Aracaju, 5 de dezembro de 2021

Movimento Polícia Unida é recebido na Câmara Municipal de Itabaiana

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Parlamentares itabaianenses reforçaram a necessidade da garantia dos direitos dos profissionais da segurança pública pelo adicional de periculosidade

Representantes das nove entidades sindicais e representativas que integram o Movimento Polícia Unida, entre elas, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE), estiveram reunidos na manhã desta terça-feira (09), na Câmara Municipal de Itabaiana, para buscar o apoio da política local nas principais reivindicações da categoria: o adicional de periculosidade para policiais civis, policiais militares e bombeiros militares; a revisão geral anual, além de melhores condições de trabalho para os profissionais da segurança pública do Estado.

Em seu discurso, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe, Adriano Bandeira, fez questão de relembrar os colegas mortos em decorrência dos riscos da profissão e reiterou que eles jamais serão esquecidos.

“São vários profissionais que perderam suas vidas no desempenho das suas atividades. Relembro aqui o caso mais recente do delegado Marcelo Hercos esse ano, mas também dos policiais Marcos Morais e Fábio Lopes, que foram brutalmente assassinados durante o cumprimento de diligências na cidade de Umbaúba. E esses são só algumas vítimas recentes entre os diversos policiais que perderam a vida em combate. Essa luta é por eles e por todos nós que continuamos aqui em prol da sociedade. É uma luta por respeito e valorização”, explicou Adriano Bandeira.

Além disso, o presidente do Sinpol/SE reafirmou a necessidade de condições dignas de trabalho e sobrevivência para os policiais civis, policiais militares e bombeiros militares de todo o estado de Sergipe.

Durante a sessão, os vereadores presentes externaram todo o seu apoio às causas reivindicadas pela categoria e ao Movimento Polícia Unida, entre eles, o vereador Moisés Mota que, inclusive, convidou os presentes para realização de ação na feira-livre do município. “Todos precisam ter acesso às informações que foram deixadas aqui hoje e a feira é o local ideal para isso. Convido todos a participarem desse momento e declaro todo o meu apoio ao movimento Polícia Unida”, destacou.

Outro parlamentar que declarou apoio ao Movimento foi Alex Henrique. Em sua fala, ele parabenizou a união da classe e apontou para a importância do adicional de periculosidade para a categoria. “Parabéns a todos por esse ato. Essa união de vocês demonstra a força da categoria na luta por um direito que é justo. A sociedade precisa ter consciência dos riscos da profissão, da falta de estrutura e dos direitos que precisam ser assegurados ”, pontuou o vereador.

Durante os trabalhos, o presidente da Casa, Marcos Oliveira, falou sobre a importância da audiência pública realizada com os integrantes do Movimento Polícia Unida. “Foi uma manhã de muito aprendizado. Com os relatos aqui deixados, a gente entende que a polícia não está buscando periculosidade, mas sim humanidade, estrutura e reconhecimento.

Na oportunidade, ele também expressou seu apoio às reinvidicações da categoria. “Parabéns a todos pelo movimento e contem sempre com esta Casa para ser mais um agente de transformação para a polícia sergipana”, disse Marcos Oliveira.

Ao final, o presidente do Sinpol/SE agradeceu aos representantes da Câmara de Vereadores pelo convite e reiterou o compromisso dos representantes do Polícia Unida na luta contra o Governo do Estado por valorização profissional.

“Quero fazer um agradecimento aos parlamentares desta Casa, em especial ao presidente Marcos Oliveira, por essa audiência pública. Em um gesto nobre, de sensibilidade ao Movimento, às demandas da segurança pública, ele convidou os integrantes do Polícia Unida para aqui, apresentarmos ao povo de Itabaiana, as nossas reivindicações. Vamos continuar na luta pelo óbvio, por valorização, por dignidade, na tentativa de sensibilizar o governador Belivaldo Chagas quanto ao pagamento de nossos direitos, como a reposição inflacionária e o adicional de périculosidade para os profissionais da atividade policial e de salvamento”, finalizou.

Adicional de periculosidade

O benefício é um direito de todo profissional que trabalha em situação que coloque sua vida em risco, não sendo entendido como bonificação, mas sim um adicional permitido pelas constituições Federal e Estadual. A atividade policial é totalmente exposta aos riscos.

Movimento Polícia Unida

O Movimento Polícia Unida é formado por nove entidades sindicais e representativas: Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE); Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE); Associação Militar Única; Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do Estado de Sergipe (Aspra); Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise); Associação Integrada de Mulheres da Segurança Pública em Sergipe (Asimusep); Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese); Associação dos Militares da Reserva Remunerada e Pensionistas do Estado de Sergipe (Asmirp/SE); e Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros (ACS-SE).

