Aracaju, 3 de dezembro de 2021

Integrantes do Movimento Polícia Unida serão recebidos pela Mesa de Negociação na quinta

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O deputado estadual capitão Samuel Barreto informou na manhã desta terça-feira (10), que integrantes do Movimento Polícia Unida serão recebidos às 9 horas da próxima quinta-feira (20) onde irão participar da Mesa de Negociação.

A Mesa de Negociação instalada pelo governo do Estado, visa discutir os problemas e demandas que foram criados ao longo dos anos na administração.

Desde a instalação, o governador Berivaldo Chagas deixou claro que está aberto ao diálogo com todas as categorias, porém ressaltando que, tudo precisa ser feito de maneira que não comprometa o pagamento dos servidores públicos.

Para o deputado capitão Samuel, esse diálogo teve início e nesta quinta-feira, integrantes do Movimento Polícia Unido estará se reunindo com secretários de estado para discutir as demandas da classe.

Capitão Samuel informou ainda que já está conversando com integrantes da Mesa de Negociação para discutir as demandas do fisco e dos policiais penais.

Mesa de Negociação

No dia 16 de setembro, o governador Belivaldo Chagas anunciou a reativação da Mesa de Negociação Permanente no âmbito da Administração Pública Estadual, instituída através de decreto nº 40.993. O objetivo é estreitar o relacionamento entre o Governo de Sergipe e os servidores do Estado.

A primeira reunião após a reativação aconteceu no dia 29 de setembro, na sede da Sead, com representantes do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Sintrase).

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Linda Brasil aprova em primeira discussão projeto que exige de intérprete de Libras
Dra. Paula Saab recebe Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Aracaju
Alessandro Vieira trabalhou de forma intensa para melhorias na PEC dos Precatórios
TRE-SE cassa mandato do deputado federal Valdevan Noventa em votação unânime, mas cabe recurso junto aoTSE