Aracaju, 18 de outubro de 2021

Pesquisadores da Unit estão entre os mais influentes do BRICs

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Universidade Tiradentes (Unit) está ranqueada entre as 1.000 instituições com produção científica mais influentes dos BRICS, grupo que congrega Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, com foco no suporte técnico, acadêmico, científico e cultural entre os países. Um dos cientistas do ranking é o professor da Unit, Estélio Henrique Martin Dantas, que ocupa a 936ª colocação e é o 1º pesquisador mais influente na área de Educação Física, especializado em treinamento esportivo.

Outros professores da Unit também fazem parte do ranking. Na área de biomateriais, a professora doutora Juliana Cordeiro Cardoso; em pesquisas sobre cibercultura, cultura científica, internet, divulgação de ciência e educação e comunicação, está a professora doutora Cristiane Magalhães Porto, e na área de pesquisa sobre fungos entomopatogênicos, controles biológicos, bioinseticidas, biotecnologia e empreendedorismo científico, o professor doutor Marcelo da Costa Mendonça.

“A presença de docentes da Universidade Tiradentes no World Scientist and University Rankings 2021 ratifica o compromisso institucional que temos com a pesquisa e, consequentemente, com a formação de recursos humanos nos diferentes níveis, da graduação ao doutorado. Os professores da Unit se destacaram em diversas áreas do conhecimento, sendo o maior destaque a área de Treinamento Esportivo e Fisiologia do Exercício, onde o professor doutor Estélio Dantas foi considerado Best Scientist in University. Outras três áreas também tiveram um desempenho significativo a partir da produção docente”, salienta doutor Diego Menezes, pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unit.

Segundo o professor doutor Estélio Dantas, todo pesquisador deseja ser referência em sua área. “Shakespeare disse: nosso elogio é o nosso salário. O pesquisador é reconhecido pelo seu índice de impacto, que representa quantas vezes seus artigos são citados e a qualidade das revistas que os citam. Como estou nessa vida há muito tempo, jogo com as regras estabelecidas e, por conta disso, consegui um índice H (Índice de Impacto) de 47”, argumentou.

Segundo a professora doutora Margareth Zanardo Gomes, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente (PSA), a classificação do doutor Estélio Dantas no ranking deve-se à sua grande contribuição para a ciência. “A metodologia leva em conta os índices de citação e impacto em trabalhos científicos nos últimos cinco anos, período em que o professor vem desenvolvendo as orientações de dissertações e teses no PSA. Sendo assim, causa-nos grande satisfação que o professor tenha seu trabalho reconhecido e que nossos alunos possam compartilhar sua experiência”, afirma.

Estélio Dantas dedica-se à pesquisa científica há 40 anos. Para ele, chegar ao nível em que chegou, com reconhecimento internacional, é dedicação à ciência. “Um pesquisador é uma pessoa que procura mais o reconhecimento do que o ganho financeiro. Faço ciência desde que entrei na vida acadêmica, porque sempre fui fascinado pela pesquisa. Sou professor titular aposentado de uma universidade pública, mas minha inquietação e paixão pelo conhecimento me motivam a continuar a produzir, a inspirar as novas gerações e a tentar resolver os problemas ainda sem solução”, afirmou.

Em todos esses anos, o professor Estélio Dantas registrou seis patentes, publicou 560 artigos científicos, 33 livros e contribuiu com 71 capítulos em outras obras voltadas para a eficácia do exercício físico sobre a performance e a saúde humanas. “Quase todos os meus trabalhos são voltados para resolver as dificuldades mais comuns que os profissionais enfrentam no dia a dia, buscando fazer isso sem a utilização de equipamentos caros e sofisticados, porém sem perder o rigor científico. Faço uma ciência muito prática e de aplicação imediata. Isso faz com que minhas produções sejam muito consumidas”, disse Dantas.

Para ele, trabalhar com pesquisa e ciência só é possível por meio da cooperação. Há 25 anos sob a sua coordenação, o Laboratório de Biociências da Motricidade Humana (Labimh) já formou sete pós-doutores, 57 doutores e 139 mestres. Atualmente, o laboratório possui 67 pesquisadores, 37 com doutorado e 30 estudantes (graduação e mestrado).

“O Labimh é estruturado com base nos estudantes de graduação, de pós-graduação e egressos. Ele é voltado basicamente para a produção científica e responsável pela minha significativa produção científica. Graças aos pós-doutores, doutores e mestres que formei ao longo de minha vida, o Labimh tem uma massa crítica competente e qualificada”, destacou Dantas.

A Universidade Tiradentes também teve um papel importante na trajetória do pesquisador, por ser uma instituição que cria espaços e promove o desenvolvimento da ciência. “Tenho me dedicado a isso desde que cheguei aqui. Fui acolhido com hospitalidade e apreço pela Unit. A instituição tem aspectos fantásticos de empenho na busca pela qualidade e seriedade acadêmica. Justamente o ‘ecossistema’ de que um cientista precisa para prosperar e crescer. Trouxe diversos pesquisadores internacionais de ponta para conhecer a universidade, por diversas vezes, e sempre me apresento como Unit, com muito orgulho, em todas minhas participações internacionais”, complementa.

Em contrapartida, a instituição é impactada positivamente com o reconhecimento do doutor Estélio Dantas. Para a Margareth Zanardo, isso a ajuda a consolidar o Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente, levando-o a um patamar de aprovação no meio acadêmico. “Esse resultado atesta a excelência do corpo docente e advoga em favor da capacidade do programa em formar recursos humanos altamente qualificados e atuantes em pesquisas de relevância”, conclui.

O pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão da Unit, professor doutor Diego Menezes, enfatiza a produção científica realizada pelos professores da Unit. “A Universidade Tiradentes é uma das instituições privadas com maiores índices de produção científica e tecnológica do Brasil. As pesquisas desenvolvidas pelos professores e alunos da Unit são vocacionadas para o atendimento de demandas reais, e trazem relevantes impactos sociais. Através de projetos em rede com diversas instituições nacionais e internacionais — fato este que tem ampliado a mobilidade dos nossos pesquisadores e, consequentemente, ampliado os horizontes formativos para os nossos alunos —, as pesquisas desenvolvidas na Universidade Tiradentes estão em sintonia com os avanços científicos contemporâneos e alinhadas às demandas de uma formação acadêmica adequada ao século XXI”, complementa.

Assessoria de Imprensa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Mais de 10 milhões ainda não sacaram fundo do PIS-Pasep
Aracajuanos mergulham no universo percussivo cultural do sábado
Homem é preso suspeito de agredir a enteada com chutes em Socorro
Adepol/SE lamenta a morte do delegado de Polícia Marcelo Hercos