Aracaju, 1 de dezembro de 2021

Investigações e Perícia contribuiram para a condenação de Vitor Aragão, autor do feminicídio de Ana Paula

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O trabalho da Polícia Civil, do Instituto de Criminalística e do Instituto Médico Legal (IML) trouxe um sentimento de alívio aos familiares de Ana Paula Jesus dos Santos. Ela foi morta por Vitor Aragão, no dia 11 de maio de 2019. Nessa quinta-feira (14), o autor do feminicídio foi condenado pela Justiça a uma pena de 21 anos e quatro meses em regime fechado de prisão. Ele tirou a vida da então companheira com golpes de marreta. O crime foi praticado por ele na residência do casal, no conjunto Dom Pedro, no bairro José Conrado de Araújo, em Aracaju.

Na época do crime, em entrevista coletiva concedida na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a delegada Luciana Pereira, que presidiu o inquérito policial, revelou que Vitor Aragão entrou em contradição várias vezes, principalmente na ordem dos fatos, que não coincidia com as provas reunidas pela perícia. “Inicialmente, com base em todas as oitivas e nas provas técnicas, tudo nos levou a crer que foi um feminicídio. Os depoimentos de testemunhas foram no sentido de que ela tentava se separar do Vitor, mas ele negou”, afirmou a delegada.

Durante o decorrer do procedimento investigativo, os peritos criminais buscaram vestígios que indicassem a presença de um terceiro envolvido no local do crime, mas não foram detectadas as possibilidades de escalada, rompimento de obstáculos, nem arrombamento. As controvérsias de Vitor sobre o latrocínio perderam mais força no local do crime, onde nada foi revirado ou retirado do espaço, enfraquecendo ainda mais seus argumentos.

Na época, a perícia identificou que havia vestígios do calçado de Vitor na cama, conforme relatou, em 2019, o perito criminal, Phillip Maia. “Sobre a cama em que a vítima foi encontrada existia uma pegada, que era do solado de um calçado. Ainda no local, fiz o confronto dessa mancha com o calçado que Vitor estava no momento e constatou-se, com precisão, que essa mancha era igual ao calçado do Vitor”, informou.

Com informações e foto SSP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Construtora Celi e Valor Imobiliária lançam espaço na CasaCor Sergipe
Rodrigo Valadares é eleito a Tesoureiro Nacional do PTB
Transparência do município de Capela obtém nota máxima em avaliação do TCE
Estado e parceiros definem rota turístico-religiosa de Santa Dulce dos Pobres em Sergipe