Aracaju, 28 de novembro de 2021

RH deve humanizar empresas mediando trato com o colaborador

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Por muito tempo a área de Recursos Humanos foi vista apenas como operacional e burocrática dentro da empresa, trabalhando com questões ligada à admissão, desligamento e gestão de benefícios. No entanto, essa visão é cada vez mais distante. O RH estratégico é crucial ao negócio. Nesse sentido, a Consultorial trabalha no sentido de humanizar o trato para com os candidatos as vagas e funcionários em condição de desligamento.

“Buscamos trabalhar com a verdadeira função do RH, que é entender a empresa a fundo, compreendendo o modelo de negócio com exatidão, as metas e dificuldades das áreas operacionais, envolvendo a cultura dessa empresa. A Gestão estratégica de RH, tem o papel fundamental em transformar as relações de trabalho em algo que motive os colaboradores a prestarem seu serviço da melhor forma possível. É esse trabalho que desenvolvemos na Consultorial”, esclarece a gestora de Recursos Humanos e Departamento Pessoal, Adriana Maranhão.

Ela observa que a tecnologia de ponta é protagonista de boa parte do sucesso de um RH estratégico, com sistemas de recrutamento e seleção, controle de rotina de departamento pessoal, indicadores de desempenho – KPIs “As pessoas constituem o mais valioso recurso da organização. Devemos trata-las com humanização A organização depende de pessoas, recurso indispensável e inestimável”, observa a gestora. Ela atenta que o RH estratégico é o planejamento que alia os objetivos da empresa com os do colaborador e o grande desafio é alinhar os projetos da organização para que todos trabalhem e caminhem na mesma direção.

Capital humano – Pensando em favorecer a sociedade, Adriana explica que a Consultorial é especializada em serviços de Capital Humano. “Somos direcionados a gerar valor e impactar positivamente as organizações. Buscamos transformar um modelo de gestão de pessoas capaz de conduzir uma postura proativa, de agente de mudança, solucionador de conflitos e comunicador de estratégias, visando compreender os processos de mudança organizacional, contribuindo de maneira efetiva para o alcance do objetivo”, ressalta

Mundo competitivo

Adriana atenta que em função da globalização econômica, evolução das comunicações, desenvolvimento tecnológico e competitividade, as empresas passaram por experiências como a reengenharia, terceirização e diminuição de tamanho, dando início a novas concepções acerca dos indivíduos nas organizações. “A partir dos anos 90, iniciam-se discussões sobre a terminologia utilizada para designar a administração de Recursos Humanos”, explica a especialista.

Ela deixa claro que atualmente existe uma definição bem mais clara e estruturada das funções do RH. “Segundo o modelo de Ulrich o RH funciona como parceiro empresarial e deve atuar em quatro papéis diferenciados: parceiro estratégico, especialista administrativo, defensor dos colaboradores e agente de mudanças”, conclui.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Políticos e lideranças defendem Mitidieri e só a “bolha” prefere Edvaldo! 
Beneficiários da tarifa social terá bandeira verde em dezembro
PC prende investigado por homicídio praticado em São Cristóvão
Espetáculo  Parada de Natal é uma das atrações deste sábado