Aracaju, 28 de novembro de 2021

População se une à Prefeitura em mais uma edição do projeto “Praia Limpa”, em Aracaju

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A população atendeu o chamado da Prefeitura de Aracaju e se uniu a mais uma edição do projeto ‘Praia Limpa’, coordenado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema). Desta vez, a ação aconteceu na manhã deste domingo, 7, na Prainha da Ribanceira, no bairro Areia Branca, com o objetivo de alertar os aracajuanos sobre os problemas provocados pelo descarte irregular de resíduos nas praias, além de buscar estimular a adoção de práticas de conservação do meio ambiente, em especial da vida marinha na região.

Durante a ação, foram realizadas a coleta de diversos resíduos sólidos, por meio de embarcações, além de panfletagem para conscientização de banhistas, plantio de mudas de espécies nativas de manguezal, além de atividades recreativas para crianças, blitz ambiental na rodovia dos Náufragos, e exposição ambiental de instituições parceiras.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Alan Lemos, esteve presente durante a ação e explicou que o projeto Praia Limpa é realizado nas praias de Aracaju durante todo o ano e conta com ações de sensibilização para minimizar, inclusive, o descarte de resíduos e óleo de cozinha no ambiente costeiro, além de realizar, também, campanhas acerca da Lei 5.203/2019, que trata da proibição de vendas e distribuição de canudos que não sejam biodegradáveis.

“Ainda no mês de novembro, estaremos no trecho da Orla Sul, na Aruana, e no mês de dezembro iremos para a Orla Pôr do Sol, ou seja, contemplando vários lugares da cidade”, antecipou o gestor.

Ainda segundo Alan Lemos, o projeto Praia Limpa acontece em parceria com outros órgãos da administração municipal, a exemplo da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). “Contamos, inclusive, com o apoio do Fundo de Defesa de Direitos Difusos do Ministério da Justiça, para que a gente leve conscientização ambiental em vários aspectos, para que possamos, junto com a população, fazer com que a cidade seja cada vez mais de qualidade de vida”, reforçou Alan Lemos.

O secretário fez questão de salientar que, na Prainha da Ribanceira, foi feito um grande esforço de articulação com a comunidade local, sobretudo com os pescadores, os quais se engajaram no projeto. “A exemplo do passeio náutico, com o esforço de fazer o recolhimento de resíduos ao longo do rio. Identificamos que essa prainha tem sido cada vez mais utilizada por banhistas, um local de bom ambiente para as famílias fazerem seus passeios, mas verificamos a necessidade para que a população ajude a preservar esse ambiente”, concluiu.

Ativista das causas ambientais, Sergio Figueiras é morador do bairro Ponto Novo, na zona Oeste, e sabe da importância desse tipo de ação. “Enquanto professor e cidadão, vejo que é muito importante alertar a população para a conscientização do meio ambiente e de práticas de sustentabilidade ambiental. Quando a gente participa de um ato desse junto com a comunidade, gera um impacto muito maior para a sustentabilidade ambiental. A Sema está de parabéns por essa ação ambiental”, elogiou.

Fernanda Rocha Prudente é moradora do bairro Areia Branca e também é ativista ambiental. “Eu faço parte do projeto ‘Anjos do Rio’ desde 2016, que faz a limpeza da área. As pessoas precisam ter a consciência de jogar o lixo no lixo. Quanto mais gente fazendo isso, melhor. O fato de o órgão público se juntar a essa ação, vai fazer toda a diferença e o resultado será legal”, avaliou.

Opinião semelhante tem Evandro Santos Prudente, morador da localidade. “Há dez anos, eu pescando aqui no estuário do rio, encontrei uma tartaruga morta, com um saco plástico na boca. Ela engoliu metade do saco e morreu. Decidi, a partir daquele dia, fazer a minha parte, limpando o rio. Já recolhi geladeira, televisão, vaso sanitário, encontrava tudo no mangue. Então, há alguns anos, estamos limpando essa área. Hoje podemos dizer que nosso mangue está mais limpo. A Prefeitura tem responsabilidade com os rios que cortam a cidade, bem como as praias”, disse.

A coordenadora de Educação Ambiental da Sema, Raphaela Ribeiro, disse que, depois que a população começou a utilizar a prainha com mais frequência para atividades recreativas e de lazer, aumentou também a quantidade de descarte irregular de lixo, inclusive, queimadas, por causa de utilização de churrasqueiras.

“Essa prainha começou a ser utilizada bastante pela população e a quantidade de resíduo que estava sendo depositada estava muito grande, além de incêndio por conta de churrascos. Então, decidimos fazer essa ação em parceria com a comunidade, para fazer o uso do local mais racional, que é um bem de todos”, destacou a coordenadora.

Ela acrescentou que a Sema espalhou pela localidade diversas placas educativas e de conscientização, inclusive com o contato da Ouvidoria da Secretaria, “para que a população também fiscalize e faça denúncias”, finalizou.

O Projeto

O Praia Limpa é executado desde outubro de 2017 e sua primeira ação ocorreu na Orla de Atalaia. O projeto tem como base a lei municipal nº 4.800/2016, que consiste na obrigatoriedade do uso de cestos de lixo para quem realiza algum tipo de comércio em regiões de praia da capital sergipana, sejam ambulantes ou proprietários de bares e restaurantes.

Foto Sérgio Silva

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Arquiteta fala sobre mudanças nos lares durante a pandemia
Inscritos no Enem fazem neste domingo segundo dia de provas
Covid-19: Aracaju vacinou 17.398 mil pessoas nesta semana
Vice-governadora conhece serviços da Casa Mulher em Itabaianinha