Aracaju, 20 de outubro de 2021

BNB lança frente de atuação para setor de confecções em Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Programa de Desenvolvimento Territorial do Banco do Nordeste (Prodeter) cria comitê de atividades no Território Centro-Sul Sergipano, com plano de trabalho voltado para Itabaianinha e Tobias Barreto

– Empreendedores que trabalham na cadeia produtiva dos segmentos têxtil e de confecções, em Sergipe, passam a contar com apoio do Programa de Desenvolvimento Territorial do Banco do Nordeste (Prodeter). Lançada em Tobias Barreto, a nova frente do programa deve atender dois municípios do Território Centro-Sul Sergipano: Itabaianinha e Tobias Barreto. Um comitê foi criado para elaborar um plano de atividades na região, com objetivo de fortalecer as duas atividades econômicas.

De acordo com levantamento da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), um total 104 empresas atua nos dois setores (têxtil e de confecções) no estado, com geração de mais de 8 mil empregos. Somente em Itabaianinha, são 40 empresas formalizadas, segundo registros da Associação de Confecções e Costureiras do município (ASK). Referência em moda no estado, a localidade recebeu R$ 1,6 milhão em investimentos do Banco do Nordeste entre os anos de 2019 e 2020.

No mesmo período, o município de Tobias Barreto recebeu mais de R$ 7 milhões em aplicações do BNB. A cidade é conhecida como capital sergipana dos bordados e uma das maiores fabricantes de cama, mesa e banho da região Nordeste, que emprega mais de 50% da população economicamente ativa local. Os dados são do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), do BNB.

O Plano de Ação Territorial (PAT) dos setores têxtil e de confecções é uma iniciativa do Banco do Nordeste, em parceria com secretarias municipais de Indústria e Comércio, Associação dos Confeccionistas de Itabaianinha (ASK), Sindicato do Comércio Varejista de Tobias Barreto (Sindcomtb), câmaras de dirigentes lojistas de Itabaianinha e Tobias Barreto, Sebrae-SE, Senac-SE, Fecomércio-SE, Instituto Federal de Sergipe (IFS) e Associação das Bordadeiras da Comunidade Nova Brasília, em Tobias Barreto.

“Nem empresários nem instituições fazem nada sozinhos, por isso precisamos atuar em conjunto para atingirmos objetivos comuns. Cada esforço é importante para desenvolver a economia da região”, diz o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Tobias Barreto (Sindicomtb), Rafael de Jesus.

Potencial empreendedor

A analista do Sebrae-SE, Aldeci Andrade, acredita no potencial empreendedor das localidades atendidas pelo novo comitê do programa, que deverá apontar soluções para alguns desafios. “A tarefa de desenvolver o território é árdua, mas precisa ser feita. Então podemos potencializar as ações por meio da união das experiências de cada instituição com a vivência de cada empreendedor”, relata a analista.

A escolha específica da cadeia produtiva é fruto do trabalho de identificação das potencialidades de cada estado da área de atuação do Banco do Nordeste, que inclui os nove estados do Nordeste e o Norte do Espírito Santo e de Minas Gerais.

O gerente de desenvolvimento territorial do BNB, Lenin Falcão, explica os motivos da definição do novo comitê gestor em Sergipe. “É necessário unir esforços, aproveitar a experiência de técnicos e empresários, identificar gargalos e propor ações com vistas a resolver os problemas. A implantação do comitê gestor se dá a partir de articulação e reuniões com instituições que também atuam em prol do setor produtivo de cada território”, informa.

O objetivo é desenvolver um trabalho como agente transformador dos polos de produção têxtil em Sergipe, que tradicionalmente estão centralizados nos municípios de Itabaianinha e Tobias Barreto, e irradiam por outras localidades vizinhas.

“Formamos os comitês municipais e territorial para que os participantes compreendam as atribuições de cada um. Agora o plano de trabalho começa a ser desenvolvido, com a devida distribuição de responsabilidades e a consequente legitimidade de cada instância de governança”, reforça o gerente.

Frentes de trabalho

Em Sergipe, o Prodeter Banco do Nordeste conta agora com atuação em 12 territórios, que totalizam oito atividades produtivas: produção de milho, laranja, mandioca, batata doce, camarão, bovinocultura de leite, turismo e a mais recente frente de trabalho (produção têxtil e de confecções). Ao todo, 44 municípios sergipanos são atendidos.

O programa contribui com o desenvolvimento territorial e local por meio da organização, fortalecimento e elevação da competitividade das atividades econômicas da área de atuação do BNB (região Nordeste e Norte de Minas Gerais e do Espírito Santo), por meio do fortalecimento das cadeias produtivas.

Fonte e foto BNB

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Simula Enem aplicado presencialmente em todos polos Preuni
Belivaldo mostra o “dever de casa” que fez nas contas do Estado para “Sergipe avançar”
18 anos do Bolsa Família são destacados pelo deputado João Daniel em sessão da Câmara
Com 6ª alta consecutiva, preço da gasolina já está 12% mais caro nas primeiras semanas de outubro