Aracaju, 28 de novembro de 2021

Indefinição marca o futuro de políticos sergipanos sobre 2022

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Havia na classe política sergipana uma grande expectativa em torno da definição das regras para as eleições do próximo ano. As matérias em apreciação pelo Congresso Nacional, em sua maioria, não interessavam tanto; mas um tema importante (e bastante decisivo) contribuiu para aumentar as indefinições em torno do pleito de 2022: na capital federal, deputados e senadores, por maioria, vetaram a volta das coligações para as disputas proporcionais (deputados estaduais e federais).

Hoje, em qualquer roda política, a discussão gira em torno do cálculo sobre as previsões de pessoas com experiência no meio, avaliando que partido tem mais ou menos chances de eleger parlamentares no próximo ano. Esse tipo de discussão vai se intensificar cada vez mais, e deve atravessar as festas de final de ano e o Carnaval de 2022; como a janela partidária, que permite a troca de legendas sem o risco de perda de mandato só deve ocorrer em Março. Até lá, o cenário segue indefinido…

Existem rumores e tratativas em torno de pré-candidaturas majoritárias para o governo, vice-governador e senador da República, que não são afetadas, diretamente, pelo fim das coligações proporcionais. O problema é que, quem deseja uma cadeira na Câmara Federal ou na Assembleia Legislativa, com ou sem mandato, vai avaliar bem o melhor cenário, a melhor condição. Muitos dos entendimentos que vimos em 2020, na eleição para vereador (também sem coligações), tendem a se repetir no próximo ano…

Quem não tem mandato, vai preferir se organizar em grupos e tentar montar uma chapa competitiva em determinados partidos, sem a presença de políticos com mandatos, disputando teoricamente em condições de igualdade; alguns partidos bem organizados, foram eficientes neste formato e conquistaram representação nos parlamentos; o mesmo já vem sendo estudado para 2022; no caso da disputa para deputado federal a indefinição chega a ser muito maior.

Por sua vez, a tendência é de quem tem mandato buscar concentrar o maior número de candidatos com mais estrutura em um partido e depois tentar uma “roleta russa”, onde os dois ou três mais votados estarão eleitos (ou reeleitos). Mesmo com a permissão para os partidos se unirem numa Federação, a legenda só se torna “atrativa” se ela tiver uma chapa com nomes competitivos para disputar a eleição, caso contrário, tende a não eleger ninguém.

Em Sergipe, os deputados estaduais e federais não param de fazer contas; a expectativa é por ampla renovação na Câmara e na Alese, sem as coligações. O formato fortalece os partidos e deve extinguir as “legendas de aluguel”, sem qualquer identidade ou ideologia política. Para este colunista, ele também exige dos parlamentos melhor representação da sociedade, ou seja, quem não tem serviços prestados, terá que tirar “dois coelhos da cartola” para vencer. O que eleva o custo-benefício…

Veja essa!

“Esquentou o tempo” nos bastidores da Alese: de um lado os parlamentares da oposição asseguram que reuniram as oito assinaturas mínimas e necessárias para a instalação de uma CPI da Covid na Casa; os deputados querem apurar a polêmica compra de respiradores, com dinheiro da Covid, que nunca chegaram a Sergipe…

E essa!

O problema é que o também deputado Zezinho Guimarães (MDB), que meses atrás havia assinado a lista pela CPI, não gostou do protocolo feito do requerimento e anunciou que vai tirar sua assinatura. Disse que faltou diálogo e que “esse não foi o combinado” com ele; sem Zezinho, a CPI só tem o apoio de sete parlamentares e não sai do papel…

 A dúvida

A grande interrogação entre parlamentares do governo e da oposição é saber se Zezinho Guimarães ainda poderia retirar sua assinatura do requerimento já protocolado. O impasse deve perdurar até a próxima terça-feira (19), quando no plenário, que é soberano, definirá como proceder…

João Marcelo

Para o deputado estadual João Marcelo, que assinou requerimento para criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 na Assembleia Legislativa, “é importante que neste momento a Alese possa apurar tudo o que aconteceu durante a pandemia e no pós-pandemia. Após entender que o momento era de focar na saúde das pessoas, cuidar da vida dos sergipanos, agora podemos buscar entender tudo o que aconteceu”.

Belivaldo x Rogério

Em entrevista ao radialista Gilmar Carvalho, na FM Jornal, o governador descartou o senador Rogério Carvalho (PT) como possível pré-candidato ao Executivo pelo agrupamento da situação. E emendou: “ele (Rogério) me disse que Lula queria que eu fosse candidato a senador. E eu disse a ele que Lula já tinha dito o mesmo sobre André Moura”.

