Aracaju, 22 de outubro de 2021

Rede Primavera apoia a campanha “OUTUBRO ROSA”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Centro Hípico Atlântico foi o local escolhido para reunir, na tarde do dia 02/10, cerca de 50 pacientes oncológicas que superaram ou estão tratando o câncer de mama. A ação organizada pelo Grupo de Apoio Flores do Nosso Jardim, com o apoio da Rede Primavera, foi inspirada através da campanha Outubro Rosa, que chama a atenção para a realidade atual do câncer de mama e a importância da mamografia para um diagnóstico precoce. No Brasil, esse é o tipo mais comum de câncer entre as mulheres, depois do câncer de pele não melanoma. O Instituto Nacional de Câncer aponta que são 66 mil novos casos e 18 mil mortes por ano. Mais do que atenção, é preciso fazer os exames de prevenção nas faixas etárias recomendadas. As participantes tiveram direito a uma vasta programação com direito a brindes, massagem relaxante, maquiagem, lanche, um bate-papo com muita descontração e para finalizar, um passeio a cavalo, que serve para estimular o desenvolvimento da mente, do corpo e ajuda no tratamento, reabilitação e superação da doença.

A mastologista e responsável pelo Grupo de Apoio Flores do Nosso Jardim, Dra. Paula Saab, enfatiza que a convivência com o cavalo é uma ferramenta que auxilia no ponto de vista emocional e físico no combate ao tratamento, por isso, a ideia de realizar o evento em uma hípica. “Essa troca de energia, principalmente para quem aguarda o resultado de uma biópsia ou está em tratamento, mostra que o câncer de mama tem cura. Estou muito feliz com mais um encontro com essas mulheres guerreiras e maravilhosas”, conclui Dra. Paula.

Aos 45 anos, a enfermeira, Aretuza de Oliveira Santos, através do autoexame, percebeu algo estranho e procurou imediamente o médico para a realização de exames, e foi diagnosticada com o câncer de mama. Após passar por um procedimento cirúrgico e tratamento de quimioterapia no Hospital Primavera, venceu a doença e já está curada. Em 2018, Aretuza e mais 11 mulheres em tratamento, escreveram o livro “Resiliência Nossa História”, com depoimentos da vivência com o câncer. “Hoje me sinto uma pessoa forte e aprendi a valorizar as pequenas coisas. A forteleza encontrada no Grupo de Apoio Flores do Nosso Jardim, de familiares e amigos, foi essencial para a minha vitória”, ressaltou Aretuza, bastante emocionada.

Há seis anos, a professora, Lícia Lima, também fez parte da estatística de pessoas diagnosticadas com o câncer de mama. Enfrentou todas as barreiras, tratamento, e é mais uma vitoriosa de uma doença que já matou milhares de pessoas. “Agradeço a Deus, aos médicos e o acolhimento de tantas pessoas queridas e especiais que até hoje fazem parte da minha vida”, dentre elas, Dra. Paula”, finalizou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Câmara do Jovem Empresário apresenta plano de estímulo aos negócios em Sergipe
Polícia Civil frustra entrega de droga no município de Itabaiana
Sergipe recebe mais de 92 mil doses de vacina contra a covid-19, nesta sexta-feira
Edição 100% digital da Feira do Empreendedor começa neste sábado