Aracaju, 3 de dezembro de 2021

Belivaldo saiu-se fortalecido

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

Há certo silêncio sobre a política, principalmente em Aracaju, em razão da situação dramática em que vive o ex-conselheiro do Tribunal de Contas, Reinaldo Moura, que se submeteu a uma cirurgia de grande porte e está em estado complicado de saúde. Reinaldo é uma figura importante na política do Estado e por onde passou deixou a marca de responsabilidade e empatia com aliados e até adversários. Reinaldo Moura foi vereador, deputado estadual, quando ocupou a presidência da Assembleia Legislativa, ex-presidente do TCE, quando esteve conselheiro e, na área esportiva, presidiu o Sergipe Esporte Clube, time do seu coração.

Todas essas passagens não são esquecidas. Têm às digitais de sua atuação, sempre zelando pela seriedade, mas sem perder a simpatia, descontração e a intercomunicação, adquiridas por longo tempo como radialistas, que ainda hoje se deixa identificar pela voz. Tudo isso, claro, faz com que as discussões políticas sejam suspensas, em respeito à sua momentânea ausência. A voz de Reinaldo é fundamental nesse momento.

Entretanto, nos bastidores, não se deixou de falar sobre o julgamento do TSE, na terça-feira à noite, que manteve o mandato do governador Belivaldo Chagas (PSD) e da vice Eliane Aquino (PT). Era um assunto que antes não se falava, embora setores da oposição sempre fustigassem, mas de alguma forma era um peso que só deixou a cabeça de cada um dos cassados depois da absolvição com mérito, digamos assim. Belivaldo não deu entrevistas e nem montou uma estrutura para “dar o troco a seus algozes”, mas está aliviado, leve, numa boa. Melhorou sua disposição e agora está à vontade para continuar o seu trabalho pelo desenvolvimento do Estado. A partir de agora será difícil segura-lo…

Em conversa de bastidores na Assembleia Legislativa, pelo menos quatro deputados admitiram que Belivaldo Chagas saiu mais fortalecido, politicamente, depois que o TSE rejeitou a cassação do seu mandato e os ministros levantaram dúvidas sobre a sentença, baseadas no fato de o filho do presidente do TRE, à época, integrar o escritório de advocacia que processava o governador e a vice, que culminou na cassação, vista agora como equivocada pelo próprio TSE. Os deputados consideravam que Belivaldo estaria com maior capacidade política para fazer a indicação do candidato à sucessão, através de escolha da base aliada, agora com maior apoio da população que assistiu à decisão de terça-feira à noite.

Há um absoluto recuo nas conversas sobre pré-candidatos a governador pelo bloco governista. O silêncio chega a ser incômodo. Os prováveis pretendentes aguardam melhor hora para escancarar o diálogo, embora estejam atuando fortemente em suas bases e mantendo suas posições já anunciadas nas reuniões realizadas antes. O quadro é o mesmo, com os nomes do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), Fábio Mitidieri (PSD) e Ulices Andrade. O deputado Laércio Oliveira (PP) está em campo, mas avisa que pretende o Senado.

De qualquer forma há um quadro meio confuso com apresentação de novas candidaturas a presidente, que influencia nos nomes que pretendem a disputa pela oposição. O ex-juiz Sérgio Moro filia-se ao Podemos e, como provável nome para disputar o Planalto, vai influenciar na formação de chapas nos Estados. Já o presidente Bolsonaro vai se filiar ao Partido Liberal dia 22, o que afasta uma composição da legenda com o Partido dos Trabalhadores, e se torna uma incógnita a montagem de aliança em todo o País, incluindo Sergipe.

No momento, só quem mantém candidatura definitiva a governador de Sergipe é o senador Rogério Carvalho (PT), que já tem segura a formação de um bloco com o PSB.

Decisão do TSE repercute

Repercutiu em todo o Estado a decisão do TSE que recusou a cassação do mandato do governador Belivaldo Chagas (PSD) e da vice-governadora Eliane Aquino (PT).

*** Políticos da situação e da oposição consideraram que o TSE fez justiça em manter Belivaldo e, quase sem exceção, consideraram o pedido de cassação um equívoco inexplicável

*** A presença do filho do então presidente do TRE à época, como advogado que endossava o pedido de cassação, foi um dos pontos principais para absolvição.

Deputados comentam

Na Assembleia Legislativa, deputados usaram da tribuna para falar da decisão do TSE em manter o mandato do governador Belivaldo Chagas e da vice Eliane Aquino.

*** Os deputados admitiram equívoco na decisão do TRE em Sergipe e consideraram que seria “um desastre” interromper o mandato de Belivaldo neste momento.

*** A maioria acha que a partir de agora volta à normalidade administrativa e, naturalmente, política.

Luciano lamenta fakes

O presidente da Alese, deputado Luciano Bispo (MDB), também comemorou a decisão do TSE e falou de suas ligações com Belivaldo Chagas. Para ele foi o resultado que “Sergipe esperava”.

*** Luciano lamentou profundamente notícias divulgadas anteriormente, de que ele estaria “trabalhando pela cassação”. Disse que era “homem de grupo e se mostrou decepcionado com fakes news publicados em um programa de rádio e nas redes sociais”.