 Rogério x Belivaldo

Em resposta ao governador, em entrevista na FAN FM, o senador Rogério Carvalho fez duras críticas ao atual chefe do Executivo, seus assessores e ao governo de uma forma geral. Disse que já pediu para sua irmã agradecer o trabalho no Ipesaúde e que acusou o governo de pressionar os prefeitos sergipanos para não comparecerem nas reuniões organizadas pelo petista.

Valmir & Valdevan

Ainda na entrevista, Rogério Carvalho sinalizou que pode fazer uma composição na chapa majoritária com o ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL), mas praticamente descartou uma aliança com o deputado federal Valdevan 90 (PL), que pode disputar o Senado.

Valdevan & Sukita

A informação é que o deputado federal Valdevan 90 formalizou uma parceria política e comercial com o ex-prefeito Sukita e este apresentará um programa semanal, na FM Jornal, com uma linha extremamente popular, e possivelmente já de olho na eleição do próximo ano. O primeiro programa deve ir ao ar neste final de semana…

 Jackson com Lula

O ex-governador Jackson Barreto (MDB), em entrevista no programa “Sergipe Verdade”, na SIM FIM, confirmou que é pré-candidato a senador, que pretende concorrer pela situação, mas que estará no palanque de Lula (PT) em Sergipe. Como perguntar não ofende nunca, se o “palanque de Lula” for o de Rogério Carvalho, JB ficará contra o agrupamento? Ou Lula não apoiará o senador petista ao governo de Sergipe?

Caos no transporte I

Algo por vezes relatado nesta coluna (e desmentido pelo Setransp), agora é incontestável: está cada vez mais complexa a situação do transporte coletivo da Grande Aracaju. Desde essa quinta-feira (14) que cerca de 900 rodoviários vinculados a três empresas do Grupo Progresso estão de braços cruzados, em greve, reivindicando o pagamento dos salários em atraso e das gratificações.

Caos no transporte II

Sem ter muito que dizer, o Setransp apenas noticia que “está bastante preocupado” com a situação que é dramática para os trabalhadores e, muito pior, para os usuários do transporte. 146 ônibus de 43 linhas parados e uma média de 30 mil passageiros prejudicados. Pelo menos, desta vez, não há como negar o “caos” instalado no sistema de transporte coletivo.

Caos no transporte III

E, por uma questão de Justiça, o problema não é apenas pontuado nas empresas do grupo Progresso. Outras apresentam ou já apresentaram algo parecido, sem contar que muitos dos veículos que estão em circulação se apresentam em péssimas condições de uso e de conforto para os usuários. Vale um registro ainda: a Prefeitura de Aracaju, através da SMTT, também “só acompanha” a situação…

Dória em Sergipe I

A convite do PSDB de Sergipe, o Governador de São Paulo, João Doria, estará em Aracaju nesta sexta-feira (15), para participar de encontro com a militância e lideranças tucanas pelas prévias internas do partido. O PSDB escolherá, em novembro, o candidato que concorrerá à Presidência da República em 2022. Na chegada a Aracaju, Doria concederá entrevista coletiva na sede do Diretório Estadual, às 18h30.

Dória em Sergipe II

Na ocasião, o governador falará dos esforços pela vacinação no Brasil com a vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, do Governo de São Paulo, e pelo enfrentamento à pandemia e apresentará propostas para o País. Em seguida, Doria terá um encontro com os tucanos de Aracaju para falar sobre prévias e o futuro do Brasil. À noite, o governador participará de uma reunião com empresários locais.

Dória em Sergipe III

Sergipe é o 15° Estado visitado por João Doria nas prévias do PSDB. O governador seguirá viajando o Brasil até novembro. A eleição interna do partido está marcada para o dia 21 de novembro. “Fui muito bem recebido em todos os estados onde estivemos. Todos os candidatos do PSDB, aliás, têm sido bem recebidos. Somos adversários que se respeitam. Uma vantagem das prévias é que elas permitem que nós possamos viajar o Brasil, ouvir as pessoas, a militância e lideranças políticas para avançar no diálogo e no entendimento em favor do nosso País”, avalia Doria.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Arquiteta fala sobre mudanças nos lares durante a pandemia
Inscritos no Enem fazem neste domingo segundo dia de provas
Covid-19: Aracaju vacinou 17.398 mil pessoas nesta semana
Vice-governadora conhece serviços da Casa Mulher em Itabaianinha