Aracaju, 28 de novembro de 2021

Marília Mendonça, seu produtor, o tio, o piloto e o copiloto morrem em queda de avião no interior de Minas Gerais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A cantora Marília Mendonça e mais quatro pessoas morreram na queda de um avião de pequeno porte caiu em uma área perto de uma cachoeira na serra da cidade de Piedade de Caratinga, no interior de Minas Gerais, na tarde desta sexta-feira (5). A informação é do Corpo de Bombeiros.

Além da cantora foi confirmada a morte do produtor Henrique Ribeiro, do tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, do piloto e copiloto do avião.

“O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais informa que nesta sexta (5), ocorreu a queda de uma aeronave de pequeno porte, modelo Beech Aircraft, na zona rural de Piedade de Caratinga. O CBMMG confirma que a aeronave transportava a cantora Marília Mendonça e que ela está entre as vítimas fatais”, informa nota.

Segundo o empresário da cantora, Wander Oliveira, outras quatro pessoas estavam a bordo do avião fretado por Marília. Além da cantora, havia dois assessores, piloto e copiloto.

O avião caiu em uma área perto de uma cachoeira em Caratinga. A cantora Marília Mendonça, de 26 anos, faria um show na cidade esta noite. Sua assessoria de imprensa chegou a afirmar que ela havia sido resgatada, mas a informação não foi confirmada imediatamente pelas autoridades locais. Somente mais tarde houve a confirmação.

Nota da Assessoria – “Com imenso pesar, nós, assessoria de imprensa da cantora Marília Mendonça, confirmamos a sua morte, de seu produtor Henrique Ribeiro, seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, do piloto e copiloto do avião – os quais iremos preservar os nomes neste momento. Nesta sexta-feira, 05 de novembro, o avião decolou de Goiânia com destino a Caratinga/MG, onde Marília teria uma apresentação esta noite. De momento, são estas as informações que temos”, diz nota da assessoria.

O avião é um bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, de Goiás, prefixo PT-ONJ, com capacidade para seis passageiros.

Início de carreira e sucesso – A cantora e compositora Marília Dias Mendonça, nascida na pequena Cristianópolis (GO) em 22 de julho de 1995, morreu num trágico acidente aéreo na tarde desta sexta-feira (5), após o avião em que ela viajava cair e se chocar contra uma cachoeira no município de Piedade de Caratinga (MG), na região do Vale do Aço. Ela tinha 26 anos e era mãe de Léo, um bebê de apenas um ano.

Marília iniciou sua carreira musical com apenas 12 anos, compondo algumas das letras mais famosas do mundo sertanejo, como “Minha Herança”, de João Neto e Frederico, “Muito Gelo, Pouco Whisky”, de Wesley Safadão, “Até Você Voltar”“Cuida Bem Dela” e “Flor e o Beija-Flor”, interpretadas por Henrique e Juliano, “Ser Humano ou um Anjo”, cantada por Matheus e Kauan, “Calma”, gravada nas vozes de Jorge e Mateus, e “É Com Ela Que Eu Estou” do também falecido Cristiano Araújo, vítima de um acidente automobilístico em 2015.

Em 2014, aos 19 anos, lançou-se na carreira como cantora e gravou um EP que levava seu nome. Dois anos depois, em 2016, produziu “Marília Mendonça: Ao Vivo”, em parceria com outros grandes nomes do gênero. A superprodução alçou a jovem ao estrelato e, a partir daí, suas andanças pelo Brasil passaram a ser acompanhadas de multidões de fãs.

Uma das cantoras mais bem pagas do país, antes da pandemia, um show seu custava R$ 350 mil e eram pelo menos 25 apresentações por mês. Sites especializados em celebridades repercutiam a fortuna que Marília movimentava com sua arte, algo em torno de R$ 10 milhões mensais, sem que, contudo, deixasse o jeito simples, divertido e atencioso que marcava sua relação com admiradores e com a imprensa.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Inscritos no Enem fazem neste domingo segundo dia de provas
Covid-19: Aracaju vacinou 17.398 mil pessoas nesta semana
Vice-governadora conhece serviços da Casa Mulher em Itabaianinha
Senador Alessando Vieira protocola emenda substitutiva para barrar interesses individuais