Sergipe em oração

A situação grave de saúde do ex-conselheiro Reinaldo Moura deixa Sergipe, desde a madrugada de ontem, em oração.

*** Reinaldo fez uma cirurgia de alta periculosidade e seu estado merece cuidado.

*** Radialista, Reinaldo manteve amizade com amigos de todas as áreas, levando alegria e solidariedade por onde passava.

*** Há uma torcida organizada pela sua vida.

Feriados nas segundas

Reinaldo Moura sempre foi intenso em suas atividades e continua atuando como um jovem que está recomeçando agora. Disposto, Reinaldo vem fazendo análises políticas sobre a sucessão estadual através de canal na Internet.

*** Mantém de há muito tempo uma peculiaridade: decreta feriado nas segundas-feiras e vive intensamente o sábado e domingo.

Fábio se solidariza

O deputado federal Fábio Mitidieri se solidarizou com a família de Reinaldo Moura, “pai do nosso amigo André Moura e dizer que estamos em uma corrente de oração pelo pronto restabelecimento de sua saúde”.

*** – Com fé em Deus, logo estará bem! É o que o povo de Sergipe mais deseja no dia de hoje, disse.

Declara amizade

Por várias vezes, em portais de Sergipe, aparece o deputado Fábio Mitidieri (PSD) dizendo que é aliado do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) e que os dois são amigos e se entenderão bem na formação da chapa majoritária da base aliada.

*** Pela repetição da mesma notícia, a impressão que passa é de que falta assunto ou há sinais de que os dois estarão de lados opostos na escolha final dos candidatos.

Fábio vota contra

O deputado federal Fábio Henrique (PDT) votou contra a PEC dos Precatórios no segundo turno, que aconteceu quarta-feira passada. No primeiro turno, Fábio havia votado a favor.

*** Após reunião da executiva em Brasília, PDT anunciou que virou 12 votos e orientou bancada a votar contra a PEC dos Precatórios.

*** Fábio Henrique seguiu orientação do partido.

Indicação nos Estados

Com um pé no Partido Liberal, o presidente Bolsonaro preferiu silenciar em torno de indicações nos Estados.

*** Disse que “em vários estados tenho candidatos que são simpáticos à minha pessoa. Eu não posso fechar com A, B ou C e daí ficar a ver navios.”

*** Em Sergipe, para o Senado, aparece o nome do deputado Laércio Oliveira (PP), que é da base aliada do presidente Bolsonaro.

Filiação de Moro

O ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro filiou-se ontem ao Podemos. Em seu discurso no evento, em Brasília, Moro não revelou qual cargo pretende disputar nas eleições de 2022.

*** A delegada Daniele Garcia, presidente do Podemos em Sergipe, participou do ato de filiação. Daniele trabalhou com Moro no Ministério da Justiça

*** Em Sergipe, a delegada deve seguir a orientação do partido e ser candidata ao Senado.

Milton fica no PL

O presidente municipal do PL em Aracaju, empresário Milton Andrade, disse que vai continuar no partido e que pensa em disputar o Governo do Estado.

*** Perguntado se seria em aliança com o Podemos, Milton Andrade disse: “isso será discutido no momento oportuno”.

Márcio na coordenação

Márcio Macedo, como vice-presidente nacional do PT, está no Maranhão e se reuniu com membros do diretório, executiva e lideranças das forças políticas do partido.

*** Na agenda tratou da pré-candidatura de Felipe Camarão (PT) à sucessão do governador Flávio Dino, antes mesmo da realização dos encontros táticos previstos para o ano que vem.

*** A presença de Márcio nos Estados demonstra que ele trabalha para fortalecer o partido em favor da candidatura de Lula a presidente, podendo não sair candidato em Sergipe.

Giro pelas redes sociais

Metrópoles – Mara Maravilha trocou a letra de Ilariê, de Xuxa, com frases pejorativas e ainda usou o termo “débil mental”.

O Globo – De rachadinha a desemprego e inflação em alta, foram os recados de Sérgio Moro para Jair Bolsonaro.

Francisco Castro – Bolsonaristas ficam furiosos com a provável candidatura do Sergio Moro à Presidência da República.

Ivan Valente – Moro parece não ter entendido que a máscara caiu, mas vai quebrar a cara. Está marcado como juiz ladrão, cabo eleitoral de Bolsonaro, oportunista.

Francisco Castro – Governo Bolsonaro exonera delegada responsável pela extradição do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos.

TV Cultura – Somente os ministros Nunes Marques e Gilmar Mendes votaram contra decisão de Rosa Weber sobre a PEC do orçamento.

Flávia Said – Enquanto o ministro Nunes Marques, indicado por Bolsonaro ao STF, vota contra a suspensão do orçamento secreto, Mourão saúda a intervenção do Supremo.

Antagonista – O general Santos Cruz elogiou o discurso de Moro no ato de filiação ao Podemos e defendeu a candidatura do ex-juiz da Lava Jato na disputa de 2022.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Linda Brasil aprova em primeira discussão projeto que exige de intérprete de Libras
Dra. Paula Saab recebe Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Aracaju
Alessandro Vieira trabalhou de forma intensa para melhorias na PEC dos Precatórios
TRE-SE cassa mandato do deputado federal Valdevan Noventa em votação unânime, mas cabe recurso junto aoTSE