse à inauguração enviando um representante para isso. Uma descortesia desnecessária ao ministro.

No dia de hoje, dia 30 chega ao meu conhecimento que o governador empurrou um policial numa solenidade na cidade de Estância, espero que tenha sido um mal entendido.

Outra surpresa bastante negativa, diretamente relacionada ao título da matéria, final da tarde, início da noite começam a brotar nos grupos de zap vídeos, coincidentemente muito parecidos com o banner espalhado contra mim no mês passado, desta vez contra nossos lideres Adriano Bandeira e Adelmo Pelágio. Da mesma forma, publicando nossos salários. Sendo incluída uma distração, vinculando nossos líderes a alguns políticos, com certeza para disfarçar.

Mas uma vez tenho certeza ser uma infeliz coincidência.

Vamos ajudar a quem faz estes banners e vídeos tentando desgastar as nossas imagens.

Somos servidores públicos, nossos salários estão no portal da transparência do Estado de Sergipe.

Sou Coronel da Reserva, meu subsídio é 25 mil reais, agregado a 20% de adicional de inatividade, 30 mil reais brutos. Adriano Bandeira, Agente de Policial Civil, salário Bruto 12.027,89.  Adelmo Pelágio, Delegado de Polícia Civil, salário bruto 22.500 reais. Estas informações foram divulgadas por alguém não sei com qual intenção, mas como disse, são informações públicas. Da mesma forma que o salário de Belivaldo Chagas, também no site de transparência do estado, salário de governador 35.462,22 reais, somados a aposentadoria por tempo de contribuição como Defensor Público de 38.392,39 reais, perfazendo um total de 73.854,61 reais.

Quem pensa que publicar nossos salários fará com que abandonemos nossa luta está muito enganado. Apenas nos faz mais fortes e mais convictos de estarmos no caminho certo.

Somos policiais e bombeiros, agentes públicos concursados, salvamos vidas mesmo com o risco da nossa própria vida.

Henrique Alves da Rocha

Coronel PM RR

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Governo de Sergipe paga o auxílio tecnológico a mais de 5.700 professores
Simula Enem aplicado presencialmente em todos polos Preuni
Belivaldo mostra o “dever de casa” que fez nas contas do Estado para “Sergipe avançar”
18 anos do Bolsa Família são destacados pelo deputado João Daniel em sessão da Câmara