Aracaju, 29 de novembro de 2021

Amorim disse no “Banda no Coreto” que a pasta da cultura do governo não funciona

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Ontem (31), domingo, pela manhã, durante o programa “A Banda no Coreto”, apresentado pelo radialista Magno de Jesus, transmitido pelas rádios Mar Azul FM e Tribuna web, o ex-senador Eduardo Amorim (PSDB), foi taxativo nas suas nas suas respostas durante entrevista, quando afirmou que a Secretaria de Cultura do Estado não faz nada pelas filarmônicas sergipanas.

Amorim salientou que está apreciando sua cidade natal Itabaiana, bem desenvolvida pelo prefeito Adailton. “Itabaiana é uma cidade pujante, mas não é tão diferente de outra cidade sergipana, o povo daqui não gasta o dinheiro, gosta de ganhar o dinheiro e guarda; aqui não se classifica as pessoas pelo poder ou pela quantidade de dinheiro que cada uma delas tem e ela tem a vocação para os estudos”, disse.

De acordo com Amorim, é em Itabaiana que está a filarmônica mais antiga do Brasil (Lira Nossa Senhora da Conceição), que nasceu no final do século XVII, e permanece até hoje.

O ex-senador Amorim foi um dos melhores parlamentares que enxergou a importância da filarmônica. Durante seu mandato, ele conseguiu dezenas de emendas para quase uma centena de filarmônicas. “Durante o meu mandato, procurei ajudar a cultura, principalmente na área da música”, disse.

Amorim destacou, se um dia fosse governador de Sergipe, desenvolvia um projeto voltado para as filarmônicas sergipanas, a exemplo do tempo do ex-governador João Alves, que realizou o projeto “Banda”, que era realizado todo final de semana na Praça Fausto Cardoso, em Aracaju. “Eu fico triste quando se tem que cortar as verbas da cultura. Durante o meu mandato, eu procurei ajudar essa área”, destacou.

Sobre o apoio às filarmônicas, o ex-senador Amorim disse que está vendo o estado de Sergipe com muita tristeza. “O Estado não faz o seu dever de casa. Depois do Governo de João Alves o que foi que surgiu para valorizar as filarmônicas?”, questionou.

Por Magno de Jesus – A Tribuna Cultural

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

39 famílias retiradas de casas em áreas de risco após fortes chuvas em Canindé de São Francisco
Estudantes  universitários de Carira recebem ônibus adquirido com emenda de Alessandro Vieira
Hospital de Urgências de Sergipe abre processo seletivo de 16 vagas para Residência Médica
Gracinha participa de 24ª Conferência Nacional da Unale