Aracaju, 1 de dezembro de 2021

Senador  Rogério Carvalho defende projeto que reduz o preço da gasolina e do gás de cozinha

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) afirmou que um projeto de autoria dele, que reduz o preço dos combustíveis no Brasil, deve começar a tramitar na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado na semana que vem. A declaração foi dada em entrevista ao jornalista Fábio Pannunzio nesta sexta-feira (5).

A proposta do parlamentar sergipano cria alternativas à política de preços da Petrobras, que atualmente determina o valor dos combustíveis a partir da cotação do dólar e da variação internacional do preço do barril do petróleo, favorecendo o lucro dos acionistas privados.

“O Brasil é o único país produtor de petróleo que tem essa paridade entre preço do petróleo e variação cambial transferida para o preço de combustível. Os países que não fazem isso no mundo são países que não produzem uma gota de petróleo, como é o caso do Japão”, criticou.

Rogério Carvalho declarou ainda que já pediu uma simulação de quanto seria o preço dos combustíveis caso o projeto dele, que prevê, por exemplo, a criação de um imposto de importação de petróleo cru para a composição de um fundo, fosse aprovado.

“Eu arrisco que nós não estaríamos pagando muito mais do que R$ 5,50 no litro de gasolina e R$4 no óleo diesel, se tivéssemos responsabilidade como país, responsabilidade com o funcionamento da economia como um todo”, defendeu.

Durante a entrevista, o parlamentar petista também criticou a política econômica do governo Bolsonaro e a falta de estoques reguladores, o que, segundo ele, dolarizou a economia brasileira em todas as frentes, gerando uma inflação absurda para o povo.

“O que mais dolarizou a nossa economia foram os derivados de Petróleo, Gas de Cozinha, óleo diesel, gasolina. Você imagina o que isso impacta na taxa de juros e o custo que o país tem que pagar para entregar e pegar dividendos a meia dúzia de grandes acionistas privados da Petrobras. É um desrespeito enorme com o povo brasileiro, a ausência total de governo. Por isso apresentamos um projeto para mudar essa regra.”

Por fim, Rogério Carvalho lamentou o fim do programa Bolsa Família. Segundo ele, o programa era feito em pareceria com todos os municípios e entes federados, por meio de um cadastro único, que permitia equalizar os repasses do benefício de cada família, e exigia contrapartidas, como vacina e presença da escola.

“Nós estamos substituindo uma coisa consistente por algo eleitoreiro”, concluiu.

Da assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Construtora Celi e Valor Imobiliária lançam espaço na CasaCor Sergipe
Rodrigo Valadares é eleito a Tesoureiro Nacional do PTB
Transparência do município de Capela obtém nota máxima em avaliação do TCE
Estado e parceiros definem rota turístico-religiosa de Santa Dulce dos Pobres em Sergipe