Parlamentares itabaianenses reforçaram a necessidade da garantia dos direitos dos profissionais da segurança pública pelo adicional de periculosidade

Representantes das nove entidades sindicais e representativas que integram o Movimento Polícia Unida, entre elas, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE), estiveram reunidos na manhã desta terça-feira (09), na Câmara Municipal de Itabaiana, para buscar o apoio da política local nas principais reivindicações da categoria: o adicional de periculosidade para policiais civis, policiais militares e bombeiros militares; a revisão geral anual, além de melhores condições de trabalho para os profissionais da segurança pública do Estado.

Em seu discurso, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe, Adriano Bandeira, fez questão de relembrar os colegas mortos em decorrência dos riscos da profissão e reiterou que eles jamais serão esquecidos.

“São vários profissionais que perderam suas vidas no desempenho das suas atividades. Relembro aqui o caso mais recente do delegado Marcelo Hercos esse ano, mas também dos policiais Marcos Morais e Fábio Lopes, que foram brutalmente assassinados durante o cumprimento de diligências na cidade de Umbaúba. E esses são só algumas vítimas recentes entre os diversos policiais que perderam a vida em combate. Essa luta é por eles e por todos nós que continuamos aqui em prol da sociedade. É uma luta por respeito e valorização”, explicou Adriano Bandeira.

Além disso, o presidente do Sinpol/SE reafirmou a necessidade de condições dignas de trabalho e sobrevivência para os policiais civis, policiais militares e bombeiros militares de todo o estado de Sergipe.

Durante a sessão, os vereadores presentes externaram todo o seu apoio às causas reivindicadas pela categoria e ao Movimento Polícia Unida, entre eles, o vereador Moisés Mota que, inclusive, convidou os presentes para realização de ação na feira-livre do município. “Todos precisam ter acesso às informações que foram deixadas aqui hoje e a feira é o local ideal para isso. Convido todos a participarem desse momento e declaro todo o meu apoio ao movimento Polícia Unida”, destacou.

Outro parlamentar que declarou apoio ao Movimento foi Alex Henrique. Em sua fala, ele parabenizou a união da classe e apontou para a importância do adicional de periculosidade para a categoria. “Parabéns a todos por esse ato. Essa união de vocês demonstra a força da categoria na luta por um direito que é justo. A sociedade precisa ter consciência dos riscos da profissão, da falta de estrutura e dos direitos que precisam ser assegurados ”, pontuou o vereador.

Durante os trabalhos, o presidente da Casa, Marcos Oliveira, falou sobre a importância da audiência pública realizada com os integrantes do Movimento Polícia Unida. “Foi uma manhã de muito aprendizado. Com os relatos aqui deixados, a gente entende que a polícia não está buscando periculosidade, mas sim humanidade, estrutura e reconhecimento.

Na oportunidade, ele também expressou seu apoio às reinvidicações da categoria. “Parabéns a todos pelo movimento e contem sempre com esta Casa para ser mais um agente de transformação para a polícia sergipana”, disse Marcos Oliveira.

Ao final, o presidente do Sinpol/SE agradeceu aos representantes da Câmara de Vereadores pelo convite e reiterou o compromisso dos representantes do Polícia Unida na luta contra o Governo do Estado por valorização profissional.

“Quero fazer um agradecimento aos parlamentares desta Casa, em especial ao presidente Marcos Oliveira, por essa audiência pública. Em um gesto nobre, de sensibilidade ao Movimento, às demandas da segurança pública, ele convidou os integrantes do Polícia Unida para aqui, apresentarmos ao povo de Itabaiana, as nossas reivindicações. Vamos continuar na luta pelo óbvio, por valorização, por dignidade, na tentativa de sensibilizar o governador Belivaldo Chagas quanto ao pagamento de nossos direitos, como a reposição inflacionária e o adicional de périculosidade para os profissionais da atividade policial e de salvamento”, finalizou.

Adicional de periculosidade

O benefício é um direito de todo profissional que trabalha em situação que coloque sua vida em risco, não sendo entendido como bonificação, mas sim um adicional permitido pelas constituições Federal e Estadual. A atividade policial é totalmente exposta aos riscos.

Movimento Polícia Unida

O Movimento Polícia Unida é formado por nove entidades sindicais e representativas: Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE); Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE); Associação Militar Única; Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do Estado de Sergipe (Aspra); Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise); Associação Integrada de Mulheres da Segurança Pública em Sergipe (Asimusep); Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese); Associação dos Militares da Reserva Remunerada e Pensionistas do Estado de Sergipe (Asmirp/SE); e Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros (ACS-SE).

Fonte ascom

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Assédio é principal violência a meninas em ambiente virtual
Entenda as novas regras da Tarifa Social de Energia Elétrica
Simão Dias receberá Centro de Especialidades Médicas e Base do Samu  
Espetáculo circense é uma das atrações do Natal Iluminado