Aracaju, 6 de dezembro de 2021

Miniusina instalada no Huse reforça a produção de gases medicinais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Uma miniusina de gases medicinais, com capacidade para produzir 27 metros cúbicos de oxigênio medicinal por hora, passou a operar, nesta quinta-feira, 11, no Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse). Um marco na história do hospital, no momento em que a gestão inicia os processos de modernização da assistência. É o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), empenhados em cada dia a melhorar a qualidade do atendimento ao usuário e ao povo sergipano.

O diretor administrativo-financeiro do Huse, Manoel Mário Ferreira, destaca que a miniusina é um sistema de produção de oxigênio que proporcionará uma redução nas despesas relativas à aquisição deste gás pelo hospital. “Com a implantação da miniusina no Huse, estamos inaugurando um equipamento de vanguarda, algo que todas as unidades hospitalares do mundo inteiro, hospitais de primeira linha que tem uma gestão com uma ótica de economia, segurança e autonomia, essas unidades de uma certa forma estão procurando trabalhar essas usinas e deixando o fornecimento de terceiros”, explicou.

A miniusina de gases medicinais só foi possível graças ao empenho do Governo do Estado em conseguir recursos juntamente com os doadores. O Huse entra com a parte da instalação e infraestrutura para receber o equipamento que foi doado pela Petrobras, através de um projeto que ela tem para os hospitais públicos. “Nós escrevemos o Huse nesse projeto e fomos contemplados. Isso é um marco na história do hospital, já alcançamos a pureza do oxigênio de 96%”, comemora o diretor administrativo-financeiro do Huse.

Áreas como a Nefrologia e a Unidade Pós-Cirúrgica (UPC), serão as primeiras contempladas com o oxigênio produzido pela miniusina do Huse, o que atenderá cerca de 40 leitos. A empresa SeparAR Soluções Inovadoras é a responsável pela instalação e montagem dos cilindros. Além desta empresa, a CR Oxigênio que já atua no hospital, continuará fornecendo os gases medicinais para todo o restante do hospital.

Na área médica, o oxigênio puro tem um papel vital. Devido a sua alta pureza, o oxigênio pode ser utilizado no auxílio da respiração de pacientes, nebulização, casos de intubação e no tratamento de doenças respiratórias.

Fonte e foto SES

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Mais da metade dos maiores de 18 anos consome bebidas alcoólicas
Assédio é principal violência a meninas em ambiente virtual
Entenda as novas regras da Tarifa Social de Energia Elétrica
Simão Dias receberá Centro de Especialidades Médicas e Base do Samu